Quais são as multas de moto mais frequentes que podem suspender a CNH?

Manter os cuidados na direção e com a motocicleta pode ser a melhor forma de evitá-las

Os motociclistas são considerados por muitos os ”aventureiros da pista”. Porém, a sensação de liberdade de dirigir uma moto pode ser interrompida caso a monitoração de multas não seja feita com frequência e cuidado, especialmente se você já possui um acúmulo de infrações no seu registro.

Mesmo obtendo o conhecimento teórico nas aulas de direção, muitos condutores de motos acabam ignorando regras no trânsito, muitas delas simples ações, como esperar o sinal abrir, e que geram multas que podem facilmente ser evitadas.

A seguir listamos as infrações mais frequentes e apontamos o risco delas de suspenderem a CNH do motorista. Confira!

1.  Carona com pouca segurança

As motocicletas podem dar caronas na garupa, desde que a pessoa carregada seja maior de 7 anos de idade e use a proteção adequada. O artigo 244 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro) diz que o transporte de crianças menores que essa idade pode gerar multa de quase R$300 e ser motivo para suspensão da CNH.

Ainda assim, a idade não é parâmetro para transporte de pessoas na traseira de motocicletas. Qualquer pessoa que não tenha altura suficiente para encaixar os pés nos pedais ou se sustentar na moto por alças de segurança não deve ser transportada na carona.

A regra de segurança também vale para a quantidade de pessoas na garupa. Dirigir com mais de duas pessoas na moto pode ocasionar a suspensão da carteira.

2.  Pilotar com faróis apagados

Em alguns locais, como a cidade de São Paulo, circular com os faróis ligados 24h por dia virou lei. Mesmo assim, existem motociclistas que não acendem as lanternas quando necessário, como ao trafegar por vias movimentadas durante a noite e fazer uso dos corredores entre os carros em alta velocidade. Ambas as condutas devem ser feitas com a sinalização dos faróis.

Por representar um alto risco de acidentes, essa infração não só gera multa como pode provocar a cassação da CNH do infrator.

3.  Manobras perigosas

O motociclismo é considerado até mesmo um esporte, mas existem locais e veículos apropriados para a prática de manobras radicais em cima de uma moto. Nas ruas, o motociclista que empina a moto ou faz giros e zigue-zagues arriscados pode receber multa grave e até perder a habilitação.

Além de ser um risco para a própria integridade física, os truques em cima da moto em vias públicas podem resultar em atropelamentos, colisões e até mesmo a morte.

4.  Direção sob efeito de drogas

Não é segredo para ninguém que a combinação de direção e drogas, como o álcool, nunca é uma boa. Infelizmente é muito comum encontrar motociclistas dirigindo embriagados ou após fazerem uso de drogas, e os riscos para si próprios e para quem está transitando na rua são enormes.

Em caso de recusa ao teste do bafômetro, o motociclista pode ser encaminhado para a delegacia, tendo que pagar multa de quase R$3 mil e tendo a CNH suspensa.

Para quem vai aproveitar o fim de semana com os amigos, é sempre indicado optar por outras formas de transporte, como o público ou o privado terceirizado, ou aguardar que o efeito da bebida passe para assumir o volante ou guidão.

Fui multado e perdi a CNH. O que fazer?

Na maioria dos casos, a suspensão possui um prazo pré-determinado pelos órgãos de fiscalização, durante o qual os motoristas não podem fazer nada se não aguardarem. Nesse meio tempo, é possível que o motorista tenha de participar de cursos de reciclagem. O condutor pode, durante o período, renegociar multas que acumularam valores muito altos. Quando um motorista teve a CNH suspensa mais de uma vez, o período de suspensão aumenta e as exigências para autorizar a direção novamente ficam ainda mais rígidas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *