Revista Comprecar
Avaliação: A fantástica Audi RS6
A perua mais rápida do mundo, que vai à 305 km/h
Avaliação: A fantástica Audi RS6
28 de Setembro de 2014

Por Jorge Augusto
Fotos: Marcelo Alexandre
Vídeo: Eduardo Gregoriis
 
Lançada na Europa em maio de 2013, a RS6 Avant 2014 é considerada a perua mais veloz do mundo. E justamente por isso, trata-se de uma perua bastante diferenciada. Na verdade, estamos falando de um carro para competição, que também é uma perua. E nessa avaliação do Comprecar, trazemos todos os detalhes dessa fantástica perua de corrida!
 
A atual geração ficou ainda mais eficiente que o modelo antecessor. Só pra começar, estamos falando de um veículo que acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,9 segundos, e tem velocidade máxima 305 km/h, limitada eletronicamente!
 
O grande destaque fica por conta do moto r 4,0 litros TFSI V8 biturbo, que entrega potência de 560 cv. Em conjunto, uma transmissão Tiptronic de 8 marchas (fornecida pela ZF) e a tração integral Quattro. Para se ter uma ideia de evolução, o RS6 antecessor (lançado em Frankfurt em 2007) contava com moto r 5 litros - V10 biturbo de 580 cavalos, e acelerava até 100 km/h em 4,6 segundos.
 
O novo RS6 vem com câmbio automático ZF e função Tiptronic de 8 marchas, com opção de seleção manual na alavanca seletora ou nos shift-paddles (borboletas) localizados no volante.
 
A Sigla RS na Audi
 
Para quem ainda não sabe, a sigla RS (de RennSport em alemão) representa sempre a versão mais potente, de um modelo de série. Então, a RS6 é a versão superesportiva da perua A6 Avant.
 
Do alemão literal “corrida esportiva”, essa sigla só é adicionada a um modelo Audi, após ele receber pesadas modificações voltadas exclusivamente para o desempenho.
 
Estilo
 
Certamente, o visual de um modelo RS é também diferenciado. Assim, grandes aberturas de ar no para-choque dianteiro, grade dianteira preta brilhante e para-lamas traseiros alargados dão o tom esportivo.
 
Na traseira, o difusor de ar abriga nas extremidades duas enormes saídas de escape com formato oval. O modelo também recebeu diversas aplicações em alumínio fosco e um spoiler de teto.
 
Interior
 
O acabamento é primoroso, com uso de couro Alcântara nos bancos, vários elementos em aço escovado e fibra de carbono em partes do painel e laterais de porta. O volante tem a base achatada e os bancos trazem desenho esportivo. O preto predomina inclusive no teto. O carro usa chave presencial. Então a partida é feita por um botão posicionado ao lado direito da alavanca do câmbio (próximo ao passageiro).
 
O espaço interno é muito bom considerando a enorme distância de mais de 2,9 metros no entre-eixos. Entretanto, vale destacar que o carro tem apenas quatro lugares. No centro do banco traseiro, existe um porta-objetos. E sem abrir mão do conforto, o ar-condicionado traseiro é digital e automático, com mais duas zonas. O carro vem com sistema de quatro zonas. O espaço para as bagagens é generoso, com 565 litros até a altura dos vidros. E a tampa do compartimento, abre e fecha por comando elétrico.
 
Motor V8 biturbo
 
O destaque da perua é o poderoso moto r V8 biturbo. Sua potência máxima é de 560 cavalos, obtida entre de 5.700 a 6.600 rpm. Além disso, ele entrega impressionantes 71,4 kgfm de torque (entre 1.750 a 5.500 rpm). Com duplo turbo, o moto r utiliza uma construção interessante. Conhecido como “V” quente, a admissão do ar é feita pela parte externa do bloco, enquanto a exaustão e as duas turbinas, ficam na parte interna do V.
 
Claro que esse moto r conta com todas as tecnologias de ponta da Audi, como sistema Valvelift (que varia a elevação das válvulas para otimizar a quantidade de combustível na câmara de combustão), gerenciamento térmico inteligente e sistema de injeção direta de combustível. Ainda assim, a RS6 trazida para o Brasil, não oferece o sistema Star-Stop, disponível em ampla gama de modelos da marca.
 
Porém, o moto r traz uma solução voltada para a eficiência no consumo. O moto r V8 da RS6 conta com o sistema de “cilindro sob demanda” (COD). Em velocidade de cruzeiro, ela desliga metade dos cilindros. Assim, as válvulas de admissão e escape dos cilindros 2,3,5 e 8 permanecem fechadas. Desta forma, ele opera como um moto r quatro cilindros (como um V4) até que o moto rista acelere novamente.
 
Na estrada, o COD permite ao modelo chegar à quase 10 km/l. Nesse regime suave, à 120 km/h, são menos de 2 mil RPM em oitava marcha. Um aviso é mostrado no painel, quando o computador de bordo esta no modo de consumo instantâneo. Mas o sistema não faz milagres. Na cidade, é difícil conseguir uma média superior a 5 km/l.
 
É importante ressaltar, que a ativação e desativação são tão suaves que não são percebidas pelo moto rista. Na RS6, os coxins ativos compensam toda e qualquer vibração, deixando a operação transparente.
 
Os cilindros são desativados pelo desligamento da ignição e da injeção de combustível. As válvulas são fechadas eletromagneticamente. Antes disso acontecer, as câmaras de combustão são preenchidas com ar para reduzir a contra pressão interna nos cilindros. No RS6 Avant, a economia chega à cinco por cento no ciclo NEDC. Entretanto, dirigindo de forma moderada, a economia pode chegar até 20 por cento.
 
Tração permanente Quattro
 
A tração integral também é muito eficiente. Ainda que a Audi não goste muito de abordar o tema, a RS6 traz a melhor topologia do sistema Quattro. Nos carros com moto r transversal (A3, Q3, TT) a tração Quattro é prioritariamente dianteira. Um sistema de embreagem multidisco acopla o eixo traseiro, sob demanda.
 
Já nos carros com moto r longitudinal (caso da RS6), o sistema Quattro utiliza a topologia tradicional que consagrou a Audi no mundo. Assim, a tração é integral e permanente nas quatro rodas, todo o tempo. Além disso, a tração é prioritariamente maior nas rodas traseiras. Quando solicitado, o sistema pode transferir até 70% da tração para as rodas dianteiras, afim de assegurar máxima mobilidade. Em situações de máxima demanda, com piso seco, o sistema joga até 85% da força para as rodas de trás.
 
É justamente o sistema de tração Quattro na Audi RS6, que assegura o máximo de eficiência nas acelerações. Um dos principais concorrentes são os modelos M da BMW . Porém, esses só oferecem tração traseira. Em situações extremas de aceleração, um carro de tração traseira, tende a patinar muito mais as rodas. Na RS6, com a tração integral, essa perda é mínima. Mesmo com o controle de estabilidade eletrônico desligado, é difícil perder tração, durante uma aceleração em reta!
 
Câmbio Tiptronic de 8 marchas
 
O câmbio automático com oito marchas da RS6 foi especificamente desenvolvido para essa versão. Ele traz as marchas mais curtas, e acionamento mais rápido das engrenagens internas, focando sempre o máximo de performance. Além do modo automático, existe o modo esportivo e de seleção manual das marchas (seja pela alavanca seletora, ou nos shiftpaddles do volante).
 
Como a RS6 traz o moto r mais potente da Audi no mundo, não foi possível utilizar a transmissão S-Tronic (robotizada de dupla embreagem) de 7 marchas que equipa o esportivo R8. O motivo é simples: torque demais do moto r V8 biturbo. Dessa forma, a transmissão automática de oito marchas, é a única que aguenta o tranco dessa usina de força.
 
Outro detalhe importante do câmbio da RS6 é o DSP. Trata-se de sete programas automáticos, que adaptam o funcionamento do câmbio, ao estilo de condução do moto rista, automaticamente. Inclusive, existem dois programas específicos para subida e descida de serra, evitando que o carro fique muito solto, ou faça trocas excessivas de marchas.
 
Suspensão e diferencial traseiro modificados
 
A RS6 também traz de série uma suspensão esportiva batizada de Dynamic Ride Control (DRC). Ela faz uso de molas convencionais e amortecedores com controle hidráulico ativo. De forma resumida, o DRC, entende o que o carro esta fazendo, e vai ajustando cada um dos amortecedores para a situação. Numa curva forte para esquerda, o DRC “contrai” os amortecedores do lado esquerdo, impedindo que a carroceria levante na parte interna da curva. Ao mesmo tempo, o DRC aumenta a pressão nos amortecedores do lado direito, impedindo que a carroceria abaixe demais.
 
Outro equipamento interessante é o diferencial traseiro esportivo. Num carro de tração traseira normal, o diferencial sempre vai mandar mais torque para a roda que tem menor aderência com o piso. E sistemas de auxílio, vão tentar compensar isso, limitando o giro excessivo dessa roda. Na RS6 com o diferencial esportivo, a situação será completamente diferente.
 
Usando um complexo sistema eletro-hidráulico, o diferencial esportivo vai mandar sempre o maior torque, para a roda com maior aderência. Não há perda de potência, com a roda de menor tração. Usando o exemplo da curva para a esquerda, o diferencial esportivo entendendo a inclinação do carro e menor tração na roda traseira esquerda, direciona a maior força para a roda traseira da direita!
 
Audi Drive Select
 
A Audi RS6 traz de série o sistema Audi Drive Select, que controla o funcionamento do acelerador, da direção assistida, da operação do moto r e câmbio, do controle da suspensão e do som do escapamento. O moto rista pode optar entre os modos Comfort, Auto, Dynamic e Individual ao toque de um botão. O modo individual permite ao moto rista especificar seu próprio perfil, com suas regulagens preferidas.
 
E justamente com esse recurso, a RS6 se transforma totalmente. No modo Comfort, a RS6 se torna um carro perfeitamente urbano. No modo conforto, ele permite maior passagem de óleo entre as câmaras dos amortecedores, deixando o carro bastante suave. E isso, mesmo considerando que estamos falando de superesportivo com rodas de 21 polegadas e pneu de perfil 30! A direção com assistência elétrica também fica mais leve. A resposta do acelerador fica menos sensível e o moto r e câmbio operam de forma mais suave.
 
Por outro lado, com o Drive Select no modo Dynamic a suspensão endurece instantaneamente. O carro se transforma num Kart, deixando o moto rista sentir qualquer desnível no chão. Além disso, a direção ganha mais peso. O acelerador fica bastante sensível e as trocas de marcha são feitas com maior rapidez, além do moto r ficar mais bravo.
 
Escapamento sonoro
 
Uma das características do moto r V8 biturbo é sua sonoridade modulável, que intensifica a experiência ao volante do carro. Quando o RS6 é conduzido de forma esportiva, o moto r responde com maior agilidade ao comando do acelerador, promovendo automaticamente breves aceleradas durante as trocas de marchas, que permitem criar um efeito sonoro diferenciado. Além disso, os flaps internos que controlam o som do escapamento, abrem em alta rotação, e amplificam ainda mais o nível de ruído do veículo, passando a sensação de esportividade extrema. Já numa condução suave, o som do escapamento faz menos barulho.
 
Freios com discos cerâmicos
 
Na RS6 Plus, que tem velocidade máxima de 305 km/h, o sistema de freio incorpora discos cerâmicos de série! Engana-se quem imagina que o sistema cerâmico freia “MAIS” que os discos de metal. Eles freiam exatamente a mesma coisa. Isso porque, o limite de frenagem não é dado pelos discos, e sim pelo atrito do pneu com o solo. Então a RS6 com ou sem discos cerâmicos, freia exatamente a mesma coisa.
 
A diferença esta no tempo em que o sistema cerâmico vai manter a eficiência de frenagem, antes de entrar em “fading” (situação de superaquecimento). Nos discos de metal, o fading acontece muito antes, perdendo a eficiência na frenagem. Já o sistema cerâmico, assegura a mesma eficiência por muito mais tempo.
 
Mais Equipamentos
 
Claro que a RS6 contempla uma generosa lista de equipamentos de série. Entre eles podemos destacar o controle da pressão dos pneus, soleiras iluminadas, bancos esportivos (com lateral pronunciada e apoios de cabeça integrados) incluindo o revestimento em couro Alcântara.
 
Outros equipamentos disponíveis são o sistema de navegação MMI Plus com MMI Touch, o Head-up Display além de um completíssimo computador de bordo.
 
Destaque para o sistema de som Bang & Olufsen, com 15 alto-falantes e 1.200 watts de potência. Quando o rádio é ligado, os twitters do painel se levantam automaticamente! A qualidade acústica é impresionante, mesmo para os audiófilos.
 
O sistema multimedia ainda garante plena conectividade. Ele traz conectividade bluetooth para o telefone, e conexão Wi-Fi. O sistema é tão completo, que o usuário pode inserir um SIM Card (de celular) diretamente no carro, e usar uma linha diretamente no veículo. Caso essa linha tenha um pacote de dados ativo, é possível distribuir a conexão por Wi-Fi, para outros usuários dentro do carro e navegar utilizando o Google Earth sobre as informações do navegador.
 
Junto com o sistema de navegação que exibe mapas em 3D, existe um disco rígido que pode armazenar músicas e vídeos diretamente no automóvel. O sistema pode copiar as informações diretamente do DVD, do CD, dos SD Cards e até dos equipamentos conectados via interface AMI (por cabo). Pra finalizar, o multimedia vem com uma tela de 10 polegadas retrátil, que também é compatível com o sistema de TV digital brasileira.
 
Faróis Full Led
 
Outro diferencial da RS6 são os faróis dianteiros Full Led! A solução usada pela Audi é realmente inteligente. Diferente de soluções dos concorrentes BMW e Mercedes, a Audi utiliza um grande conjunto de blocos de LEDs. Assim, cada bloco individual de LED é otimizado para uma determinada função. Na função de farol baixo, um conjunto de leds se acende para produzir a iluminação ideal. Quando é acionado o alto, outro conjunto de leds, como foco de longa distância é acionado. E quando é necessário um farol de curto alcance (em neblina ou chuva) parte dos leds do farol baixo se apagam, e um outro conjunto suplementar de leds, de curto alcance, ilumina as laterais próximas da dianteira. Assim, o carro não precisa ter faróis auxiliares, e mantém uma iluminação perfeita em todas as condições. E como os blocos dos leds são fixos, não existe a possibilidade de falhas na operação de moto res elétricos de ajuste de foco (presentes nos sistemas de Xenon autodirecionais e faróis de LEDs dos modelos concorrentes).
 
Além disso, o Farol Full Led tem acendimento instantâneo, com máxima luminosidade. Não precisa aquecer e estabilizar a cor, como acontece no Xenon. Por fim, o Led gasta menos energia e dura mais que o Xenon.
 
Algumas questões
 
Ainda que a RS6 seja um verdadeiro espetáculo sobre quatro rodas, existem alguns detalhes que merecem ser observados. Pra começar, nessa categoria de carro, existem modelos concorrentes que trazem um acabamento interior ainda mais requintado. Modelos da BMW M e Mercedes AMG vem com os painéis também forrados em couro, com costura dupla (indisponível na RS6).
 
Os pneus da RS6 são de tecnologia convencional (o Runflat não está disponível). Então, o dono da RS6 ganha uma quinta roda (exatamente igual as de rodagem) que fica “passeando” como estepe na parte traseira do carro, e roubando parte do espaço do porta-malas.
 
Ainda que o sistema de som seja eficientíssimo, não existe um equalizador gráfico de bandas. Os ajustes disponíveis na RS6 são graves, agudos, subwoofer e nível de espacialização. Não dá para ajustar os sons médios, por exemplo. Quando comparamos as configurações dos sistemas digitais da RS6, com uma BMW M5 (por exemplo), observamos que o carro da Audi oferece menos opções de configurações avançadas de recursos.
 
Mercado
 
A Audi trouxe um lote de apenas 30 unidades da RS6 Super Plus, num pacote único, para comercializar até o final de 2014. A grande magia da RS6 está no fato de unir desempenho digno de Ferrari, espaço de uma perua e a dirigibilidade de um sedan num mesmo carro! E faz isso com muito luxo e sofisticação. O preço do carro é igualmente exclusivo, com valor sugerido de R$ 600 mil!
 
Ficha Técnica
 
Motor dianteiro e transversal V8 Biturbo
Cilindrada: 3.993 cm3
Potência: 560 cv de 5.700 a 6.600 rpm;
Torque: 71,4 kgfm de 1.750 rpm a 5.500 rpm;
Transmissão: automática de oito marchas
Tração Quattro com diferencial traseiro esportivo;
Suspensão: Independente com amortecedores ativos
Freios: Discos com kit cerêmico
Rodas: 21 polegadas com pneus 285/30 R21;
Peso: 2.010 kg;
Aceleração 0 a 100 km/h: 3,9 s
Velocidade máxima: 305 km/h
 
Dimensões:
comprimento 4.979 mm,
largura 1.936 mm,
altura 1.461 mm,
entreeixos 2.915 mm

Avaliações < Voltar
Avaliação: A fantástica Audi RS6
 

Avaliação: A fantástica Audi RS6

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

A perua mais rápida do mundo, que vai à 305 km/h

28 de Setembro de 2014

Por Jorge Augusto
Fotos: Marcelo Alexandre
Vídeo: Eduardo Gregoriis
 
Lançada na Europa em maio de 2013, a RS6 Avant 2014 é considerada a perua mais veloz do mundo. E justamente por isso, trata-se de uma perua bastante diferenciada. Na verdade, estamos falando de um carro para competição, que também é uma perua. E nessa avaliação do Comprecar, trazemos todos os detalhes dessa fantástica perua de corrida!
 
A atual geração ficou ainda mais eficiente que o modelo antecessor. Só pra começar, estamos falando de um veículo que acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,9 segundos, e tem velocidade máxima 305 km/h, limitada eletronicamente!
 
O grande destaque fica por conta do moto r 4,0 litros TFSI V8 biturbo, que entrega potência de 560 cv. Em conjunto, uma transmissão Tiptronic de 8 marchas (fornecida pela ZF) e a tração integral Quattro. Para se ter uma ideia de evolução, o RS6 antecessor (lançado em Frankfurt em 2007) contava com moto r 5 litros - V10 biturbo de 580 cavalos, e acelerava até 100 km/h em 4,6 segundos.
 
O novo RS6 vem com câmbio automático ZF e função Tiptronic de 8 marchas, com opção de seleção manual na alavanca seletora ou nos shift-paddles (borboletas) localizados no volante.
 
A Sigla RS na Audi
 
Para quem ainda não sabe, a sigla RS (de RennSport em alemão) representa sempre a versão mais potente, de um modelo de série. Então, a RS6 é a versão superesportiva da perua A6 Avant.
 
Do alemão literal “corrida esportiva”, essa sigla só é adicionada a um modelo Audi, após ele receber pesadas modificações voltadas exclusivamente para o desempenho.
 
Estilo
 
Certamente, o visual de um modelo RS é também diferenciado. Assim, grandes aberturas de ar no para-choque dianteiro, grade dianteira preta brilhante e para-lamas traseiros alargados dão o tom esportivo.
 
Na traseira, o difusor de ar abriga nas extremidades duas enormes saídas de escape com formato oval. O modelo também recebeu diversas aplicações em alumínio fosco e um spoiler de teto.
 
Interior
 
O acabamento é primoroso, com uso de couro Alcântara nos bancos, vários elementos em aço escovado e fibra de carbono em partes do painel e laterais de porta. O volante tem a base achatada e os bancos trazem desenho esportivo. O preto predomina inclusive no teto. O carro usa chave presencial. Então a partida é feita por um botão posicionado ao lado direito da alavanca do câmbio (próximo ao passageiro).
 
O espaço interno é muito bom considerando a enorme distância de mais de 2,9 metros no entre-eixos. Entretanto, vale destacar que o carro tem apenas quatro lugares. No centro do banco traseiro, existe um porta-objetos. E sem abrir mão do conforto, o ar-condicionado traseiro é digital e automático, com mais duas zonas. O carro vem com sistema de quatro zonas. O espaço para as bagagens é generoso, com 565 litros até a altura dos vidros. E a tampa do compartimento, abre e fecha por comando elétrico.
 
Motor V8 biturbo
 
O destaque da perua é o poderoso moto r V8 biturbo. Sua potência máxima é de 560 cavalos, obtida entre de 5.700 a 6.600 rpm. Além disso, ele entrega impressionantes 71,4 kgfm de torque (entre 1.750 a 5.500 rpm). Com duplo turbo, o moto r utiliza uma construção interessante. Conhecido como “V” quente, a admissão do ar é feita pela parte externa do bloco, enquanto a exaustão e as duas turbinas, ficam na parte interna do V.
 
Claro que esse moto r conta com todas as tecnologias de ponta da Audi, como sistema Valvelift (que varia a elevação das válvulas para otimizar a quantidade de combustível na câmara de combustão), gerenciamento térmico inteligente e sistema de injeção direta de combustível. Ainda assim, a RS6 trazida para o Brasil, não oferece o sistema Star-Stop, disponível em ampla gama de modelos da marca.
 
Porém, o moto r traz uma solução voltada para a eficiência no consumo. O moto r V8 da RS6 conta com o sistema de “cilindro sob demanda” (COD). Em velocidade de cruzeiro, ela desliga metade dos cilindros. Assim, as válvulas de admissão e escape dos cilindros 2,3,5 e 8 permanecem fechadas. Desta forma, ele opera como um moto r quatro cilindros (como um V4) até que o moto rista acelere novamente.
 
Na estrada, o COD permite ao modelo chegar à quase 10 km/l. Nesse regime suave, à 120 km/h, são menos de 2 mil RPM em oitava marcha. Um aviso é mostrado no painel, quando o computador de bordo esta no modo de consumo instantâneo. Mas o sistema não faz milagres. Na cidade, é difícil conseguir uma média superior a 5 km/l.
 
É importante ressaltar, que a ativação e desativação são tão suaves que não são percebidas pelo moto rista. Na RS6, os coxins ativos compensam toda e qualquer vibração, deixando a operação transparente.
 
Os cilindros são desativados pelo desligamento da ignição e da injeção de combustível. As válvulas são fechadas eletromagneticamente. Antes disso acontecer, as câmaras de combustão são preenchidas com ar para reduzir a contra pressão interna nos cilindros. No RS6 Avant, a economia chega à cinco por cento no ciclo NEDC. Entretanto, dirigindo de forma moderada, a economia pode chegar até 20 por cento.
 
Tração permanente Quattro
 
A tração integral também é muito eficiente. Ainda que a Audi não goste muito de abordar o tema, a RS6 traz a melhor topologia do sistema Quattro. Nos carros com moto r transversal (A3, Q3, TT) a tração Quattro é prioritariamente dianteira. Um sistema de embreagem multidisco acopla o eixo traseiro, sob demanda.
 
Já nos carros com moto r longitudinal (caso da RS6), o sistema Quattro utiliza a topologia tradicional que consagrou a Audi no mundo. Assim, a tração é integral e permanente nas quatro rodas, todo o tempo. Além disso, a tração é prioritariamente maior nas rodas traseiras. Quando solicitado, o sistema pode transferir até 70% da tração para as rodas dianteiras, afim de assegurar máxima mobilidade. Em situações de máxima demanda, com piso seco, o sistema joga até 85% da força para as rodas de trás.
 
É justamente o sistema de tração Quattro na Audi RS6, que assegura o máximo de eficiência nas acelerações. Um dos principais concorrentes são os modelos M da BMW . Porém, esses só oferecem tração traseira. Em situações extremas de aceleração, um carro de tração traseira, tende a patinar muito mais as rodas. Na RS6, com a tração integral, essa perda é mínima. Mesmo com o controle de estabilidade eletrônico desligado, é difícil perder tração, durante uma aceleração em reta!
 
Câmbio Tiptronic de 8 marchas
 
O câmbio automático com oito marchas da RS6 foi especificamente desenvolvido para essa versão. Ele traz as marchas mais curtas, e acionamento mais rápido das engrenagens internas, focando sempre o máximo de performance. Além do modo automático, existe o modo esportivo e de seleção manual das marchas (seja pela alavanca seletora, ou nos shiftpaddles do volante).
 
Como a RS6 traz o moto r mais potente da Audi no mundo, não foi possível utilizar a transmissão S-Tronic (robotizada de dupla embreagem) de 7 marchas que equipa o esportivo R8. O motivo é simples: torque demais do moto r V8 biturbo. Dessa forma, a transmissão automática de oito marchas, é a única que aguenta o tranco dessa usina de força.
 
Outro detalhe importante do câmbio da RS6 é o DSP. Trata-se de sete programas automáticos, que adaptam o funcionamento do câmbio, ao estilo de condução do moto rista, automaticamente. Inclusive, existem dois programas específicos para subida e descida de serra, evitando que o carro fique muito solto, ou faça trocas excessivas de marchas.
 
Suspensão e diferencial traseiro modificados
 
A RS6 também traz de série uma suspensão esportiva batizada de Dynamic Ride Control (DRC). Ela faz uso de molas convencionais e amortecedores com controle hidráulico ativo. De forma resumida, o DRC, entende o que o carro esta fazendo, e vai ajustando cada um dos amortecedores para a situação. Numa curva forte para esquerda, o DRC “contrai” os amortecedores do lado esquerdo, impedindo que a carroceria levante na parte interna da curva. Ao mesmo tempo, o DRC aumenta a pressão nos amortecedores do lado direito, impedindo que a carroceria abaixe demais.
 
Outro equipamento interessante é o diferencial traseiro esportivo. Num carro de tração traseira normal, o diferencial sempre vai mandar mais torque para a roda que tem menor aderência com o piso. E sistemas de auxílio, vão tentar compensar isso, limitando o giro excessivo dessa roda. Na RS6 com o diferencial esportivo, a situação será completamente diferente.
 
Usando um complexo sistema eletro-hidráulico, o diferencial esportivo vai mandar sempre o maior torque, para a roda com maior aderência. Não há perda de potência, com a roda de menor tração. Usando o exemplo da curva para a esquerda, o diferencial esportivo entendendo a inclinação do carro e menor tração na roda traseira esquerda, direciona a maior força para a roda traseira da direita!
 
Audi Drive Select
 
A Audi RS6 traz de série o sistema Audi Drive Select, que controla o funcionamento do acelerador, da direção assistida, da operação do moto r e câmbio, do controle da suspensão e do som do escapamento. O moto rista pode optar entre os modos Comfort, Auto, Dynamic e Individual ao toque de um botão. O modo individual permite ao moto rista especificar seu próprio perfil, com suas regulagens preferidas.
 
E justamente com esse recurso, a RS6 se transforma totalmente. No modo Comfort, a RS6 se torna um carro perfeitamente urbano. No modo conforto, ele permite maior passagem de óleo entre as câmaras dos amortecedores, deixando o carro bastante suave. E isso, mesmo considerando que estamos falando de superesportivo com rodas de 21 polegadas e pneu de perfil 30! A direção com assistência elétrica também fica mais leve. A resposta do acelerador fica menos sensível e o moto r e câmbio operam de forma mais suave.
 
Por outro lado, com o Drive Select no modo Dynamic a suspensão endurece instantaneamente. O carro se transforma num Kart, deixando o moto rista sentir qualquer desnível no chão. Além disso, a direção ganha mais peso. O acelerador fica bastante sensível e as trocas de marcha são feitas com maior rapidez, além do moto r ficar mais bravo.
 
Escapamento sonoro
 
Uma das características do moto r V8 biturbo é sua sonoridade modulável, que intensifica a experiência ao volante do carro. Quando o RS6 é conduzido de forma esportiva, o moto r responde com maior agilidade ao comando do acelerador, promovendo automaticamente breves aceleradas durante as trocas de marchas, que permitem criar um efeito sonoro diferenciado. Além disso, os flaps internos que controlam o som do escapamento, abrem em alta rotação, e amplificam ainda mais o nível de ruído do veículo, passando a sensação de esportividade extrema. Já numa condução suave, o som do escapamento faz menos barulho.
 
Freios com discos cerâmicos
 
Na RS6 Plus, que tem velocidade máxima de 305 km/h, o sistema de freio incorpora discos cerâmicos de série! Engana-se quem imagina que o sistema cerâmico freia “MAIS” que os discos de metal. Eles freiam exatamente a mesma coisa. Isso porque, o limite de frenagem não é dado pelos discos, e sim pelo atrito do pneu com o solo. Então a RS6 com ou sem discos cerâmicos, freia exatamente a mesma coisa.
 
A diferença esta no tempo em que o sistema cerâmico vai manter a eficiência de frenagem, antes de entrar em “fading” (situação de superaquecimento). Nos discos de metal, o fading acontece muito antes, perdendo a eficiência na frenagem. Já o sistema cerâmico, assegura a mesma eficiência por muito mais tempo.
 
Mais Equipamentos
 
Claro que a RS6 contempla uma generosa lista de equipamentos de série. Entre eles podemos destacar o controle da pressão dos pneus, soleiras iluminadas, bancos esportivos (com lateral pronunciada e apoios de cabeça integrados) incluindo o revestimento em couro Alcântara.
 
Outros equipamentos disponíveis são o sistema de navegação MMI Plus com MMI Touch, o Head-up Display além de um completíssimo computador de bordo.
 
Destaque para o sistema de som Bang & Olufsen, com 15 alto-falantes e 1.200 watts de potência. Quando o rádio é ligado, os twitters do painel se levantam automaticamente! A qualidade acústica é impresionante, mesmo para os audiófilos.
 
O sistema multimedia ainda garante plena conectividade. Ele traz conectividade bluetooth para o telefone, e conexão Wi-Fi. O sistema é tão completo, que o usuário pode inserir um SIM Card (de celular) diretamente no carro, e usar uma linha diretamente no veículo. Caso essa linha tenha um pacote de dados ativo, é possível distribuir a conexão por Wi-Fi, para outros usuários dentro do carro e navegar utilizando o Google Earth sobre as informações do navegador.
 
Junto com o sistema de navegação que exibe mapas em 3D, existe um disco rígido que pode armazenar músicas e vídeos diretamente no automóvel. O sistema pode copiar as informações diretamente do DVD, do CD, dos SD Cards e até dos equipamentos conectados via interface AMI (por cabo). Pra finalizar, o multimedia vem com uma tela de 10 polegadas retrátil, que também é compatível com o sistema de TV digital brasileira.
 
Faróis Full Led
 
Outro diferencial da RS6 são os faróis dianteiros Full Led! A solução usada pela Audi é realmente inteligente. Diferente de soluções dos concorrentes BMW e Mercedes, a Audi utiliza um grande conjunto de blocos de LEDs. Assim, cada bloco individual de LED é otimizado para uma determinada função. Na função de farol baixo, um conjunto de leds se acende para produzir a iluminação ideal. Quando é acionado o alto, outro conjunto de leds, como foco de longa distância é acionado. E quando é necessário um farol de curto alcance (em neblina ou chuva) parte dos leds do farol baixo se apagam, e um outro conjunto suplementar de leds, de curto alcance, ilumina as laterais próximas da dianteira. Assim, o carro não precisa ter faróis auxiliares, e mantém uma iluminação perfeita em todas as condições. E como os blocos dos leds são fixos, não existe a possibilidade de falhas na operação de moto res elétricos de ajuste de foco (presentes nos sistemas de Xenon autodirecionais e faróis de LEDs dos modelos concorrentes).
 
Além disso, o Farol Full Led tem acendimento instantâneo, com máxima luminosidade. Não precisa aquecer e estabilizar a cor, como acontece no Xenon. Por fim, o Led gasta menos energia e dura mais que o Xenon.
 
Algumas questões
 
Ainda que a RS6 seja um verdadeiro espetáculo sobre quatro rodas, existem alguns detalhes que merecem ser observados. Pra começar, nessa categoria de carro, existem modelos concorrentes que trazem um acabamento interior ainda mais requintado. Modelos da BMW M e Mercedes AMG vem com os painéis também forrados em couro, com costura dupla (indisponível na RS6).
 
Os pneus da RS6 são de tecnologia convencional (o Runflat não está disponível). Então, o dono da RS6 ganha uma quinta roda (exatamente igual as de rodagem) que fica “passeando” como estepe na parte traseira do carro, e roubando parte do espaço do porta-malas.
 
Ainda que o sistema de som seja eficientíssimo, não existe um equalizador gráfico de bandas. Os ajustes disponíveis na RS6 são graves, agudos, subwoofer e nível de espacialização. Não dá para ajustar os sons médios, por exemplo. Quando comparamos as configurações dos sistemas digitais da RS6, com uma BMW M5 (por exemplo), observamos que o carro da Audi oferece menos opções de configurações avançadas de recursos.
 
Mercado
 
A Audi trouxe um lote de apenas 30 unidades da RS6 Super Plus, num pacote único, para comercializar até o final de 2014. A grande magia da RS6 está no fato de unir desempenho digno de Ferrari, espaço de uma perua e a dirigibilidade de um sedan num mesmo carro! E faz isso com muito luxo e sofisticação. O preço do carro é igualmente exclusivo, com valor sugerido de R$ 600 mil!
 
Ficha Técnica
 
Motor dianteiro e transversal V8 Biturbo
Cilindrada: 3.993 cm3
Potência: 560 cv de 5.700 a 6.600 rpm;
Torque: 71,4 kgfm de 1.750 rpm a 5.500 rpm;
Transmissão: automática de oito marchas
Tração Quattro com diferencial traseiro esportivo;
Suspensão: Independente com amortecedores ativos
Freios: Discos com kit cerêmico
Rodas: 21 polegadas com pneus 285/30 R21;
Peso: 2.010 kg;
Aceleração 0 a 100 km/h: 3,9 s
Velocidade máxima: 305 km/h
 
Dimensões:
comprimento 4.979 mm,
largura 1.936 mm,
altura 1.461 mm,
entreeixos 2.915 mm

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!