Revista Comprecar
ANFAVEA divulga seu balanço mensal
Produção de autoveículos supera 300 mil unidades, em setembro
07 de Outubro de 2014

A produção de autoveículos em setembro superou as 300 mil unidades pela primeira vez no ano, segundo dados divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Auto moto res. As 300,8 mil unidades produzidas em Setembro, representam alta de 13,7% sobre agosto passado, quando saíram das linhas de montagem 264,6 mil produtos.
 
No comparativo com setembro do ano passado, que registrou produção de 322,4 mil unidades, o resultado é de baixa de 6,7%, enquanto o desempenho dos nove meses transcorridos deste ano aponta retração de 16,8% – 2,38 milhões em 2014 e 2,87 milhões no ano passado.
 
Na avaliação do presidente da Anfavea, os resultados registrados até agora confirmam a tendência de melhoria do segundo semestre com relação ao primeiro: “Ainda precisamos esperar o próximo mês, mas o vetor agora aponta para crescimento, tanto é que setembro foi melhor que agosto em produção e licenciamento. As medidas de estímulo ao crédito começaram a surtir efeito ao longo do mês e esperamos que se intensifiquem ainda mais no último trimestre do ano”.
 
No licenciamento o aumento foi de 8,7% ao se comparar as 296,3 mil unidades de setembro com as 272,5 mil de agosto de 2014. Na análise com setembro do ano passado a retração foi de 4,4%, frente os 309,9 mil veículos comercializados naquele mês. No período acumulado de 2014, a queda é de 9,1% quando comparadas as 2,53 milhões de unidades deste ano com as 2,78 milhões em 2013.
 
As exportações em setembro deste ano, com 26,7 mil unidades, recuaram 15,6% quando comparado com as 31,7 mil do mês anterior e retraíram 41,2% ante as 45,4 mil unidades de setembro do ano passado. No acumulado do ano, 262 mil produtos deixaram o País, menor em 38,5% frente as 425,9 mil unidades de 2013.
 
Caminhões e ônibus
 
A produção no segmento de caminhões ficou 1,5% abaixo – foram 11,8 mil em setembro e 12 mil em agosto. No comparativo com setembro do ano passado, quando foram produzidos 16,9 mil caminhões, o decréscimo é de 30,3%. Nos nove primeiros meses de 2014 a baixa é de 23,6% – 112 mil este ano e 146,6 mil em 2013.
 
Já o licenciamento de caminhões em setembro fechou com 11,2 mil unidades, aumento de 3,7% em relação as 10,8 mil de agosto. Há redução, porém, na análise com o mesmo período do ano passado, quando foram vendidas 12,7 mil unidades, o que indica queda de 11,9%. Nestes nove meses foram comercializados 99 mil caminhões, 13,9% inferior os 115,1 mil do ano passado.
 
Foram exportados até setembro 13,9 mil produtos, retração de 23,5% com relação as 18,2 mil unidades de 2013. Na comparação mês a mês, 1,6 mil caminhões deixaram o País, 6,3% a menos do que as 1,7 mil de agosto e 11,9% menor do que as 1,8 mil de setembro de 2013.
 
Já as exportações de ônibus em setembro registraram crescimento de 24,1% – foram 577 unidades no nono mês do ano e 465 em agosto – e decréscimo de 36% frente as 902 unidades de setembro do ano passado. No acumulado, o setor apresentou baixa de 28,3%, quando defrontadas as 4,9 mil unidades de 2014 com as 6,8 mil de 2013.
 
Ainda no período acumulado, a produção de chassis de ônibus diminuiu 12,2% este ano: 27,8 mil unidades em 2014 e 31,6 mil em 2013. Ao comparar setembro contra agosto, o setor registrou contração de 2,8% com 2,7 mil e 2,8 mil veículos fabricados e queda de 8,9% na análise contra o mesmo período do ano passado, com 3 mil unidades.
 
O licenciamento de ônibus apresentou estabilidade na análise de setembro ante agosto, ambos com 2,2 mil produtos. Já com relação as 2,7 mil unidades de setembro de 2013 a baixa é de 19,5%, enquanto no acumulado a retração é de 16,8% – quase 20 mil este ano e 24 mil em 2013.
 
Frota de veículos
 
A Anfavea também apresentou estudo sobre o comportamento do licenciamento e da frota de autoveículos no Brasil nos últimos anos. O trabalho reforça o potencial de crescimento de mercado do País ao mostrar que o Brasil possui 5,4 habitantes por veículo, número superior do que os 3,7 da Argentina, 3,6 do México, 1,7 da Alemanha e 1,3 dos Estados Unidos.
 
Além disso, de uma lista de dez países com mais de dez milhões de veículos em sua frota, o Brasil fica em segundo lugar, atrás apenas da China, como o país que mais apresentou aumento em sua frota de 2007 a 2012 – o salto brasileiro foi de 7,8%.
 
Segundo o presidente da Anfavea, o Brasil demonstra por meio destes números sua importância no contexto global: “Estes são claramente alguns dos indicadores de grande relevância na hora de um fabricante decidir investir em uma fábrica no País, pois demonstram que o potencial de crescimento brasileiro é muito alto. E este crescimento ocorre em todas as Regiões e Estados”.
 
A pesquisa mostra ainda a evolução do licenciamento no Brasil dividido por capitais e municípios do interior de cada região. Como exemplo, na Região Sudeste as vendas nas capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Vitória subiram 22,9% de 2007 a 2013, enquanto que nas cidades do interior no mesmo período o acréscimo foi de 57,9%.
 
Em outra perspectiva, o mesmo estudo mostra ainda que 99,3% do total de 5.570 municípios brasileiros cresceram em vendas acima da média brasileira, que entre 2007 e 2013 foi de 53%. Outro ponto abordado pelo estudo é que na cidade de São Paulo, única com mais de 10 milhões de habitantes, o licenciamento aumentou 6% no período, enquanto que nas cidades com população de mais de 100 mil até 500 mil apresentaram crescimento de 73% e em lugares com até 5 mil pessoas a alta foi de 142%.

Notícias < Voltar
 

ANFAVEA divulga seu balanço mensal

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Produção de autoveículos supera 300 mil unidades, em setembro

07 de Outubro de 2014

A produção de autoveículos em setembro superou as 300 mil unidades pela primeira vez no ano, segundo dados divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Auto moto res. As 300,8 mil unidades produzidas em Setembro, representam alta de 13,7% sobre agosto passado, quando saíram das linhas de montagem 264,6 mil produtos.
 
No comparativo com setembro do ano passado, que registrou produção de 322,4 mil unidades, o resultado é de baixa de 6,7%, enquanto o desempenho dos nove meses transcorridos deste ano aponta retração de 16,8% – 2,38 milhões em 2014 e 2,87 milhões no ano passado.
 
Na avaliação do presidente da Anfavea, os resultados registrados até agora confirmam a tendência de melhoria do segundo semestre com relação ao primeiro: “Ainda precisamos esperar o próximo mês, mas o vetor agora aponta para crescimento, tanto é que setembro foi melhor que agosto em produção e licenciamento. As medidas de estímulo ao crédito começaram a surtir efeito ao longo do mês e esperamos que se intensifiquem ainda mais no último trimestre do ano”.
 
No licenciamento o aumento foi de 8,7% ao se comparar as 296,3 mil unidades de setembro com as 272,5 mil de agosto de 2014. Na análise com setembro do ano passado a retração foi de 4,4%, frente os 309,9 mil veículos comercializados naquele mês. No período acumulado de 2014, a queda é de 9,1% quando comparadas as 2,53 milhões de unidades deste ano com as 2,78 milhões em 2013.
 
As exportações em setembro deste ano, com 26,7 mil unidades, recuaram 15,6% quando comparado com as 31,7 mil do mês anterior e retraíram 41,2% ante as 45,4 mil unidades de setembro do ano passado. No acumulado do ano, 262 mil produtos deixaram o País, menor em 38,5% frente as 425,9 mil unidades de 2013.
 
Caminhões e ônibus
 
A produção no segmento de caminhões ficou 1,5% abaixo – foram 11,8 mil em setembro e 12 mil em agosto. No comparativo com setembro do ano passado, quando foram produzidos 16,9 mil caminhões, o decréscimo é de 30,3%. Nos nove primeiros meses de 2014 a baixa é de 23,6% – 112 mil este ano e 146,6 mil em 2013.
 
Já o licenciamento de caminhões em setembro fechou com 11,2 mil unidades, aumento de 3,7% em relação as 10,8 mil de agosto. Há redução, porém, na análise com o mesmo período do ano passado, quando foram vendidas 12,7 mil unidades, o que indica queda de 11,9%. Nestes nove meses foram comercializados 99 mil caminhões, 13,9% inferior os 115,1 mil do ano passado.
 
Foram exportados até setembro 13,9 mil produtos, retração de 23,5% com relação as 18,2 mil unidades de 2013. Na comparação mês a mês, 1,6 mil caminhões deixaram o País, 6,3% a menos do que as 1,7 mil de agosto e 11,9% menor do que as 1,8 mil de setembro de 2013.
 
Já as exportações de ônibus em setembro registraram crescimento de 24,1% – foram 577 unidades no nono mês do ano e 465 em agosto – e decréscimo de 36% frente as 902 unidades de setembro do ano passado. No acumulado, o setor apresentou baixa de 28,3%, quando defrontadas as 4,9 mil unidades de 2014 com as 6,8 mil de 2013.
 
Ainda no período acumulado, a produção de chassis de ônibus diminuiu 12,2% este ano: 27,8 mil unidades em 2014 e 31,6 mil em 2013. Ao comparar setembro contra agosto, o setor registrou contração de 2,8% com 2,7 mil e 2,8 mil veículos fabricados e queda de 8,9% na análise contra o mesmo período do ano passado, com 3 mil unidades.
 
O licenciamento de ônibus apresentou estabilidade na análise de setembro ante agosto, ambos com 2,2 mil produtos. Já com relação as 2,7 mil unidades de setembro de 2013 a baixa é de 19,5%, enquanto no acumulado a retração é de 16,8% – quase 20 mil este ano e 24 mil em 2013.
 
Frota de veículos
 
A Anfavea também apresentou estudo sobre o comportamento do licenciamento e da frota de autoveículos no Brasil nos últimos anos. O trabalho reforça o potencial de crescimento de mercado do País ao mostrar que o Brasil possui 5,4 habitantes por veículo, número superior do que os 3,7 da Argentina, 3,6 do México, 1,7 da Alemanha e 1,3 dos Estados Unidos.
 
Além disso, de uma lista de dez países com mais de dez milhões de veículos em sua frota, o Brasil fica em segundo lugar, atrás apenas da China, como o país que mais apresentou aumento em sua frota de 2007 a 2012 – o salto brasileiro foi de 7,8%.
 
Segundo o presidente da Anfavea, o Brasil demonstra por meio destes números sua importância no contexto global: “Estes são claramente alguns dos indicadores de grande relevância na hora de um fabricante decidir investir em uma fábrica no País, pois demonstram que o potencial de crescimento brasileiro é muito alto. E este crescimento ocorre em todas as Regiões e Estados”.
 
A pesquisa mostra ainda a evolução do licenciamento no Brasil dividido por capitais e municípios do interior de cada região. Como exemplo, na Região Sudeste as vendas nas capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Vitória subiram 22,9% de 2007 a 2013, enquanto que nas cidades do interior no mesmo período o acréscimo foi de 57,9%.
 
Em outra perspectiva, o mesmo estudo mostra ainda que 99,3% do total de 5.570 municípios brasileiros cresceram em vendas acima da média brasileira, que entre 2007 e 2013 foi de 53%. Outro ponto abordado pelo estudo é que na cidade de São Paulo, única com mais de 10 milhões de habitantes, o licenciamento aumentou 6% no período, enquanto que nas cidades com população de mais de 100 mil até 500 mil apresentaram crescimento de 73% e em lugares com até 5 mil pessoas a alta foi de 142%.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!