Revista Comprecar
Avaliação: Duster Oroch 2.0 Dynamique
Picape une o melhor de dois mundos, tendo como diferencial o custo-benefício
Avaliação: Duster Oroch 2.0 Dynamique
14 de Dezembro de 2015

A Renault realmente surpreendeu todo o mercado com o lançamento da sua picape Oroch. Inaugurando um segmento inédito, a marca conseguiu fazer a leitura que muitos clientes de picapes, precisavam de mais conforto e espaço do que aquele oferecido nas picapes compactas (Saveiro e Strada), porém não acham práticas ou funcionais as picapes médias (S10, Hilux, Amarok, etc.) para um uso cotidiano.
 
Dessa forma, a Renault inaugurou um segmento onde o cliente tem paixão (e até certa necessidade) por uma picape, porém não quer abrir mão do conforto, praticidade e facilidade que um crossover oferece, principalmente nas cidades. E esse foi o motivo da Renault criar a Duster Oroch.
 
Depois do sucesso arrasador dos crossovers (incluindo o próprio Duster), ficou claro que muitos clientes procuravam um veículo resistente e espaçoso, e ao mesmo tempo prático com dirigibilidade agradável, mesmo para o público feminino. E foi exatamente isso que a Renault fez com a Duster Oroch. Ela tem 4,69 m de comprimento, o que a deixa 22 cm mais longa que a Strada de três portas, e 65 cm mais curta que a Chevrolet S10 cabine dupla, líderes de suas categorias. A Oroch cria um novo segmento intermediário, que será trilhado sozinho até a chegada da Fiat Toro, que deve ser lançada em fevereiro do ano que vem.
 
Derivada do Duster, a picape Oroch mantém algumas boas características do Duster. Pra começar, a Oroch conta com tração dianteira (em picapes médias a tração é quase sempre traseira ou integral). Outro ponto que ajuda muito no conforto é o fato da Oroch ser construída sobre monobloco (picapes médias usam cabine sobre chassi). Além dessas características, a picape Oroch ainda conta com um importante trunfo. Por ser derivada do Duster, a picape também herdou a eficiente suspensão traseira independente Multilink. E se isso tudo não fosse suficiente, a Duster Oroch também ganhou maior entre-eixos, em relação ao Duster.
 
Entre o Duster e a Oroch, as dimensões são diferentes. A Oroch é 36,4 cm mais longa (4,69 m) e seu entre-eixos é 15,5 cm maior (2,82 m). O fato de ela ser uma picape resulta em tensões e necessidades estruturais diferentes das de um SUV ou crossover. O esforço estrutural adicional não trata apenas da maior capacidade de carga (650 kg, contra 493 kg do Duster), mas sim de o fato de esta carga ficar mais distante do eixo traseiro (note que a marca o deslocou para trás o quanto possível) e de ela poder ficar concentrada em poucos apoios, como no caso do transporte de uma moto .
 
Como o veículo é bem mais longo que o Duster, e o peso da carga pode eventualmente estar mais na extremidade, a Oroch apresenta a dianteira 40 mm mais baixa que o crossover, resultando em um ângulo de ataque com diferença pouco superior a 4 graus (ângulo de entrada 26º, de saída 19,9º com 206 mm de altura livre) Desta forma, com carga máxima a picape permanece nivelada. Mas isso não se traduz em uma suspensão dianteira rebaixada. Para preservar o curso, as molas e amortecedores frontais foram redesenhados. As cargas também são diferentes. Com isso tudo, a receita da Renault realmente funcionou para sua nova picape.
 
Interior
 
Quem já teve a oportunidade de andar num Duster, vai notar grande familiaridade com a Duster Oroch. Aliás, da porta traseira para frente, ambos os modelos são muito parecidos. A diferença aparece expressivamente em toda a parte traseira, incluindo o assoalho, caçamba, e parte da estrutura da cabine. Esta similaridade entre os veículos deixam eles bem parecidos.
 
A picape Oroch tem ótimo espaço interno. Além disso, o banco do moto rista fica numa posição mais elevada, típica de um crossover. Ao entrar na Oroch, a sensação é de total familiaridade com o Duster. É tudo igual: painel, volante, manopla de câmbio. A única diferença é o acabamento dos bancos, pois até mesmo sua estrutura e o ponto H (altura da junção do assento com o encosto) dos dianteiros é igual ao do crossover. 
 
Já no modelo 2016, a Oroch trouxe algumas mudanças, como o cluster com três instrumentos (conta-giros, velocímetro e mostrador digital de combustível e computador de bordo), black piano no acabamento do console central e nos apoios de braço, e novos bancos e tecidos.
 
Por conta do novo assoalho reforçado e da caçamba, o banco traseiro ficou um pouco mais alto e o encosto ficou cinco graus mais ereto em relação ao Duster. Por outro lado agora há três cintos de três pontos atrás. O espaço traseiro é bom para três adultos de 1,75 m ou dois de pouco mais de 1,80 m. Apesar de mais estreito lateralmente, o espaço para os joelhos e vertical é bastante parecido com o de picapes médias, como a S10 e a Amarok. Nisso a carroceria monobloco apresenta uma boa vantagem, pois geralmente os passageiros de trás ficam com os joelhos um pouco altos devido à presença do chassi embaixo.
 
Caçamba ampla
 
A caçamba vem de fábrica com proteção de série. Ela tem 1.175 mm de largura e 1.350 mm de profundidade, possui oito pontos de fixação (cada um suportando 50 kg) e sua tampa (com chave) suporta até 80 kg. Um acessório para transporte de moto s"> moto s é o extensor de caçamba que a aumenta em 603 mm sobre os 1.350 mm originais, totalizando 306 litros extras. O estepe fica sob o assoalho traseiro, e para liberá-lo é necessário usar a chave do veículo e deixar a tampa aberta.
 
Motor e câmbio
 
A picape Oroch 2.0 vem equipada com o mesmo moto r flex do Duster. Ele produz de 143/148 cavalos de potência máxima, com torque máximo de 20,2/20,9 kgfm a 4.000 rpm.
 
Detalhe importante que a picape Oroch, por enquanto, não tem a opção de tração 4x4 ou câmbio automático (presentes no Duster) Então, apenas com câmbio manual de seis marchas, a Oroch 2.0 acelera de 0 a 100 km/h em 9,7 s (com etanol) e chega a máxima de 186 km/h. A versão Dynamique 2.0 pesa 1.346 kg, em ordem de marcha e sem carga.
 
Segundo o INMETRO, a Oroch é classificada como veículo comercial. Por conta disso, ela recebe classificação “A” em sua categoria, com consumo médio de 6,4 e 7,3 km/l no etanol (cidade/estrada) e 9,2 e 10,8 km/l com gasolina. Para uma picape, e com esse tamanho, o número não é ruim.
 
Dirigibilidade
 
Ao volante, a Oroch se comporta de maneira bastante parecida ao Duster. Ou seja, lembra bastante um carro médio. E isso é uma grande vantagem, pois não dá aquela sensação de estar dirigindo um caminhão, como acontece em picapes médias.
 
A parte interessante na Oroch é o fato do moto rista poder passar mais sobre lombadas e pisos irregulares, sem medo de raspar ou bater alguma coisa na picape. O perfil alto dos pneus Michelin LTX Force 215/65 R16 também ajuda bastante na absorção de falhas, como buracos e tartarugas. A suspensão traseira independente se mostra um diferencial entre as picapes, evitando oscilações laterais em irregularidades no chão, especialmente em curvas. Aliás, o nível de conforto ao volante é até superior ao observado na picape compacta Fiat Strada (que tem suspensão traseira semi-independente).
 
O moto r 2.0 litros garante boa agilidade, em especial na cidade. O moto rista não vai notar falta de força ou agilidade em baixas velocidades. Na estrada, o conjunto também é suficiente para uma viagem confortável, inclusive em estradas de serra, onde ultrapassagens são necessárias.
 
Equipamentos
 
A Duster Oroch está disponível em três versões de acabamento. A Expression vem com moto r 1,6 litro e Dynamique com moto res 1,6 litro e 2,0 litros. A parte interessante é que não existe Oroch “pelada”. Desde a versão básica, a Oroch traz o essencial para conforto e comodidade. Faz parte do pacote básico Expression: ar-condicionado manual; banco do moto rista com regulagem de altura; direção hidráulica; protetor de caçamba; travas elétricas; quatro vidros com acionamento elétrico; volante com regulagem de altura; luzes diurnas; roda de liga-leve de 16 polegadas; rádio com CD-Player, entrada USB + Bluetooth; comandos de áudio na coluna de direção; trancamento automático das portas e alarme. Como opcional na Duster Oroch Expression está o “Pack Plus” que acrescenta retrovisores elétricos e faróis de neblina.
 
O pacote Dynamique é exatamente igual em equipamentos, independente da opção do moto r 1.6 ou 2.0 litros. Ele acrescenta: central multimedia Media NAV Evolution; computador de bordo de 10 funções; faróis de neblina; volante revestido em couro; pneus de uso misto; rodas de alumínio escurecidas; indicador de temperatura externa; controle de cruzeiro com limitador de velocidade.
 
Para conhecer mais detalhes da Central multimedia Media Nav Evolution, que equipa a Duster Oroch Dynamique, clique aqui.
 
Mais informações sobre ofertas, e condições de venda da Duster Oroch, podem ser obtidas em: www.ofertasvalec.com.br

Avaliações < Voltar
Avaliação: Duster Oroch 2.0 Dynamique
 

Avaliação: Duster Oroch 2.0 Dynamique

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Picape une o melhor de dois mundos, tendo como diferencial o custo-benefício

14 de Dezembro de 2015

A Renault realmente surpreendeu todo o mercado com o lançamento da sua picape Oroch. Inaugurando um segmento inédito, a marca conseguiu fazer a leitura que muitos clientes de picapes, precisavam de mais conforto e espaço do que aquele oferecido nas picapes compactas (Saveiro e Strada), porém não acham práticas ou funcionais as picapes médias (S10, Hilux, Amarok, etc.) para um uso cotidiano.
 
Dessa forma, a Renault inaugurou um segmento onde o cliente tem paixão (e até certa necessidade) por uma picape, porém não quer abrir mão do conforto, praticidade e facilidade que um crossover oferece, principalmente nas cidades. E esse foi o motivo da Renault criar a Duster Oroch.
 
Depois do sucesso arrasador dos crossovers (incluindo o próprio Duster), ficou claro que muitos clientes procuravam um veículo resistente e espaçoso, e ao mesmo tempo prático com dirigibilidade agradável, mesmo para o público feminino. E foi exatamente isso que a Renault fez com a Duster Oroch. Ela tem 4,69 m de comprimento, o que a deixa 22 cm mais longa que a Strada de três portas, e 65 cm mais curta que a Chevrolet S10 cabine dupla, líderes de suas categorias. A Oroch cria um novo segmento intermediário, que será trilhado sozinho até a chegada da Fiat Toro, que deve ser lançada em fevereiro do ano que vem.
 
Derivada do Duster, a picape Oroch mantém algumas boas características do Duster. Pra começar, a Oroch conta com tração dianteira (em picapes médias a tração é quase sempre traseira ou integral). Outro ponto que ajuda muito no conforto é o fato da Oroch ser construída sobre monobloco (picapes médias usam cabine sobre chassi). Além dessas características, a picape Oroch ainda conta com um importante trunfo. Por ser derivada do Duster, a picape também herdou a eficiente suspensão traseira independente Multilink. E se isso tudo não fosse suficiente, a Duster Oroch também ganhou maior entre-eixos, em relação ao Duster.
 
Entre o Duster e a Oroch, as dimensões são diferentes. A Oroch é 36,4 cm mais longa (4,69 m) e seu entre-eixos é 15,5 cm maior (2,82 m). O fato de ela ser uma picape resulta em tensões e necessidades estruturais diferentes das de um SUV ou crossover. O esforço estrutural adicional não trata apenas da maior capacidade de carga (650 kg, contra 493 kg do Duster), mas sim de o fato de esta carga ficar mais distante do eixo traseiro (note que a marca o deslocou para trás o quanto possível) e de ela poder ficar concentrada em poucos apoios, como no caso do transporte de uma moto .
 
Como o veículo é bem mais longo que o Duster, e o peso da carga pode eventualmente estar mais na extremidade, a Oroch apresenta a dianteira 40 mm mais baixa que o crossover, resultando em um ângulo de ataque com diferença pouco superior a 4 graus (ângulo de entrada 26º, de saída 19,9º com 206 mm de altura livre) Desta forma, com carga máxima a picape permanece nivelada. Mas isso não se traduz em uma suspensão dianteira rebaixada. Para preservar o curso, as molas e amortecedores frontais foram redesenhados. As cargas também são diferentes. Com isso tudo, a receita da Renault realmente funcionou para sua nova picape.
 
Interior
 
Quem já teve a oportunidade de andar num Duster, vai notar grande familiaridade com a Duster Oroch. Aliás, da porta traseira para frente, ambos os modelos são muito parecidos. A diferença aparece expressivamente em toda a parte traseira, incluindo o assoalho, caçamba, e parte da estrutura da cabine. Esta similaridade entre os veículos deixam eles bem parecidos.
 
A picape Oroch tem ótimo espaço interno. Além disso, o banco do moto rista fica numa posição mais elevada, típica de um crossover. Ao entrar na Oroch, a sensação é de total familiaridade com o Duster. É tudo igual: painel, volante, manopla de câmbio. A única diferença é o acabamento dos bancos, pois até mesmo sua estrutura e o ponto H (altura da junção do assento com o encosto) dos dianteiros é igual ao do crossover. 
 
Já no modelo 2016, a Oroch trouxe algumas mudanças, como o cluster com três instrumentos (conta-giros, velocímetro e mostrador digital de combustível e computador de bordo), black piano no acabamento do console central e nos apoios de braço, e novos bancos e tecidos.
 
Por conta do novo assoalho reforçado e da caçamba, o banco traseiro ficou um pouco mais alto e o encosto ficou cinco graus mais ereto em relação ao Duster. Por outro lado agora há três cintos de três pontos atrás. O espaço traseiro é bom para três adultos de 1,75 m ou dois de pouco mais de 1,80 m. Apesar de mais estreito lateralmente, o espaço para os joelhos e vertical é bastante parecido com o de picapes médias, como a S10 e a Amarok. Nisso a carroceria monobloco apresenta uma boa vantagem, pois geralmente os passageiros de trás ficam com os joelhos um pouco altos devido à presença do chassi embaixo.
 
Caçamba ampla
 
A caçamba vem de fábrica com proteção de série. Ela tem 1.175 mm de largura e 1.350 mm de profundidade, possui oito pontos de fixação (cada um suportando 50 kg) e sua tampa (com chave) suporta até 80 kg. Um acessório para transporte de moto s"> moto s é o extensor de caçamba que a aumenta em 603 mm sobre os 1.350 mm originais, totalizando 306 litros extras. O estepe fica sob o assoalho traseiro, e para liberá-lo é necessário usar a chave do veículo e deixar a tampa aberta.
 
Motor e câmbio
 
A picape Oroch 2.0 vem equipada com o mesmo moto r flex do Duster. Ele produz de 143/148 cavalos de potência máxima, com torque máximo de 20,2/20,9 kgfm a 4.000 rpm.
 
Detalhe importante que a picape Oroch, por enquanto, não tem a opção de tração 4x4 ou câmbio automático (presentes no Duster) Então, apenas com câmbio manual de seis marchas, a Oroch 2.0 acelera de 0 a 100 km/h em 9,7 s (com etanol) e chega a máxima de 186 km/h. A versão Dynamique 2.0 pesa 1.346 kg, em ordem de marcha e sem carga.
 
Segundo o INMETRO, a Oroch é classificada como veículo comercial. Por conta disso, ela recebe classificação “A” em sua categoria, com consumo médio de 6,4 e 7,3 km/l no etanol (cidade/estrada) e 9,2 e 10,8 km/l com gasolina. Para uma picape, e com esse tamanho, o número não é ruim.
 
Dirigibilidade
 
Ao volante, a Oroch se comporta de maneira bastante parecida ao Duster. Ou seja, lembra bastante um carro médio. E isso é uma grande vantagem, pois não dá aquela sensação de estar dirigindo um caminhão, como acontece em picapes médias.
 
A parte interessante na Oroch é o fato do moto rista poder passar mais sobre lombadas e pisos irregulares, sem medo de raspar ou bater alguma coisa na picape. O perfil alto dos pneus Michelin LTX Force 215/65 R16 também ajuda bastante na absorção de falhas, como buracos e tartarugas. A suspensão traseira independente se mostra um diferencial entre as picapes, evitando oscilações laterais em irregularidades no chão, especialmente em curvas. Aliás, o nível de conforto ao volante é até superior ao observado na picape compacta Fiat Strada (que tem suspensão traseira semi-independente).
 
O moto r 2.0 litros garante boa agilidade, em especial na cidade. O moto rista não vai notar falta de força ou agilidade em baixas velocidades. Na estrada, o conjunto também é suficiente para uma viagem confortável, inclusive em estradas de serra, onde ultrapassagens são necessárias.
 
Equipamentos
 
A Duster Oroch está disponível em três versões de acabamento. A Expression vem com moto r 1,6 litro e Dynamique com moto res 1,6 litro e 2,0 litros. A parte interessante é que não existe Oroch “pelada”. Desde a versão básica, a Oroch traz o essencial para conforto e comodidade. Faz parte do pacote básico Expression: ar-condicionado manual; banco do moto rista com regulagem de altura; direção hidráulica; protetor de caçamba; travas elétricas; quatro vidros com acionamento elétrico; volante com regulagem de altura; luzes diurnas; roda de liga-leve de 16 polegadas; rádio com CD-Player, entrada USB + Bluetooth; comandos de áudio na coluna de direção; trancamento automático das portas e alarme. Como opcional na Duster Oroch Expression está o “Pack Plus” que acrescenta retrovisores elétricos e faróis de neblina.
 
O pacote Dynamique é exatamente igual em equipamentos, independente da opção do moto r 1.6 ou 2.0 litros. Ele acrescenta: central multimedia Media NAV Evolution; computador de bordo de 10 funções; faróis de neblina; volante revestido em couro; pneus de uso misto; rodas de alumínio escurecidas; indicador de temperatura externa; controle de cruzeiro com limitador de velocidade.
 
Para conhecer mais detalhes da Central multimedia Media Nav Evolution, que equipa a Duster Oroch Dynamique, clique aqui.
 
Mais informações sobre ofertas, e condições de venda da Duster Oroch, podem ser obtidas em: www.ofertasvalec.com.br

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!