Revista Comprecar
Avaliação: Fiat Punto T-Jet
O esportivo “de verdade” mais barato do Brasil
Avaliação: Fiat Punto T-Jet
16 de Agosto de 2014

Por Jorge Augusto
FOTOS: Marcelo Alexandre

O Punto já é um velho conhecido do brasileiro. Sua última reestilização aconteceu no final de 2012. Na oportunidade, a Fiat fez uma “plástica” no carro para deixá-lo mais atraente visualmente. O Punto é um carro com boas variantes na sua gama e dá para encontrar o carro com vários moto res. Mas a versão “sensação” do carro é indiscutivelmente a T-Jet. E nessa matéria, trazemos a avaliação do esportivo de verdade, mais barato do Brasil.
 
Estilo
 
Primeiramente, estamos falando de um carro que traz um interessante diferencial de imagem. Tanto os para-choques dianteiro e traseiro tem design esportivo, utilizando partes na cor da carroceria e outras em preto fosco. Os para-choques trazem também recortes que imitam entradas e saídas de ar, além de guias aerodinâmicas. Também são utilizadas minissaias laterais para dar a sensação de “largura”.
 
Os detalhes vão além com capas dos retrovisores externos em cinza fosco, revestimento das colunas em preto e spoiler traseiro. Ainda no visual, a série vem com rodas em liga leve de 17 polegadas com pintura exclusiva e diamantada. Os desenhos dos raios das rodas lembram uma chave de boca, e deixam aparente a pinça de freio pintada em vermelho. Concluindo as diferenças visuais tem-se as faixas laterais e a sigla T-Jet nas laterais e traseira.
 
Interior
 
Por dentro, a versão também tem identidade própria. O Punto T-Jet traz parte do painel dianteiro com revestimento que imita a cor da carroceria. No carro avaliado, essa parte vinha em amarelo, acompanhando a cor externa. Outro destaque está nos bancos. Além do formato anatômico e acabamento esportivo, a costura contrasta com a forração em couro. O volante e as alavancas do câmbio e freio de mão, também trazem esse tipo de acabamento. Os pedais são em alumínio, como o descansa pé do lado esquerdo.
 
Motor e câmbio
 
A grande sensação do carro é o eficiente moto r 1,4 litro – 16v turbo à gasolina. Esse é o mesmo moto r que equipa o Bravo T-Jet, e já equipou o Linea T-Jet. Tal moto r que atende ao conceito de “downsizing”. Embora pareça pequeno, ele atinge potência máxima de 152 cavalos a 5.500 rpm, e tem torque máximo de 21,1 kgfm entre 2.250 e 4.500 rpm. A principal vantagem da utilização de um moto r pequeno é a redução do consumo de combustível, sem prejuízo na potência.
 
Junto com esse moto r, a Fiat entrega um câmbio manual de 5 marchas. Não existe a opção de câmbio automático ou robotizado no Punto T-Jet. Afinal, o foco é a esportividade de verdade.
 
Desempenho
 
Certamente o Punto T-Jet não faz feio! Muita gente vai achar o carro incrivelmente divertido para dirigir. Sua aceleração de 0 à 100 acontece em apenas 8,4 segundos (mais rápido que qualquer outro sedan 2,0 litros aspirado do mercado brasileiro). A velocidade máxima também é interessante, com 203 km/h.
 
Mesmo sendo um carro de proposta esportiva, o Punto T-Jet surpreende na economia de combustível. Quando dirigido de forma suave na estrada (velocidade média de 110 km/h) com ar condicionado ligado, o carro consegue a interessante média de 14 km/l de gasolina. Em uso normal dentro da cidade, a média fica acima de 9 km/l. O consumo só aumenta quando o moto rista pisa pra valer no acelerador. E nesse caso, o carro retribui com muita diversão.
 
Dirigibilidade
 
Bem diferente de muitos carros que são fantasiados de esportivos, o Punto T-Jet é um “brinquedo” divertido para quem curte a sensação de pilotar. Além do moto r turbo, o Punto T-Jet traz outras modificações mecânicas. A suspensão é mais baixa e dura, quando comparada as demais versões do Punto. O escapamento também tem modificações para deixar o som mais grave, e esportivo. Por fim, os pneus de medida 205/50 R17, dão mais estabilidade ao carro.
 
O conjunto do Punto T-Jet é interessante. O moto rista fica numa posição confortável, auxiliada pelo ajuste de altura e profundidade do volante, e do banco do com regulagem de altura. O volante tem um desenho anatômico e boa empunhadura. A verdadeira diversão aparece no momento de dar a partida e acelerar o carro. O carro é “nervozinho”. A direção apesar da assistência hidráulica, não é tão suave. Isso até ajuda na sensação de esportividade. O acelerador responde muito bem, e deixa o carro ágil.
 
O que mais encanta na dirigibilidade é a sensação do carro mais firme. Manobras rápidas são possíveis, sem aquela sensação da carroceria inclinar. Em resumo, o Punto T-Jet lembra um kart! O carro é ideal para quem viaja bastante, e gosta de uma estrada. Mas se o objetivo foi dirigir suavemente no dia a dia, o Punto T-Jet ainda conseguirá entregar um nível de conforto razoável, não cansando muito o moto rista que passa mais tempo na cidade.
 
As duas únicas coisas que fazem falta no T-Jet, são um controle de estabilidade eletrônico ou um controle de tração. Como o carro é “espertinho”, em algumas situações de curva com pé embaixo, a frente do carro escapa um pouco. Então, é preciso habilidade do moto rista para levar o carro no limite do moto r.
 
Equipamentos
 
Como uma série diferenciada, o Punto T-Jet inclui alguns recursos para tornar o carro mais sofisticado. Pra começar, de série, o carro vem com rádio compatível com CD e arquivos no formato MP3 totalmente integrado ao painel. O sistema ainda inclui uma entrada USB (dentro do porta-luvas). O detalhe dessa entrada é que ao lado dela, existe uma prateleira para acomodar uma MP3 e uma entrada tipo P2.
 
Outros equipamentos presentes de série são: sensor de estacionamento traseiro, vidros com comandos elétricos, Chave canivete com telecomando, ar-condicionado manual, duplo airbag e freios com ABS.
 
Outro equipamento interessante, e presente de série, é o Seletor DNA. Através de um botão instalado ao lado da alavanca de câmbio, o condutor pode escolher entre três modos de direção: (D)inâmico, que privilegia o desempenho, (N)ormal e (A)utonomia, que possibilita maior economia de combustível. O que esse sistema faz, na prática, é mudar a cartografia do acelerador (a forma como o carro responde) e a gestão das trocas de marcha. Dessa forma, é possível mudar o comportamento dinâmico do carro. No modo dinâmico, o pedal do acelerador fica muito sensível, Então, qualquer toquinho, já faz o carro “pular”. No modo de autonomia, o pedal fica bem menos sensível, privilegiando a economia. Ainda que o botão não faça o carro andar mais na prática, ele dá a real sensação do carro ficar mais arisco!
 
O Punto T-Jet ainda pode receber uma ampla gama de equipamentos, como: o teto solar elétrico skydome (que ocupa quase toda a área do teto); o sistema Blue&Me NAV(que permite dar instruções por voz ao sistema de som); um pacote tecnológico que inclui ar-condicionado automático digital, retrovisor interno eletrocrômico, sensor crepuscular e sensor de chuva e um também um kit complementar de air-bags com side bags e window bags.
 
Preço e mercado
 
O Punto T-Jet está disponível apenas nas cores Preto Vesúvio, Branco Banchisa, Azul Maserati, Vermelho Modena e Amarelo Interlagos. O Punto T-Jet tem preço inicial de R$ 62,4 mil. Porém, com todos os opcionais o preço sobre para R$ 75 mil.
 
Segundo Marco Aurélio (gerente comercial do grupo Fiat Tempo), o Punto T-Jet tem um cliente bastante específico. Tipicamente são homens (mais de 80% dos compradores), com idade entre 20 e 50 anos. Esse cliente está buscando, antes de qualquer coisa, por esportividade. Em segundo lugar, ele valoriza bastante o visual diferenciado do carro. Segundo Aurélio, os compradores do Punto T-Jet, em geral, são apaixonados por automobilismo e competições. Boa parte deles, já tiveram contato com um Kart, por exemplo. O gerente conclui dizendo: Incluindo os clientes mais velhos, que tem o Punto T-Jet como segundo carro, fazem a escolha pelo modelo justamente para ter um carro para os momentos mais “divertidos” atrás do volante.

Avaliações < Voltar
Avaliação: Fiat Punto T-Jet
 

Avaliação: Fiat Punto T-Jet

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

O esportivo “de verdade” mais barato do Brasil

16 de Agosto de 2014

Por Jorge Augusto
FOTOS: Marcelo Alexandre

O Punto já é um velho conhecido do brasileiro. Sua última reestilização aconteceu no final de 2012. Na oportunidade, a Fiat fez uma “plástica” no carro para deixá-lo mais atraente visualmente. O Punto é um carro com boas variantes na sua gama e dá para encontrar o carro com vários moto res. Mas a versão “sensação” do carro é indiscutivelmente a T-Jet. E nessa matéria, trazemos a avaliação do esportivo de verdade, mais barato do Brasil.
 
Estilo
 
Primeiramente, estamos falando de um carro que traz um interessante diferencial de imagem. Tanto os para-choques dianteiro e traseiro tem design esportivo, utilizando partes na cor da carroceria e outras em preto fosco. Os para-choques trazem também recortes que imitam entradas e saídas de ar, além de guias aerodinâmicas. Também são utilizadas minissaias laterais para dar a sensação de “largura”.
 
Os detalhes vão além com capas dos retrovisores externos em cinza fosco, revestimento das colunas em preto e spoiler traseiro. Ainda no visual, a série vem com rodas em liga leve de 17 polegadas com pintura exclusiva e diamantada. Os desenhos dos raios das rodas lembram uma chave de boca, e deixam aparente a pinça de freio pintada em vermelho. Concluindo as diferenças visuais tem-se as faixas laterais e a sigla T-Jet nas laterais e traseira.
 
Interior
 
Por dentro, a versão também tem identidade própria. O Punto T-Jet traz parte do painel dianteiro com revestimento que imita a cor da carroceria. No carro avaliado, essa parte vinha em amarelo, acompanhando a cor externa. Outro destaque está nos bancos. Além do formato anatômico e acabamento esportivo, a costura contrasta com a forração em couro. O volante e as alavancas do câmbio e freio de mão, também trazem esse tipo de acabamento. Os pedais são em alumínio, como o descansa pé do lado esquerdo.
 
Motor e câmbio
 
A grande sensação do carro é o eficiente moto r 1,4 litro – 16v turbo à gasolina. Esse é o mesmo moto r que equipa o Bravo T-Jet, e já equipou o Linea T-Jet. Tal moto r que atende ao conceito de “downsizing”. Embora pareça pequeno, ele atinge potência máxima de 152 cavalos a 5.500 rpm, e tem torque máximo de 21,1 kgfm entre 2.250 e 4.500 rpm. A principal vantagem da utilização de um moto r pequeno é a redução do consumo de combustível, sem prejuízo na potência.
 
Junto com esse moto r, a Fiat entrega um câmbio manual de 5 marchas. Não existe a opção de câmbio automático ou robotizado no Punto T-Jet. Afinal, o foco é a esportividade de verdade.
 
Desempenho
 
Certamente o Punto T-Jet não faz feio! Muita gente vai achar o carro incrivelmente divertido para dirigir. Sua aceleração de 0 à 100 acontece em apenas 8,4 segundos (mais rápido que qualquer outro sedan 2,0 litros aspirado do mercado brasileiro). A velocidade máxima também é interessante, com 203 km/h.
 
Mesmo sendo um carro de proposta esportiva, o Punto T-Jet surpreende na economia de combustível. Quando dirigido de forma suave na estrada (velocidade média de 110 km/h) com ar condicionado ligado, o carro consegue a interessante média de 14 km/l de gasolina. Em uso normal dentro da cidade, a média fica acima de 9 km/l. O consumo só aumenta quando o moto rista pisa pra valer no acelerador. E nesse caso, o carro retribui com muita diversão.
 
Dirigibilidade
 
Bem diferente de muitos carros que são fantasiados de esportivos, o Punto T-Jet é um “brinquedo” divertido para quem curte a sensação de pilotar. Além do moto r turbo, o Punto T-Jet traz outras modificações mecânicas. A suspensão é mais baixa e dura, quando comparada as demais versões do Punto. O escapamento também tem modificações para deixar o som mais grave, e esportivo. Por fim, os pneus de medida 205/50 R17, dão mais estabilidade ao carro.
 
O conjunto do Punto T-Jet é interessante. O moto rista fica numa posição confortável, auxiliada pelo ajuste de altura e profundidade do volante, e do banco do com regulagem de altura. O volante tem um desenho anatômico e boa empunhadura. A verdadeira diversão aparece no momento de dar a partida e acelerar o carro. O carro é “nervozinho”. A direção apesar da assistência hidráulica, não é tão suave. Isso até ajuda na sensação de esportividade. O acelerador responde muito bem, e deixa o carro ágil.
 
O que mais encanta na dirigibilidade é a sensação do carro mais firme. Manobras rápidas são possíveis, sem aquela sensação da carroceria inclinar. Em resumo, o Punto T-Jet lembra um kart! O carro é ideal para quem viaja bastante, e gosta de uma estrada. Mas se o objetivo foi dirigir suavemente no dia a dia, o Punto T-Jet ainda conseguirá entregar um nível de conforto razoável, não cansando muito o moto rista que passa mais tempo na cidade.
 
As duas únicas coisas que fazem falta no T-Jet, são um controle de estabilidade eletrônico ou um controle de tração. Como o carro é “espertinho”, em algumas situações de curva com pé embaixo, a frente do carro escapa um pouco. Então, é preciso habilidade do moto rista para levar o carro no limite do moto r.
 
Equipamentos
 
Como uma série diferenciada, o Punto T-Jet inclui alguns recursos para tornar o carro mais sofisticado. Pra começar, de série, o carro vem com rádio compatível com CD e arquivos no formato MP3 totalmente integrado ao painel. O sistema ainda inclui uma entrada USB (dentro do porta-luvas). O detalhe dessa entrada é que ao lado dela, existe uma prateleira para acomodar uma MP3 e uma entrada tipo P2.
 
Outros equipamentos presentes de série são: sensor de estacionamento traseiro, vidros com comandos elétricos, Chave canivete com telecomando, ar-condicionado manual, duplo airbag e freios com ABS.
 
Outro equipamento interessante, e presente de série, é o Seletor DNA. Através de um botão instalado ao lado da alavanca de câmbio, o condutor pode escolher entre três modos de direção: (D)inâmico, que privilegia o desempenho, (N)ormal e (A)utonomia, que possibilita maior economia de combustível. O que esse sistema faz, na prática, é mudar a cartografia do acelerador (a forma como o carro responde) e a gestão das trocas de marcha. Dessa forma, é possível mudar o comportamento dinâmico do carro. No modo dinâmico, o pedal do acelerador fica muito sensível, Então, qualquer toquinho, já faz o carro “pular”. No modo de autonomia, o pedal fica bem menos sensível, privilegiando a economia. Ainda que o botão não faça o carro andar mais na prática, ele dá a real sensação do carro ficar mais arisco!
 
O Punto T-Jet ainda pode receber uma ampla gama de equipamentos, como: o teto solar elétrico skydome (que ocupa quase toda a área do teto); o sistema Blue&Me NAV(que permite dar instruções por voz ao sistema de som); um pacote tecnológico que inclui ar-condicionado automático digital, retrovisor interno eletrocrômico, sensor crepuscular e sensor de chuva e um também um kit complementar de air-bags com side bags e window bags.
 
Preço e mercado
 
O Punto T-Jet está disponível apenas nas cores Preto Vesúvio, Branco Banchisa, Azul Maserati, Vermelho Modena e Amarelo Interlagos. O Punto T-Jet tem preço inicial de R$ 62,4 mil. Porém, com todos os opcionais o preço sobre para R$ 75 mil.
 
Segundo Marco Aurélio (gerente comercial do grupo Fiat Tempo), o Punto T-Jet tem um cliente bastante específico. Tipicamente são homens (mais de 80% dos compradores), com idade entre 20 e 50 anos. Esse cliente está buscando, antes de qualquer coisa, por esportividade. Em segundo lugar, ele valoriza bastante o visual diferenciado do carro. Segundo Aurélio, os compradores do Punto T-Jet, em geral, são apaixonados por automobilismo e competições. Boa parte deles, já tiveram contato com um Kart, por exemplo. O gerente conclui dizendo: Incluindo os clientes mais velhos, que tem o Punto T-Jet como segundo carro, fazem a escolha pelo modelo justamente para ter um carro para os momentos mais “divertidos” atrás do volante.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!