Revista Comprecar
Avaliação: Hilux SRV 4x2 Flex
Ainda vale a pena comprar a geração atual da Hilux?! Confira nossa dica!
Avaliação: Hilux SRV 4x2 Flex
24 de Junho de 2015

No final de 2014, a Toyota fez algumas mudanças na linha de picapes médias. Visando aumentar a sua competitividade na categoria, a Toyota inclui novas versões. Entre as novidades esta a versão SRV Flexfuel com tração 4x2, da Hilux. Essa é uma picape desenhada para um cliente bastante específico. Além disso, essa versão é a única picape média do mercado equipada com uma transmissão automática, acabamento topo de linha e moto r flexfuel.
 
Mas a dúvida que fica é: ainda vale a pena comprar essa picape? Já é sabido que a Toyota oferecerá ainda esse ano a nova geração da Hilux. Para isso, o design será totalmente renovado. Novos para-choques, grade, faróis, lanternas, capô e ainda um novo interior mais luxuoso. Produzida sobre a nova plataforma TNGA (Toyota New Global Architecture), a nova Hilux ganhará também alguns centímetros extras tanto na largura como no entre-eixos.
 
Para a produção da nova geração da picape e de sua derivada SW4, a Toyota já anunciou o investimento de US$ 800 milhões na fábrica da Argentina, de onde os modelos virão diretamente para as concessionárias brasileiras no segundo semestre. Então, como fica a picape atual!?
 
Com a chegada já anunciada da nova geração, os preços das Hilux atuais estão bem baixos nas concessionárias. Então, é comum encontrar picapes com descontos expressivos. Para quem quer fazer um bom negócio, esse pode ser o memento ideal. E a Revista Comprecar traz aqui uma ótima oportunidade.
 
De volta a geração atual da Hilux, essa versão Flex da picape atende um cliente diferente do tradicional. Um fato curioso é que 92% das Hilux à diesel comercializadas, trazem a tração 4x4. Apenas 8% são 4x2. Mas a situação se inverte completamente na Flexfuel. Nesse caso, 92% das Flex são 4x2. Apenas 8% saem equipadas com a tração 4x4. Então, a SRV Flex visa o cliente que precisa de uma picape bastante robusta, mas viaja ou trafega pouco, geralmente em grandes centros ou locais com congestionamento, e não precisam da tração 4x4. Além disso, o principal fator de decisão por essa versão é o custo-benefício, pois a picape custa pouco mais que R$ 100 mil (na tabela).
 
O cliente desse tipo de picape é alguém que trabalha com algum tipo de comércio que exige o transporte de grandes volumes. Podem ser donos de bares, arquitetos, representantes comerciais entre outros. Esse usuário dificilmente vai para regiões de difícil acesso, onde uma tração 4x4 é necessária. E por ficar muito tempo no ambiente da cidade, o diesel também não é uma solução muito prática seja pelo barulho, pela fumaça ou dificuldade de acha-lo em postos de cidade. Existe ainda a questão do conforto ao dirigir, uma vez que o diesel deixa o veículo mais “áspero” e com excesso de vibração. Então, a solução Flex automática é muito mais interessante para quem fica sempre no ambiente urbano.
 
Mas tudo isso não invalida a exemplar capacidade de carga, e resistência da picape da Toyota. Ele tem 5,25m de comprimento com 3,09m de entre-eixos. Mesmo para as aventuras da cidade, como lombadas, valetas, buracos e outros obstáculos, a picape da Toyota supera essas dificuldades como se elas não existissem. O ângulo de ataque da Hilux é de 30 graus e a altura livre em relação ao solo é de 22,2cm. E o ângulo de saída é de 23 graus. Tudo isso para transportar uma carga máxima de até 730 kg.
 
Motor e câmbio
 
A picape da Toyota vem equipada com um moto r 4 cilindros VVT-i Flex de 2,7 litros – 16 v. Sua potência máxima é de 163 cavalos no etanol (@5.000 rpm) e 158 cavalos na gasolina (@5.000 rpm). O torque máximo é sempre de 25 kgfm @ 3.800 rpm. Na versão topo de linha SRV 4x2, esse moto r esta associado a um câmbio automático de quatro marchas.
Essa configuração não beneficia tanto o uso de etanol. Na estrada, a melhor média é de 8 km/l. Na cidade, o consumo cai para 4,5 km/l. Já na gasolina a coisa melhora consideravelmente. Na estrada a média sobre para quase 11 km/l. Enquanto que na cidade, a média é de 7 km/l. Mas como o tanque comporta até 80 litros, a autonomia não é exatamente um problema.
 
Ainda que a tração seja apenas nas rodas traseiras, essa Hilux vem equipada com diferencial traseiro com sistema de escorregamento limitado (LSD). Isso garante que quando uma das rodas comece a perder tração, o diferencial transfira o torque para a outra roda, automaticamente. Além disso, a versão SRV incorpora também freios com ABS e o VSC (controle de estabilidade eletrônico). O VSC ajuda a corrigir a trajetória de picape, em situações onde as rodas começam a perder contato com o solo. Dessa forma o sistema atua através dos freios especificamente na roda que esta girando em falso. E também pode atuar no moto r, limitando a força de tração nas rodas, para garantir a dirigibilidade.
 
Suspensão
 
A Hilux apresenta um conjunto de suspensão realmente resistente e parrudo. A suspensão é dura e pronta pra receber carga pesada na caçamba. O senão disso, é o maior desconforto para usar a picape na cidade, sem carga. Ela tende a “pular” demasiadamente em pisos irregulares.
 
Equipamentos
 
Por se tratar da versão topo de linha SRV, a picape sai muito bem equipada de fábrica. Ela traz vidros elétricos, computador de bordo, direção com assistência hidráulica e ajuste de altura e banco do moto rista com regulagem elétrica. O sistema de ar-condicionado da Toyota é digital e automático de simples zona.
 
Outro destaque da picape é a central multimedia com tela sensível ao toque. O equipamento é bastante completo, mapas elaborados e funções adicionais, incluindo uma que ensina o moto rista a dirigir de forma mais econômica. Além disso, a conectividade na Hilux é muito boa com entrada USB, SD-Card e iPod. Existem também controles do sistema de som no volante. O sistema oferece boa qualidade de áudio graças aos seis alto-falantes presentes no veículo. Essa central ainda conta com recepção de TV no sistema digital e câmera de ré integrada.
 
Outro recurso presente nessa versão é o acendimento automático dos faróis quando a luminosidade cai.
 
Preço
 
A versão SRV 4x2 Flex tem preço sugerido de R$ 111,7 mil. Não existem opcionais nessa picape. A garantia é de 3 anos, sem limite de quilometragem. Pesa a favor dessa picape o excelente valor de revenda, no mercado de usados.
 
Oportunidade de compra em Sorocaba
 
Em Sorocaba, na Toyota Ramires Motors, a Hilux SR-V está com uma condição muito especial para venda. Trata-se da modalidade de compra fácil Toyota. Nela, com uma entrada de R$ 31.200,00 mais 24 parcelas R$ 2.226,00, o cliente já leva a picape para casa. Ai, existirá uma parcela final no valor de R$ 51.950,00.
 
No final do contrato, o cliente tem várias possibilidades, para negociar a parcela final! A primeira é simplesmente quitar a parcela. A segunda e fazer um novo financiamento do valor da parcela. Mas as opções mais interessantes são comprar um carro novo ou ter a “recompra garantida”.
 
No caso de comprar um carro novo, é feita a avaliação da picape, descontado o valor da parcela final. Esse valor, já é a entrada para um novo veículo. Já na opção de recompra garantida, a Toyota garante que a picape não vai valer menos que R$ 51.950,00 (valor da parcela final). Ou seja, o cliente pode devolver a picape e quitar completamente a sua dívida.
 
E além de tudo isso, quem comprar a Hilux SR-V Flex agora, ainda ganha o IPVA totalmente grátis. E isso corresponde a um valor de R$ 2.424,33. Assim, a condição de compra da Hilux SR-V Flex está realmente vantajosa na Toyota Ramires Motors. Mas isso vale apenas para clientes que forem à loja. Mais informações pelo telefone (15) 3224-5444.
 
Para conhecer uma outra oferta da Toyota Ramires Motors, clique moto rs-12884]AQUI![/url]

Avaliações < Voltar
Avaliação: Hilux SRV 4x2 Flex
 

Avaliação: Hilux SRV 4x2 Flex

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Ainda vale a pena comprar a geração atual da Hilux?! Confira nossa dica!

24 de Junho de 2015

No final de 2014, a Toyota fez algumas mudanças na linha de picapes médias. Visando aumentar a sua competitividade na categoria, a Toyota inclui novas versões. Entre as novidades esta a versão SRV Flexfuel com tração 4x2, da Hilux. Essa é uma picape desenhada para um cliente bastante específico. Além disso, essa versão é a única picape média do mercado equipada com uma transmissão automática, acabamento topo de linha e moto r flexfuel.
 
Mas a dúvida que fica é: ainda vale a pena comprar essa picape? Já é sabido que a Toyota oferecerá ainda esse ano a nova geração da Hilux. Para isso, o design será totalmente renovado. Novos para-choques, grade, faróis, lanternas, capô e ainda um novo interior mais luxuoso. Produzida sobre a nova plataforma TNGA (Toyota New Global Architecture), a nova Hilux ganhará também alguns centímetros extras tanto na largura como no entre-eixos.
 
Para a produção da nova geração da picape e de sua derivada SW4, a Toyota já anunciou o investimento de US$ 800 milhões na fábrica da Argentina, de onde os modelos virão diretamente para as concessionárias brasileiras no segundo semestre. Então, como fica a picape atual!?
 
Com a chegada já anunciada da nova geração, os preços das Hilux atuais estão bem baixos nas concessionárias. Então, é comum encontrar picapes com descontos expressivos. Para quem quer fazer um bom negócio, esse pode ser o memento ideal. E a Revista Comprecar traz aqui uma ótima oportunidade.
 
De volta a geração atual da Hilux, essa versão Flex da picape atende um cliente diferente do tradicional. Um fato curioso é que 92% das Hilux à diesel comercializadas, trazem a tração 4x4. Apenas 8% são 4x2. Mas a situação se inverte completamente na Flexfuel. Nesse caso, 92% das Flex são 4x2. Apenas 8% saem equipadas com a tração 4x4. Então, a SRV Flex visa o cliente que precisa de uma picape bastante robusta, mas viaja ou trafega pouco, geralmente em grandes centros ou locais com congestionamento, e não precisam da tração 4x4. Além disso, o principal fator de decisão por essa versão é o custo-benefício, pois a picape custa pouco mais que R$ 100 mil (na tabela).
 
O cliente desse tipo de picape é alguém que trabalha com algum tipo de comércio que exige o transporte de grandes volumes. Podem ser donos de bares, arquitetos, representantes comerciais entre outros. Esse usuário dificilmente vai para regiões de difícil acesso, onde uma tração 4x4 é necessária. E por ficar muito tempo no ambiente da cidade, o diesel também não é uma solução muito prática seja pelo barulho, pela fumaça ou dificuldade de acha-lo em postos de cidade. Existe ainda a questão do conforto ao dirigir, uma vez que o diesel deixa o veículo mais “áspero” e com excesso de vibração. Então, a solução Flex automática é muito mais interessante para quem fica sempre no ambiente urbano.
 
Mas tudo isso não invalida a exemplar capacidade de carga, e resistência da picape da Toyota. Ele tem 5,25m de comprimento com 3,09m de entre-eixos. Mesmo para as aventuras da cidade, como lombadas, valetas, buracos e outros obstáculos, a picape da Toyota supera essas dificuldades como se elas não existissem. O ângulo de ataque da Hilux é de 30 graus e a altura livre em relação ao solo é de 22,2cm. E o ângulo de saída é de 23 graus. Tudo isso para transportar uma carga máxima de até 730 kg.
 
Motor e câmbio
 
A picape da Toyota vem equipada com um moto r 4 cilindros VVT-i Flex de 2,7 litros – 16 v. Sua potência máxima é de 163 cavalos no etanol (@5.000 rpm) e 158 cavalos na gasolina (@5.000 rpm). O torque máximo é sempre de 25 kgfm @ 3.800 rpm. Na versão topo de linha SRV 4x2, esse moto r esta associado a um câmbio automático de quatro marchas.
Essa configuração não beneficia tanto o uso de etanol. Na estrada, a melhor média é de 8 km/l. Na cidade, o consumo cai para 4,5 km/l. Já na gasolina a coisa melhora consideravelmente. Na estrada a média sobre para quase 11 km/l. Enquanto que na cidade, a média é de 7 km/l. Mas como o tanque comporta até 80 litros, a autonomia não é exatamente um problema.
 
Ainda que a tração seja apenas nas rodas traseiras, essa Hilux vem equipada com diferencial traseiro com sistema de escorregamento limitado (LSD). Isso garante que quando uma das rodas comece a perder tração, o diferencial transfira o torque para a outra roda, automaticamente. Além disso, a versão SRV incorpora também freios com ABS e o VSC (controle de estabilidade eletrônico). O VSC ajuda a corrigir a trajetória de picape, em situações onde as rodas começam a perder contato com o solo. Dessa forma o sistema atua através dos freios especificamente na roda que esta girando em falso. E também pode atuar no moto r, limitando a força de tração nas rodas, para garantir a dirigibilidade.
 
Suspensão
 
A Hilux apresenta um conjunto de suspensão realmente resistente e parrudo. A suspensão é dura e pronta pra receber carga pesada na caçamba. O senão disso, é o maior desconforto para usar a picape na cidade, sem carga. Ela tende a “pular” demasiadamente em pisos irregulares.
 
Equipamentos
 
Por se tratar da versão topo de linha SRV, a picape sai muito bem equipada de fábrica. Ela traz vidros elétricos, computador de bordo, direção com assistência hidráulica e ajuste de altura e banco do moto rista com regulagem elétrica. O sistema de ar-condicionado da Toyota é digital e automático de simples zona.
 
Outro destaque da picape é a central multimedia com tela sensível ao toque. O equipamento é bastante completo, mapas elaborados e funções adicionais, incluindo uma que ensina o moto rista a dirigir de forma mais econômica. Além disso, a conectividade na Hilux é muito boa com entrada USB, SD-Card e iPod. Existem também controles do sistema de som no volante. O sistema oferece boa qualidade de áudio graças aos seis alto-falantes presentes no veículo. Essa central ainda conta com recepção de TV no sistema digital e câmera de ré integrada.
 
Outro recurso presente nessa versão é o acendimento automático dos faróis quando a luminosidade cai.
 
Preço
 
A versão SRV 4x2 Flex tem preço sugerido de R$ 111,7 mil. Não existem opcionais nessa picape. A garantia é de 3 anos, sem limite de quilometragem. Pesa a favor dessa picape o excelente valor de revenda, no mercado de usados.
 
Oportunidade de compra em Sorocaba
 
Em Sorocaba, na Toyota Ramires Motors, a Hilux SR-V está com uma condição muito especial para venda. Trata-se da modalidade de compra fácil Toyota. Nela, com uma entrada de R$ 31.200,00 mais 24 parcelas R$ 2.226,00, o cliente já leva a picape para casa. Ai, existirá uma parcela final no valor de R$ 51.950,00.
 
No final do contrato, o cliente tem várias possibilidades, para negociar a parcela final! A primeira é simplesmente quitar a parcela. A segunda e fazer um novo financiamento do valor da parcela. Mas as opções mais interessantes são comprar um carro novo ou ter a “recompra garantida”.
 
No caso de comprar um carro novo, é feita a avaliação da picape, descontado o valor da parcela final. Esse valor, já é a entrada para um novo veículo. Já na opção de recompra garantida, a Toyota garante que a picape não vai valer menos que R$ 51.950,00 (valor da parcela final). Ou seja, o cliente pode devolver a picape e quitar completamente a sua dívida.
 
E além de tudo isso, quem comprar a Hilux SR-V Flex agora, ainda ganha o IPVA totalmente grátis. E isso corresponde a um valor de R$ 2.424,33. Assim, a condição de compra da Hilux SR-V Flex está realmente vantajosa na Toyota Ramires Motors. Mas isso vale apenas para clientes que forem à loja. Mais informações pelo telefone (15) 3224-5444.
 
Para conhecer uma outra oferta da Toyota Ramires Motors, clique moto rs-12884]AQUI![/url]

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!