Revista Comprecar
Avaliação: Honda Civic Si Coupé
Versão esportiva garante muita diversão para o cliente que gosta de pilotar
Avaliação: Honda Civic Si Coupé
08 de Maio de 2016

No final de 2014, a Honda anunciou a volta do seu esportivo ao mercado brasileiro. Totalmente repaginado, e com uma carroceria cupê (duas portas), o novo Civic Si voltou ao mercado para reconquistar um lugar de glória entre os esportivos, com valor de até 150 mil. Mas, com o aumento do dólar, a crise econômica e a degradação da economia, várias montadoras tiveram que rever suas metas e estratégias. E nesse cenário, o novo Civic Si não decolou nas vendas, se tornando um carro de nicho.
 
Num primeiro momento, a Honda vendeu rapidamente todas as 200 unidades disponibilizadas do lote inicial, importadas para o mercado brasileiro. Com o passar do tempo, a marca regularizou o abastecimento do veículo nas concessionárias. Além disso, a degradação da economia e a retração do mercado deixou o Civic Si “esquecido”, pelo potencial cliente. Agora, com o mercado bastante retraído, o consumidor consegue encontrar o Civic Si em algumas concessionárias da marca Honda.
 
Nessa matéria trazemos a avaliação completa do novo Civic Si Coupé. Ainda que completamente diferente no visual e na carroceria, o Civic Si Coupé utiliza a mesma plataforma do Civic sedan, porém com personalidade própria.
 
Uma carroceria inédita
 
Como todo autêntico esportivo, a carroceria cupê sugere emoção e velocidade. Mas não é só isso que o novo Si traz. A Honda fez a lição de casa para dar um toque apimentado nesse modelo. Dessa forma, ele conta com grade com o logo “Si”, faróis mais incisivos, para-choque e para-lamas integrados e rodas aro 18 polegadas de liga leve diamantadas. Mas o grande destaque é certamente a traseira “rápida” com lanternas marcantes. Além disso, um expressivo aerofólio enfatiza a esportividade do novo Si. Ainda que a plataforma seja a mesma do sedan, o novo Civic Si tem entre-eixos 8 cm menor que o Civic Sedan, mas é 6 cm mais longo que o sedan.
 
Um poderoso moto r aspirado de 2,4 litros
 
O novo Civic Si traz um moto r completamente inédito no mercado brasileiro. Esse moto r é bem diferente do moto r que já equipou o Honda Accord. Além disso, é um moto r à gasolina específico para a versão Si. Trata-se de um bloco de 2,4 litros - 16 válvulas DOHC (duplo comando de válvulas), aspirado, com sistema i-VTEC. Ele usa alumínio na construção do bloco, cabeçote e cárter. Outro destaque é o comando de admissão de válvulas variável. A potência máxima é de 206 cavalos (a 7.000 rpm) e o torque máximo é de 23,9 kgfm (a 4.400 rpm). Quando comparado à primeira geração do Civic Si, que vinha com um moto r 2.0 i-VTEC, a potência teve um aumento de 14 cv e o torque de 5 kgfm.
 
No novo moto r, a rotação pode chegar até a 7.100 rpm. No antigo moto r 2,0 litros do Si, a rotação chegava à 8.200 rpm. Segundo a engenharia da Honda, a rotação mais baixa se dá em função das rígidas normas de emissão. Assim, o moto r é limitado para se enquadrar nas legislações vigentes.
 
Junto com esse moto r, está um câmbio manual de seis marchas. Aliás, a precisão de engate desse câmbio é elogiável até por pilotos profissionais. O curso da alavanca é bem curto e muito preciso. Parece um joystick! No novo Civic Si, a Honda deu uma suavizada no pedal de embreagem. Antes, ele era mais duro, e tinha atuação mais rápida. Agora, ele esta um pouco mais suave.
 
Shift Light inteligente!
 
Como todo autêntico esportivo, a Honda inclui um shift light para indicar o estado do moto r. Assim, um LED vermelho se acende ao lado do nome i-VTEC, no exato momento em que o sistema atua sobre o comando, aumentando a abertura das válvulas de admissão.
 
De forma complementar, existem mais 6 leds que indicam o limite máximo de giro (e rendimento do moto r) antes do sistema limitar o moto r, para proteção do conjunto. Esse sistema informa a aproximação da rotação de potência máxima do moto r. Conforme o giro aumenta, ao luzes acendem gradativamente em sequência. As primeiras quatro são amarelas e as duas últimas vermelhas. A última indica que o moto r está produzindo sua potência máxima, no limite de rotações.
 
Diferencial dianteiro especial
 
Para que o carro tenha o máximo de performance, a Honda incluiu um diferencial dianteiro com deslizamento limitado LSD (Limited Slip Differential). Sua principal função é distribuir melhor o torque (nas duas rodas de tração) tanto em curvas como em arrancadas. Assim, quando uma roda começa a patinar excessivamente, o diferencial LSD transfere o torque para a roda que tem maior tração. E isso ajuda bastante nas arrancadas, ou retomadas em curvas.
 
O modelo também conta com o VSA (Vehicle Stability Assist) também conhecido como programa de estabilidade eletrônico. Este auxilia no controle da estabilidade, mantendo a trajetória do carro, em situações extremas de eventual perda de controle. Quando é preciso retomar o domínio do veículo em situações de sobre-esterço (saída de traseira) e subesterço (saída de frente), o sistema atua freando apenas a roda necessária para equilibrar o carro. O VSA também pode atuar sobre o sistema de injeção/ignição eletrônica, para limitar a potência do moto r, quando necessário. Isso pode ser desligado através de uma tecla no painel, deixando todo o rendimento do Si por conta da habilidade do moto rista.
 
Desempenho
 
A Honda afirma que o esse conjunto moto r/câmbio de seis marchas do novo Civic Si foi projetado para oferecer uma aceleração forte e linear, com baixo consumo e emissões de poluentes. Mas a marca não informa dados para comprovar isso. A Honda não divulga a aceleração de 0 a 100 km/h, nem a velocidade máxima do carro.
 
Em nossos testes, entretanto, o Civic Si se saiu muito bem. Numa medição não muito precisa, o carro cumpriu o 0 a 100 km/h em menos de 8 segundos. E a velocidade máxima passou dos 220 km/h. Números excelentes, se lembrarmos do antigo Si que fazia o 0 à 100 km/h em 8,5 segundos e era limitado em 205 km/h de máxima.
 
Sob o aspecto de consumo o modelo também surpreende. Na estrada, em velocidade constante de 110 km/h com ar-condicionado ligado, a melhor média superou 14 km/l. Na cidade, uma média de 10 km/l também é possível.
 
Suspensão aprimorada
 
Para complementar o conjunto esportivo, a suspensão dianteira do tipo MacPherson e a traseira Multi-Link passaram por alterações na geometria e trazem novos componentes. No sistema traseiro, as molas estão com maior ângulo, os amortecedores têm nova calibragem e a barra estabilizadora está mais rígida, oferecendo mais estabilidade mesmo em curvas acentuadas. Ainda sim, em relação ao antigo Si, a nova versão Coupé, está um pouco mais confortável, sem prejuízo da estabilidade.
 
Os pneus 225/40R18 também contribuem para alta estabilidade do Civic Si Coupé, assim como a direção com assistência elétrica EPS (Electric Power Steering). Este sistema não requer fluido, pois é acionado a partir de um moto r elétrico de alta potência. O resultado é uma direção mais leve em manobras de estacionamento, e mais precisa em altas velocidades.
 
Cockpit esportivo
 
Inspirado em carros de competição, o interior do Civic Si Coupé ressalta a esportividade com o revestimento dos bancos nas cores preta e vermelha, além do painel que traz componentes com aspecto de fibra de carbono e instrumentos com iluminação vermelha. Os bancos são em tecido (não esta disponível a forração em couro) e tem desenho anatômico para ressaltar a pegada esportiva.
 
Dirigibilidade
 
O cliente do Civic Si, só compra esse carro por um único motivo: diversão atrás do volante. O Civic Si traz a esportividade em seu mais profundo DNA,com: suspensão muito firme, volante e câmbio precisos, visual bem instigante, além de moto r potente e “elástico”. Fato que existem carros bem mais potentes e esportivos que o Si. Mas na mesma faixa de preço, é difícil encontrar outro concorrente com a mesma esportividade. O Golf GTI (principal concorrente) ainda que tenha melhor desempenho, não traz a mesma diversão para quem esta atrás do volante. O Civic Si lembra aquela sensação de “Kart”. Existem ainda aqueles que criticam o novo modelo por conta do moto r não “gritar” como o antigo. Além de girar mais, era nítido o momento em que o VTEC atuava no comando de válvulas. No novo Si, é tudo mais suave. Mas isso não significa desempenho menor. De qualquer forma, esse é o carro ideal para quem gosta mesmo de “pilotar” um carro.
 
Equipamentos
 
Não espere muito dos equipamentos do Civic Si. Ele traz o “padrão” em equipamentos de conforto e conveniência. Conta com volante multifuncional (com ajuste de altura e profundidade), teto solar elétrico, a manopla de câmbio e o volante revestidos em couro e os pedais em alumínio. Outros equipamentos presentes são ar-condicionado automático e digital de simples zona, central multimedia com câmera de ré e chave com telecomando das portas. No quesito segurança, o Si traz airbags frontais, laterais e de cortina para moto rista e passageiro dianteiro. Não existe farol com xênon, bancos elétricos, sensores de estacionamento na frente ou alguma tecnologia revolucionária. Ainda sim, está integrado ao painel o display de LCD i-MID com a função Power Monitor, que indica por meio de um gráfico de barras a evolução da potência do moto r.
 
No painel central está o Display Audio, uma tela de 7 polegadas sensível ao toque que reproduz imagens da câmera de ré com três níveis (visão normal, com campo ampliado e de cima para baixo), além de informações do CD/MP3 player, Bluetooth, entradas USB e HDMI para iPod/iPhone, computador de bordo com dados do veículo e ar-condicionado digital. Essa central também é capaz de rodar um sistema GPS. Porém no Brasil, a função esta desabilita por conta da incompatibilidade de mapas. O conjunto de áudio traz quatro alto-falantes, dois tweeters e um subwoofer.
 
Preço e cores
 
O novo Civic Si estará disponível nas cores sólidas Taffeta White (branco) e Rallye Red (vermelho) e nas perolizadas Crystal Black (preto) e Orange Fire (laranja). O Civic Si Coupé tem preço público sugerido de R$ 132 mil independentemente da cor, com três anos de garantia, sem limite de quilometragem. Não existem opcionais de fábrica. O carro é vendido num pacote único, sem opcionais.

Avaliações < Voltar
Avaliação: Honda Civic Si Coupé
 

Avaliação: Honda Civic Si Coupé

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Versão esportiva garante muita diversão para o cliente que gosta de pilotar

08 de Maio de 2016

No final de 2014, a Honda anunciou a volta do seu esportivo ao mercado brasileiro. Totalmente repaginado, e com uma carroceria cupê (duas portas), o novo Civic Si voltou ao mercado para reconquistar um lugar de glória entre os esportivos, com valor de até 150 mil. Mas, com o aumento do dólar, a crise econômica e a degradação da economia, várias montadoras tiveram que rever suas metas e estratégias. E nesse cenário, o novo Civic Si não decolou nas vendas, se tornando um carro de nicho.
 
Num primeiro momento, a Honda vendeu rapidamente todas as 200 unidades disponibilizadas do lote inicial, importadas para o mercado brasileiro. Com o passar do tempo, a marca regularizou o abastecimento do veículo nas concessionárias. Além disso, a degradação da economia e a retração do mercado deixou o Civic Si “esquecido”, pelo potencial cliente. Agora, com o mercado bastante retraído, o consumidor consegue encontrar o Civic Si em algumas concessionárias da marca Honda.
 
Nessa matéria trazemos a avaliação completa do novo Civic Si Coupé. Ainda que completamente diferente no visual e na carroceria, o Civic Si Coupé utiliza a mesma plataforma do Civic sedan, porém com personalidade própria.
 
Uma carroceria inédita
 
Como todo autêntico esportivo, a carroceria cupê sugere emoção e velocidade. Mas não é só isso que o novo Si traz. A Honda fez a lição de casa para dar um toque apimentado nesse modelo. Dessa forma, ele conta com grade com o logo “Si”, faróis mais incisivos, para-choque e para-lamas integrados e rodas aro 18 polegadas de liga leve diamantadas. Mas o grande destaque é certamente a traseira “rápida” com lanternas marcantes. Além disso, um expressivo aerofólio enfatiza a esportividade do novo Si. Ainda que a plataforma seja a mesma do sedan, o novo Civic Si tem entre-eixos 8 cm menor que o Civic Sedan, mas é 6 cm mais longo que o sedan.
 
Um poderoso moto r aspirado de 2,4 litros
 
O novo Civic Si traz um moto r completamente inédito no mercado brasileiro. Esse moto r é bem diferente do moto r que já equipou o Honda Accord. Além disso, é um moto r à gasolina específico para a versão Si. Trata-se de um bloco de 2,4 litros - 16 válvulas DOHC (duplo comando de válvulas), aspirado, com sistema i-VTEC. Ele usa alumínio na construção do bloco, cabeçote e cárter. Outro destaque é o comando de admissão de válvulas variável. A potência máxima é de 206 cavalos (a 7.000 rpm) e o torque máximo é de 23,9 kgfm (a 4.400 rpm). Quando comparado à primeira geração do Civic Si, que vinha com um moto r 2.0 i-VTEC, a potência teve um aumento de 14 cv e o torque de 5 kgfm.
 
No novo moto r, a rotação pode chegar até a 7.100 rpm. No antigo moto r 2,0 litros do Si, a rotação chegava à 8.200 rpm. Segundo a engenharia da Honda, a rotação mais baixa se dá em função das rígidas normas de emissão. Assim, o moto r é limitado para se enquadrar nas legislações vigentes.
 
Junto com esse moto r, está um câmbio manual de seis marchas. Aliás, a precisão de engate desse câmbio é elogiável até por pilotos profissionais. O curso da alavanca é bem curto e muito preciso. Parece um joystick! No novo Civic Si, a Honda deu uma suavizada no pedal de embreagem. Antes, ele era mais duro, e tinha atuação mais rápida. Agora, ele esta um pouco mais suave.
 
Shift Light inteligente!
 
Como todo autêntico esportivo, a Honda inclui um shift light para indicar o estado do moto r. Assim, um LED vermelho se acende ao lado do nome i-VTEC, no exato momento em que o sistema atua sobre o comando, aumentando a abertura das válvulas de admissão.
 
De forma complementar, existem mais 6 leds que indicam o limite máximo de giro (e rendimento do moto r) antes do sistema limitar o moto r, para proteção do conjunto. Esse sistema informa a aproximação da rotação de potência máxima do moto r. Conforme o giro aumenta, ao luzes acendem gradativamente em sequência. As primeiras quatro são amarelas e as duas últimas vermelhas. A última indica que o moto r está produzindo sua potência máxima, no limite de rotações.
 
Diferencial dianteiro especial
 
Para que o carro tenha o máximo de performance, a Honda incluiu um diferencial dianteiro com deslizamento limitado LSD (Limited Slip Differential). Sua principal função é distribuir melhor o torque (nas duas rodas de tração) tanto em curvas como em arrancadas. Assim, quando uma roda começa a patinar excessivamente, o diferencial LSD transfere o torque para a roda que tem maior tração. E isso ajuda bastante nas arrancadas, ou retomadas em curvas.
 
O modelo também conta com o VSA (Vehicle Stability Assist) também conhecido como programa de estabilidade eletrônico. Este auxilia no controle da estabilidade, mantendo a trajetória do carro, em situações extremas de eventual perda de controle. Quando é preciso retomar o domínio do veículo em situações de sobre-esterço (saída de traseira) e subesterço (saída de frente), o sistema atua freando apenas a roda necessária para equilibrar o carro. O VSA também pode atuar sobre o sistema de injeção/ignição eletrônica, para limitar a potência do moto r, quando necessário. Isso pode ser desligado através de uma tecla no painel, deixando todo o rendimento do Si por conta da habilidade do moto rista.
 
Desempenho
 
A Honda afirma que o esse conjunto moto r/câmbio de seis marchas do novo Civic Si foi projetado para oferecer uma aceleração forte e linear, com baixo consumo e emissões de poluentes. Mas a marca não informa dados para comprovar isso. A Honda não divulga a aceleração de 0 a 100 km/h, nem a velocidade máxima do carro.
 
Em nossos testes, entretanto, o Civic Si se saiu muito bem. Numa medição não muito precisa, o carro cumpriu o 0 a 100 km/h em menos de 8 segundos. E a velocidade máxima passou dos 220 km/h. Números excelentes, se lembrarmos do antigo Si que fazia o 0 à 100 km/h em 8,5 segundos e era limitado em 205 km/h de máxima.
 
Sob o aspecto de consumo o modelo também surpreende. Na estrada, em velocidade constante de 110 km/h com ar-condicionado ligado, a melhor média superou 14 km/l. Na cidade, uma média de 10 km/l também é possível.
 
Suspensão aprimorada
 
Para complementar o conjunto esportivo, a suspensão dianteira do tipo MacPherson e a traseira Multi-Link passaram por alterações na geometria e trazem novos componentes. No sistema traseiro, as molas estão com maior ângulo, os amortecedores têm nova calibragem e a barra estabilizadora está mais rígida, oferecendo mais estabilidade mesmo em curvas acentuadas. Ainda sim, em relação ao antigo Si, a nova versão Coupé, está um pouco mais confortável, sem prejuízo da estabilidade.
 
Os pneus 225/40R18 também contribuem para alta estabilidade do Civic Si Coupé, assim como a direção com assistência elétrica EPS (Electric Power Steering). Este sistema não requer fluido, pois é acionado a partir de um moto r elétrico de alta potência. O resultado é uma direção mais leve em manobras de estacionamento, e mais precisa em altas velocidades.
 
Cockpit esportivo
 
Inspirado em carros de competição, o interior do Civic Si Coupé ressalta a esportividade com o revestimento dos bancos nas cores preta e vermelha, além do painel que traz componentes com aspecto de fibra de carbono e instrumentos com iluminação vermelha. Os bancos são em tecido (não esta disponível a forração em couro) e tem desenho anatômico para ressaltar a pegada esportiva.
 
Dirigibilidade
 
O cliente do Civic Si, só compra esse carro por um único motivo: diversão atrás do volante. O Civic Si traz a esportividade em seu mais profundo DNA,com: suspensão muito firme, volante e câmbio precisos, visual bem instigante, além de moto r potente e “elástico”. Fato que existem carros bem mais potentes e esportivos que o Si. Mas na mesma faixa de preço, é difícil encontrar outro concorrente com a mesma esportividade. O Golf GTI (principal concorrente) ainda que tenha melhor desempenho, não traz a mesma diversão para quem esta atrás do volante. O Civic Si lembra aquela sensação de “Kart”. Existem ainda aqueles que criticam o novo modelo por conta do moto r não “gritar” como o antigo. Além de girar mais, era nítido o momento em que o VTEC atuava no comando de válvulas. No novo Si, é tudo mais suave. Mas isso não significa desempenho menor. De qualquer forma, esse é o carro ideal para quem gosta mesmo de “pilotar” um carro.
 
Equipamentos
 
Não espere muito dos equipamentos do Civic Si. Ele traz o “padrão” em equipamentos de conforto e conveniência. Conta com volante multifuncional (com ajuste de altura e profundidade), teto solar elétrico, a manopla de câmbio e o volante revestidos em couro e os pedais em alumínio. Outros equipamentos presentes são ar-condicionado automático e digital de simples zona, central multimedia com câmera de ré e chave com telecomando das portas. No quesito segurança, o Si traz airbags frontais, laterais e de cortina para moto rista e passageiro dianteiro. Não existe farol com xênon, bancos elétricos, sensores de estacionamento na frente ou alguma tecnologia revolucionária. Ainda sim, está integrado ao painel o display de LCD i-MID com a função Power Monitor, que indica por meio de um gráfico de barras a evolução da potência do moto r.
 
No painel central está o Display Audio, uma tela de 7 polegadas sensível ao toque que reproduz imagens da câmera de ré com três níveis (visão normal, com campo ampliado e de cima para baixo), além de informações do CD/MP3 player, Bluetooth, entradas USB e HDMI para iPod/iPhone, computador de bordo com dados do veículo e ar-condicionado digital. Essa central também é capaz de rodar um sistema GPS. Porém no Brasil, a função esta desabilita por conta da incompatibilidade de mapas. O conjunto de áudio traz quatro alto-falantes, dois tweeters e um subwoofer.
 
Preço e cores
 
O novo Civic Si estará disponível nas cores sólidas Taffeta White (branco) e Rallye Red (vermelho) e nas perolizadas Crystal Black (preto) e Orange Fire (laranja). O Civic Si Coupé tem preço público sugerido de R$ 132 mil independentemente da cor, com três anos de garantia, sem limite de quilometragem. Não existem opcionais de fábrica. O carro é vendido num pacote único, sem opcionais.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!