Revista Comprecar
Avaliação: Novo Audi TT Coupé
Cupê esportivo inova com painel Virtual Cockpit e motor de 230 cv
Avaliação: Novo Audi TT Coupé
15 de Fevereiro de 2016

Em Maio de 2015, a Audi apresentou no Brasil a terceira geração do Audi TT. Muito mais que um carro esportivo, o Audi TT esbanja tecnologia de ponta. Pra começar, foi o primeiro carro da Audi (no mercado brasileiro) a romper com o tradicional. O grande destaque é o “Virtual Cockpit”, que aposenta de vez os tradicionais ponteiros e marcadores no painel do carro. Além disso, o novo TT traz um design que sugere mais força e esportividade. Aliás, muito se vê do superesportivo Audi R8 no TT.
 
O Audi TT Coupé é oferecido em duas versões: Attraction e Ambition. A diferença entre elas é basicamente equipamentos, pois ambas estão equipadas com moto r 2.0 Turbo FSI, agora com 230 cv (19 a mais do que na geração anterior) e o câmbio S tronic de seis marchas e dupla embreagem. As duas versões cupê trazem sempre de série o Virtual Cockpit da Audi. Nessa matéria trazemos a avaliação do Audi TT Ambition, com todos os opcionais.
 
Estilo provocante
 
O primeiro Audi TT chegou ao Brasil em 1998, com uma revolução no design. Com uma linguagem visual enriquecida por detalhes nostálgicos em diversos pontos da carroceria, o modelo se tornou imediatamente um ícone na categoria. Já na segunda geração lançada em 2006, o TT assumiu estilo mais esportivo com traços mais retos. Agora, na terceira geração, o modelo traz design marcante e futurista, somado a uma inovadora experiência tecnológica. Entre os destaques está a grade dianteira Single frame mais larga e baixa. Aliás, essa grade é a nova assinatura utilizada nos modelos mais recentes da Audi.
 
Agora, os faróis estão mais afilados. Cabe destacar que o TT tem uma assinatura luminosa totalmente própria, com um mescla de feixes horizontais e verticais. A versão Attraction traz faróis tipo bi-xenon, enquanto na Ambition, os faróis são inteiramente em LEDs. Nessa última, além do facho alto e baixo, existe também uma função “neblina”, incorporada no bloco principal.
 
Em relação ao modelo da segunda geração, o novo Audi TT está mais baixo. Com 4,18 metros, o Coupé tem o mesmo comprimento de seu antecessor. A distância entre eixos, entretanto, aumentou 37 mm agora com 2,5 m. Já a largura é 1,83 m e a altura é a mesma da versão anterior, 1,35m. Cabe destacar que o novo Audi TT também utiliza a plataforma MQB, utilizada no Audi A3, e no VW Golf.
 
Na traseira, destaque exclusivo na versão Ambition. Assim como acontece no Audi R8, as lanternas traseiras possuem luzes de seta dinâmicas. Elas correm de dentro para fora, indicando como uma seta o lado da conversão. Na versão com Xenon, a luz de seta acende de forma integral. Além disso, a terceira luz do freio é extremamente fina, posicionada sob a borda do defletor traseiro.
 
Outro detalhe de estilo funcional é a “asa” traseira. Quando o carro atinge 120 km/h, um spoiler se abre automaticamente na tampa do porta-malas. Isso também pode ser operado manualmente pelo moto rista, em baixa velocidade, através de um botão no painel do carro. Mas acima de 130 km/h, não é possível fechar o spoiler, através do botão.
 
Interior inovador
 
No TT, a Audi rompeu com o tradicional inovando em vários conceitos. Assim o carro tem menos botões, numa concepção minimalista. Truques de design, permitiram aos estilistas criar um painel de instrumentos “CLEAN”. O conjunto de instrumentos e a tela MMI foram combinados para formar uma unidade digital central: o invovador Audi Virtual Cockpit (uma tela única na frente do moto rista que substitui mostradores de ponteiros e a tela central). No TT, não existe uma tela central no carro. Tudo esta no Virtual Cockpit em frente ao moto rista.
 
Outra mudança aconteceu nos controles do sistema de ar-condicionado. Agora eles estão totalmente integrados às saídas de ventilação. As saídas de ar redondas são inspiradas nos moto res a jato, com seu design lembrando turbinas. As aberturas de ar contêm os controles dos sistemas de ar-condicionado. Os controles de temperatura, direção, distribuição e intensidade do fluxo de ar ficam no centro de cada um dos difusores. No sistema de ar-condicionado automático, de série na versão Ambition, o controle selecionado é indicado em pequenos mostradores digitais.
 
Ainda que o desenho seja elegante e inédito, a solução não é tão eficiente como as saídas de ar do A3. Não existe a opção de fazer o ar sair em forma de jato, ou difundido, como acontece no A3. E o direcionamento do ar, também não é tão preciso quanto no Audi A3.
 
Seguindo a filosofia de um típico esportivo, o TT traz bancos esportivos, com apoios de cabeça integrados, e mais baixos do que no modelo anterior.
 
O novo volante multifuncional com desenho arrojado possibilita operação total do sistema de navegação e configuração do carro. Ele é item de série nas duas versões. Com três braços e base plana, os raios trazem detalhes em alumínio, além de oferecer a possibilidade de trocas de marchas pelos shift paddles.
 
Próximo a alavanca de câmbio, está o comando central giratório do MMI, que agora foi simplificado, reduzindo de quatro teclas de controle, para apenas duas. Na versão avaliada, estava disponível o “touch” do MMI, que permite desenhar letras, com os dedos.
 
O TT traz a configuração de 2+2 assentos. Na prática, são apenas dois assentos. Os traseiros só servem para levar crianças bem pequenas, ou cachorros. O porta-malas também é pequeno com módicos 305 litros de capacidade (13 litros mais do o anterior). Se necessário, pode ser ampliado pelo rebatimento dos encostos dos bancos traseiros.
 
Tecnologia de ponta
 
Como a maior inovação no Audi TT, está a avançada tecnologia embarcada. Pra começar, o novo volante multifuncional permite ativar praticamente todas as funções do cockpit virtual, sem tirar as mãos do volante. Tudo através de botões.
 
Outra novidade é o novo terminal MMI no console central. Duas teclas ativam os menus, que são: navegação (opcional), telefonia, rádio e mídia. O moto rista ainda pode “escrever” usando o touchpad no topo do botão de pressão rotativo. A estrutura do menu do MMI é semelhante aos smartphones. Todas as funções importantes podem ser acessadas diretamente pelas teclas de seleção.
 
Virtual Cockpit
 
Aposentando de vez os ponteiros no painel, a Audi Virtual Cockpit é na verdade uma grande tela de alta resolução. Assim, ao toque de botões no volante, o moto rista pode optar entre dois modos de exibição: na versão clássica, o velocímetro e o conta-giros ficam maiores nos cantos com uma pequena exibição gráfica ao centro.
 
No modo progressivo, os instrumentos virtuais (velocímetro e conta-giros) são menores. Utilizando este modo, o sistema disponibiliza uma ampla área de tela para outras funções, como o mapa de navegação GPS (opcional na versão Attraction e de série na Ambition).
 
Com resolução de 1.440 x 540 pixels, a tela de 12,3 polegadas gera imagens precisas e brilhantes. Na borda inferior do Virtual Cockpit, os mostradores da temperatura exterior, hora e quilometragem são visíveis permanentemente. Símbolos de advertência ou informação também podem ser mostrados ali.
 
Motor e câmbio
 
Agora, o moto r 2.0 TFSI chega com 230 cv de potência. Ele reúne várias tecnologias modernas como: duplo sistema de injeção (indireta e direta totalizando 8 bicos), o sistema de acionamento de válvulas (Audi Valvelift System - AVS) para ajustar o curso das válvulas de exaustão e o coletor de escapamento integrado ao cabeçote. Esse moto r turbo entrega torque de 370 Nm entre 1.600 e 4.300 rpm. A transmissão é a Stronic de dupla embreagem com seis marchas. Trata-se da mesma transmissão que equipa o esportivo Audi S3. Ainda que alguns afirme que o moto r do Audi TT é o mesmo do Golf GTI, isso não é verdade. Eles usam a mesma tecnologia, e são bem parecidos. Mas no TT, existem diferencias de programação e itens exclusivos como o Audi Valvelift System.
 
Com esse conjunto, o Audi TT acelera de 0 a 100 km/h, em apenas em 5,9 segundos, atingindo velocidade máxima (limitada eletronicamente) de 250 km/h. Além de potente, o TT é eficiente. Na estrada, o cupê percorre até 12,7 km/l e, na cidade, são 9,9 km/l. Na avaliação do Inmetro, o TT recebe classificação “A” na sua categoria.
 
Outro sistema disponível que auxilia na dirigibilidade é o Audi Drive Select, equipa a versão Ambition. Ele controla as características do moto r e a assistência da direção. O moto rista pode optar entre os modos comfort, dynamic e individual. O Audi Drive Select também intervém em vários módulos, entre eles o câmbio S tronic. O modelo ainda conta com Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), de multiestágios. Ele pode ser desativado tanto parcial como totalmente. Vale destacar que o TT Coupé traz apenas tração dianteira. A versão integral estará disponível apenas nas versões TTS (no segundo semestre).
 
Launch Control
 
Para quem gosta de ainda mais esportividade, o TT vem equipado com o sistema de Launch Control (ou controle de largada). Como ele, o moto rista pode desligar o controle de tração, colocar o câmbio em modo esportivo e fazer uma arrancada bem impressionante. Para isso, basta pisar no freio com um pé, e acelerar o carro com o outro. O conta-giros vai subir para perto de 4 mil RPM. No momento que o moto rista soltar o freio, o carro vai arrancar com tudo que pode, inclusive cantando pneu.
 
Dirigibilidade
 
Fato que o Audi TT é um carro para quem gosta de correr e pilotar. Sua direção é incrivelmente direta e suas manobras são precisas. A suspensão mais firme garante toda a diversão em curvas rápidas. Como o carro é baixo, praticamente não existe inclinação de carroceria, mesmo nas manobras mais radicais. É difícil não abusar da velocidade ao volante do TT. O moto rista tem a total sensação de “trilho” atrás do volante.
 
Ainda que o TT atenda algumas necessidades básicas de conforto na cidade, fica clara sua vocação de velocidade na estrada. Como todo típico esportivo, o moto rista precisa de muita atenção em obstáculos, como lombadas e valetas, pois o TT é baixo. Além disso, entrar e sair do carro, exige certo esforço, por conta da carroceria baixa. É preciso curtir um esportivo, para não se incomodar com isso.
 
Equipamentos nas versões
 
Tanto a versão Attraction como a Ambition trazem de série o Audi Sound System, com potência de 155 watts e nove alto-falantes. O sistema de som Bang & Olufsen, oferecido como opcional para a versão Ambition tem amplificador com 14 canais e 12 alto-falantes, cujas bordas possuem um discreto condutor de luz de intensidade ajustável. Com o som Bang & Olufsen, a qualidade de áudio realmente impressiona. Alguns vão achar a qualidade comparável aos melhores HOME THEATERS.
 
De série na versão Ambition (e opcional na Attraction), o rádio MMI plus com sistema de navegação é outro item tecnológico. O mapa de navegação é mostrado na grande tela, à frente do moto rista, identificando através da tecnologia 3D pontes, viadutos, túneis e pontos de interesse ao longo da rota. O sistema possui ainda um tocador de DVD, duas entradas para cartões de memória, conexão Bluetooth e disco rígido com mémoria interna (Jukebox) de cerca de 10 GB. Uma novidade importante do rádio MMI plus é o novo comando por voz, que aceita ordens mais complexas, facilitando a operação segura com o carro em movimento.
 
Preços
 
O novo esportivo chega ao mercado com os seguintes preços: a versão de entrada Attraction custa R$ 226 mil e a Ambition, sai por R$ 247 mil. Essa acrescenta Rádio MMI Plus com sistema de navegação, ar condicionado automático integrado nas saídas de ar, Audi Drive Select, Faróis Full Led, pacote de luzes e rodas de alumínio de 19 polegadas.
 
Os opcionais são Pintura Metálica/Perolizada/Amarelo Vegas por R$ 2 mil; radio MMI plus com sistema de navegação (na versão Attraction) por R$ 12,5 mil; o Kit Esportivo S-Line por R$ 9,5 mil e o Pacote Advanced que engloba Keyless-Go; Sensor de Estacionamento Dianteiro e Sistema de Som Bang & Olufsen por R$ 10,5 mil.
 
Ficha técnica
 
Motor: 2.0 TFSI
Cilindros / Cilindrada: 4 em linha / 1.984 cm³
Potência (cv em min-1): 230 @4.500 - 6.200
Torque (Nm @ min-1): [email protected] - 4.300
Tração: dianteira
Transmissão: S tronic 6 marchas
Peso (kg): 1.335
Comprimento (mm): 4.177
Largura (mm): 1.832
Altura (mm): 1.353
Distância entre eixos (mm): 2.505
Capacidade do tanque de combustível (l): 50
Capacidade do porta-malas (l): 305
Aceleração 0-100 km/h (s): 5,9
Velocidade Máxima (km/h): 250 (limitada eletronicamente)

Avaliações < Voltar
Avaliação: Novo Audi TT Coupé
 

Avaliação: Novo Audi TT Coupé

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Cupê esportivo inova com painel Virtual Cockpit e motor de 230 cv

15 de Fevereiro de 2016

Em Maio de 2015, a Audi apresentou no Brasil a terceira geração do Audi TT. Muito mais que um carro esportivo, o Audi TT esbanja tecnologia de ponta. Pra começar, foi o primeiro carro da Audi (no mercado brasileiro) a romper com o tradicional. O grande destaque é o “Virtual Cockpit”, que aposenta de vez os tradicionais ponteiros e marcadores no painel do carro. Além disso, o novo TT traz um design que sugere mais força e esportividade. Aliás, muito se vê do superesportivo Audi R8 no TT.
 
O Audi TT Coupé é oferecido em duas versões: Attraction e Ambition. A diferença entre elas é basicamente equipamentos, pois ambas estão equipadas com moto r 2.0 Turbo FSI, agora com 230 cv (19 a mais do que na geração anterior) e o câmbio S tronic de seis marchas e dupla embreagem. As duas versões cupê trazem sempre de série o Virtual Cockpit da Audi. Nessa matéria trazemos a avaliação do Audi TT Ambition, com todos os opcionais.
 
Estilo provocante
 
O primeiro Audi TT chegou ao Brasil em 1998, com uma revolução no design. Com uma linguagem visual enriquecida por detalhes nostálgicos em diversos pontos da carroceria, o modelo se tornou imediatamente um ícone na categoria. Já na segunda geração lançada em 2006, o TT assumiu estilo mais esportivo com traços mais retos. Agora, na terceira geração, o modelo traz design marcante e futurista, somado a uma inovadora experiência tecnológica. Entre os destaques está a grade dianteira Single frame mais larga e baixa. Aliás, essa grade é a nova assinatura utilizada nos modelos mais recentes da Audi.
 
Agora, os faróis estão mais afilados. Cabe destacar que o TT tem uma assinatura luminosa totalmente própria, com um mescla de feixes horizontais e verticais. A versão Attraction traz faróis tipo bi-xenon, enquanto na Ambition, os faróis são inteiramente em LEDs. Nessa última, além do facho alto e baixo, existe também uma função “neblina”, incorporada no bloco principal.
 
Em relação ao modelo da segunda geração, o novo Audi TT está mais baixo. Com 4,18 metros, o Coupé tem o mesmo comprimento de seu antecessor. A distância entre eixos, entretanto, aumentou 37 mm agora com 2,5 m. Já a largura é 1,83 m e a altura é a mesma da versão anterior, 1,35m. Cabe destacar que o novo Audi TT também utiliza a plataforma MQB, utilizada no Audi A3, e no VW Golf.
 
Na traseira, destaque exclusivo na versão Ambition. Assim como acontece no Audi R8, as lanternas traseiras possuem luzes de seta dinâmicas. Elas correm de dentro para fora, indicando como uma seta o lado da conversão. Na versão com Xenon, a luz de seta acende de forma integral. Além disso, a terceira luz do freio é extremamente fina, posicionada sob a borda do defletor traseiro.
 
Outro detalhe de estilo funcional é a “asa” traseira. Quando o carro atinge 120 km/h, um spoiler se abre automaticamente na tampa do porta-malas. Isso também pode ser operado manualmente pelo moto rista, em baixa velocidade, através de um botão no painel do carro. Mas acima de 130 km/h, não é possível fechar o spoiler, através do botão.
 
Interior inovador
 
No TT, a Audi rompeu com o tradicional inovando em vários conceitos. Assim o carro tem menos botões, numa concepção minimalista. Truques de design, permitiram aos estilistas criar um painel de instrumentos “CLEAN”. O conjunto de instrumentos e a tela MMI foram combinados para formar uma unidade digital central: o invovador Audi Virtual Cockpit (uma tela única na frente do moto rista que substitui mostradores de ponteiros e a tela central). No TT, não existe uma tela central no carro. Tudo esta no Virtual Cockpit em frente ao moto rista.
 
Outra mudança aconteceu nos controles do sistema de ar-condicionado. Agora eles estão totalmente integrados às saídas de ventilação. As saídas de ar redondas são inspiradas nos moto res a jato, com seu design lembrando turbinas. As aberturas de ar contêm os controles dos sistemas de ar-condicionado. Os controles de temperatura, direção, distribuição e intensidade do fluxo de ar ficam no centro de cada um dos difusores. No sistema de ar-condicionado automático, de série na versão Ambition, o controle selecionado é indicado em pequenos mostradores digitais.
 
Ainda que o desenho seja elegante e inédito, a solução não é tão eficiente como as saídas de ar do A3. Não existe a opção de fazer o ar sair em forma de jato, ou difundido, como acontece no A3. E o direcionamento do ar, também não é tão preciso quanto no Audi A3.
 
Seguindo a filosofia de um típico esportivo, o TT traz bancos esportivos, com apoios de cabeça integrados, e mais baixos do que no modelo anterior.
 
O novo volante multifuncional com desenho arrojado possibilita operação total do sistema de navegação e configuração do carro. Ele é item de série nas duas versões. Com três braços e base plana, os raios trazem detalhes em alumínio, além de oferecer a possibilidade de trocas de marchas pelos shift paddles.
 
Próximo a alavanca de câmbio, está o comando central giratório do MMI, que agora foi simplificado, reduzindo de quatro teclas de controle, para apenas duas. Na versão avaliada, estava disponível o “touch” do MMI, que permite desenhar letras, com os dedos.
 
O TT traz a configuração de 2+2 assentos. Na prática, são apenas dois assentos. Os traseiros só servem para levar crianças bem pequenas, ou cachorros. O porta-malas também é pequeno com módicos 305 litros de capacidade (13 litros mais do o anterior). Se necessário, pode ser ampliado pelo rebatimento dos encostos dos bancos traseiros.
 
Tecnologia de ponta
 
Como a maior inovação no Audi TT, está a avançada tecnologia embarcada. Pra começar, o novo volante multifuncional permite ativar praticamente todas as funções do cockpit virtual, sem tirar as mãos do volante. Tudo através de botões.
 
Outra novidade é o novo terminal MMI no console central. Duas teclas ativam os menus, que são: navegação (opcional), telefonia, rádio e mídia. O moto rista ainda pode “escrever” usando o touchpad no topo do botão de pressão rotativo. A estrutura do menu do MMI é semelhante aos smartphones. Todas as funções importantes podem ser acessadas diretamente pelas teclas de seleção.
 
Virtual Cockpit
 
Aposentando de vez os ponteiros no painel, a Audi Virtual Cockpit é na verdade uma grande tela de alta resolução. Assim, ao toque de botões no volante, o moto rista pode optar entre dois modos de exibição: na versão clássica, o velocímetro e o conta-giros ficam maiores nos cantos com uma pequena exibição gráfica ao centro.
 
No modo progressivo, os instrumentos virtuais (velocímetro e conta-giros) são menores. Utilizando este modo, o sistema disponibiliza uma ampla área de tela para outras funções, como o mapa de navegação GPS (opcional na versão Attraction e de série na Ambition).
 
Com resolução de 1.440 x 540 pixels, a tela de 12,3 polegadas gera imagens precisas e brilhantes. Na borda inferior do Virtual Cockpit, os mostradores da temperatura exterior, hora e quilometragem são visíveis permanentemente. Símbolos de advertência ou informação também podem ser mostrados ali.
 
Motor e câmbio
 
Agora, o moto r 2.0 TFSI chega com 230 cv de potência. Ele reúne várias tecnologias modernas como: duplo sistema de injeção (indireta e direta totalizando 8 bicos), o sistema de acionamento de válvulas (Audi Valvelift System - AVS) para ajustar o curso das válvulas de exaustão e o coletor de escapamento integrado ao cabeçote. Esse moto r turbo entrega torque de 370 Nm entre 1.600 e 4.300 rpm. A transmissão é a Stronic de dupla embreagem com seis marchas. Trata-se da mesma transmissão que equipa o esportivo Audi S3. Ainda que alguns afirme que o moto r do Audi TT é o mesmo do Golf GTI, isso não é verdade. Eles usam a mesma tecnologia, e são bem parecidos. Mas no TT, existem diferencias de programação e itens exclusivos como o Audi Valvelift System.
 
Com esse conjunto, o Audi TT acelera de 0 a 100 km/h, em apenas em 5,9 segundos, atingindo velocidade máxima (limitada eletronicamente) de 250 km/h. Além de potente, o TT é eficiente. Na estrada, o cupê percorre até 12,7 km/l e, na cidade, são 9,9 km/l. Na avaliação do Inmetro, o TT recebe classificação “A” na sua categoria.
 
Outro sistema disponível que auxilia na dirigibilidade é o Audi Drive Select, equipa a versão Ambition. Ele controla as características do moto r e a assistência da direção. O moto rista pode optar entre os modos comfort, dynamic e individual. O Audi Drive Select também intervém em vários módulos, entre eles o câmbio S tronic. O modelo ainda conta com Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), de multiestágios. Ele pode ser desativado tanto parcial como totalmente. Vale destacar que o TT Coupé traz apenas tração dianteira. A versão integral estará disponível apenas nas versões TTS (no segundo semestre).
 
Launch Control
 
Para quem gosta de ainda mais esportividade, o TT vem equipado com o sistema de Launch Control (ou controle de largada). Como ele, o moto rista pode desligar o controle de tração, colocar o câmbio em modo esportivo e fazer uma arrancada bem impressionante. Para isso, basta pisar no freio com um pé, e acelerar o carro com o outro. O conta-giros vai subir para perto de 4 mil RPM. No momento que o moto rista soltar o freio, o carro vai arrancar com tudo que pode, inclusive cantando pneu.
 
Dirigibilidade
 
Fato que o Audi TT é um carro para quem gosta de correr e pilotar. Sua direção é incrivelmente direta e suas manobras são precisas. A suspensão mais firme garante toda a diversão em curvas rápidas. Como o carro é baixo, praticamente não existe inclinação de carroceria, mesmo nas manobras mais radicais. É difícil não abusar da velocidade ao volante do TT. O moto rista tem a total sensação de “trilho” atrás do volante.
 
Ainda que o TT atenda algumas necessidades básicas de conforto na cidade, fica clara sua vocação de velocidade na estrada. Como todo típico esportivo, o moto rista precisa de muita atenção em obstáculos, como lombadas e valetas, pois o TT é baixo. Além disso, entrar e sair do carro, exige certo esforço, por conta da carroceria baixa. É preciso curtir um esportivo, para não se incomodar com isso.
 
Equipamentos nas versões
 
Tanto a versão Attraction como a Ambition trazem de série o Audi Sound System, com potência de 155 watts e nove alto-falantes. O sistema de som Bang & Olufsen, oferecido como opcional para a versão Ambition tem amplificador com 14 canais e 12 alto-falantes, cujas bordas possuem um discreto condutor de luz de intensidade ajustável. Com o som Bang & Olufsen, a qualidade de áudio realmente impressiona. Alguns vão achar a qualidade comparável aos melhores HOME THEATERS.
 
De série na versão Ambition (e opcional na Attraction), o rádio MMI plus com sistema de navegação é outro item tecnológico. O mapa de navegação é mostrado na grande tela, à frente do moto rista, identificando através da tecnologia 3D pontes, viadutos, túneis e pontos de interesse ao longo da rota. O sistema possui ainda um tocador de DVD, duas entradas para cartões de memória, conexão Bluetooth e disco rígido com mémoria interna (Jukebox) de cerca de 10 GB. Uma novidade importante do rádio MMI plus é o novo comando por voz, que aceita ordens mais complexas, facilitando a operação segura com o carro em movimento.
 
Preços
 
O novo esportivo chega ao mercado com os seguintes preços: a versão de entrada Attraction custa R$ 226 mil e a Ambition, sai por R$ 247 mil. Essa acrescenta Rádio MMI Plus com sistema de navegação, ar condicionado automático integrado nas saídas de ar, Audi Drive Select, Faróis Full Led, pacote de luzes e rodas de alumínio de 19 polegadas.
 
Os opcionais são Pintura Metálica/Perolizada/Amarelo Vegas por R$ 2 mil; radio MMI plus com sistema de navegação (na versão Attraction) por R$ 12,5 mil; o Kit Esportivo S-Line por R$ 9,5 mil e o Pacote Advanced que engloba Keyless-Go; Sensor de Estacionamento Dianteiro e Sistema de Som Bang & Olufsen por R$ 10,5 mil.
 
Ficha técnica
 
Motor: 2.0 TFSI
Cilindros / Cilindrada: 4 em linha / 1.984 cm³
Potência (cv em min-1): 230 @4.500 - 6.200
Torque (Nm @ min-1): [email protected] - 4.300
Tração: dianteira
Transmissão: S tronic 6 marchas
Peso (kg): 1.335
Comprimento (mm): 4.177
Largura (mm): 1.832
Altura (mm): 1.353
Distância entre eixos (mm): 2.505
Capacidade do tanque de combustível (l): 50
Capacidade do porta-malas (l): 305
Aceleração 0-100 km/h (s): 5,9
Velocidade Máxima (km/h): 250 (limitada eletronicamente)

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!