Revista Comprecar
Avaliação: Peugeot 2008 Griffe automático
Crossover da Peugeot agrada no conforto e boa gama de equipamentos de série
Avaliação: Peugeot 2008 Griffe automático
13 de Dezembro de 2016

Em Abril de 2015, a Peugeot apresentou ao mercado o seu novo crossover compacto. Derivado do compacto 208, o 2008 chegou para oferecer um “algo mais” em estilo e usabilidade no dia a dia. Depois do hatchback 208, esse novo crossover é o segundo modelo global a ser fabricado no Centro de Produção de Porto Real (RJ), do Grupo PSA Peugeot Citroën.
 
O 2008 possui algumas configurações para atender vários tipos de clientes, principalmente ofertados com câmbio manual. Mas sempre existe um filão de clientes que faz a opção pelo conforto. Justamente por isso, trazemos a avaliação da versão Griffe do 2008, equipada com câmbio automático de quatro marchas.
 
Foco estratégico
 
Segundo a Peugeot, o 2008 chegou para reinventar alguns padrões estabelecidos no segmento dos utilitários compactos. Ele trouxe um design sofisticado, que une a dirigibilidade parecida a de um hatchback, com a oferta de espaço de uma perua. Dessa forma, o 2008 um veículo tipicamente urbano e familiar. Em geral, o público feminino se identifica mais com esse tipo de proposta.
 
Estilo
 
No geral, o 2008 lembra bastante o seu irmão menor 208. Entretanto, ele consegue manter uma identidade própria. Na dianteira, seus faróis foram projetados levando em conta as funções técnicas. Eles remetem à pupila de um felino, pois possuem refletores com lente semielíticas e luzes diurnas em LED. Mais isso sem perder o porte externo que lembra um SUV compacto.
 
Outro ponto de destaque é a enorme superfície envidraçada, incluindo o teto panorâmico de 0,60 m², que proporciona um interior mais iluminado e agradável. Dentro da proposta de uso abrangente, ele vem equipado com pneus de uso misto calçados em rodas de 16 polegadas de liga leve com acabamento diamantado. Acrescenta também protetores pretos na parte inferior da carroceria, que se estendem do para-choque dianteiro ao traseiro. Na traseira, destaque para as lanternas traseiras que parecem flutuar, com uma identidade visual (que remete às “garras” do leão) iluminadas por LEDS.
 
Posto de condução elevado
 
Outra inovação é a ergonomia interna, especialmente a do moto rista que conta com banco ajustável em altura, profundidade e inclinação. Além disso, está presente o volante multifunções de tamanho reduzido e revestido com couro, regulável em profundidade e em altura, que conta com assistência progressiva elétrica. O painel de instrumentos é visto por cima do volante (assim como acontece no 208), diminuindo o movimento de visão entre estrada e instrumentação.
 
De série desde a versão de entrada, a central multimídia traz tela colorida sensível ao toque de sete polegadas com gráficos mais elaborados. Ela inclui menu “Navegação” permite controlar a função GPS; tecla “Multimídia” possibilita controlar o rádio, ler arquivos de música via conexão USB ou visualizar fotografias; menu “Comunicação” controla a conexão Bluetooth para celular e para streaming de áudio e o menu de “Parâmetros” que permite configurar funções do do carro. Esse é o segundo carro da PSA Peugeot Citroen, no mercado brasileiro, a trazer uma central multimedia com tela sensível ao toque.
 
No console central, o freio de mão é do tipo “aviação”, que libera espaço graças ao seu formato. Ainda que tenha um desenho inovador, a alavanca é um pouco pesada. O moto rista precisa se acostumar. Ainda no console central, o comando elétrico da cortina que cobre o teto de vidro panorâmico. Na versão avaliada, o sistema de ar-condicionado é de dupla zona, com controle digital e automático.
 
Os bancos das versões Griffe são revestidos parcialmente em couro. O volante é revestido em couro e dispõe de um acabamento cromo fosco. O interior do 2008 oferece um bom número de porta-objetos, como os espaços nas portas laterais. Destaque para um profundo compartimento situado em frente à alavanca de câmbio. O modelo tem também um porta-luvas refrigerado.
 
Interior
 
Ainda que o 2008 seja um crossover compacto, ele é visivelmente mais espaçoso que o 208. Mas quando comparado a outros crossovers como Honda HR-V, Renault Duster e Jeep Renegade, dá para ver que o modelo da Peugeot é um pouco menor. Na prática, isso limita o tamanho do porta-malas e o espaço para pernas no banco traseiro. Nada que chegue a incomodar demasiadamente. O porta-malas comporta apenas 355 litros.
 
Motorização
 
O Peugeot 2008 Griffe avaliado vem equipado com moto r 1,6 litro - 16V dotado do sistema FlexStart (o mesmo que equipa o 208). Ele entrega 122 cv de potência a 5.800 rpm quando abastecido com etanol, e torque máximo de 16,4 kgfm a 4.000 RPM. Ao utilizar gasolina, a potência é de 115 cv a 6.000 RPM e 15,5 kgfm de torque.
 
Esse moto r pode estar associado a duas opções de câmbio: manual de cinco marchas ou automático de apenas quatro marchas. Na opção da caixa automática, conta ainda com trocas sequenciais por meio de “paddle shift” na coluna de direção.
 
Dirigibilidade
 
Com o câmbio automático de quatro marchas e o moto r 1,6 litro Flex aspirado, o 2008 se mostra um veículo mais indicado para uso urbano. No dia a dia das cidades, o 2008 atende as necessidades, em especial de quem não está preocupado com o alto desempenho. O moto r 1,6 litro é bom, mas o câmbio de quatro marchas limita bastante o desempenho.
 
O problema desse câmbio de apenas quatro marchas acaba sendo percebido nas estradas. Falta marcha para dar melhor desenvoltura. É comum encontrar situações onde a terceira marcha fica com rotação excessiva, e quarta marcha não tem força, principalmente em estradas de pista simples numa ultrapassagem. O problema é amenizado graças ao “paddle shift” que permite maior interação do moto rista com o carro, na hora de selecionar uma marcha manualmente.
 
Boa mobilidade urbana
 
Para se adaptar melhor as condições de rodagem no Brasil, o 2008 passou por outras alterações considerando especificamente o mercado local. Diferentemente do veículo europeu, o crossover produzido localmente possui um maior ângulo de entrada, de 22,2 graus. Os pneus têm maior tamanho (205/60 R16) e a suspensão é 10 mm mais alta. Isso ajuda bastante na hora de encarar buracos, lombadas e valetas, onde o crossover se sai bem. No total, são 200 mm de altura em relação ao solo.
 
Segurança
 
Todas as versões do PEUGEOT 2008 estão equipadas de série com: cintos de segurança com três pontos de fixação; alerta sonoro e visual de afivelamento do cinto do condutor; dois airbags frontais; dois airbags laterais; freios a disco nas quatro rodas com ABS. A versão Griffe acrescenta dois airbags do tipo cortina (que protege a cabeça de moto rista e passageiros do banco traseiro).
 
Os faróis de neblina vêm equipados com a função “cornering”, ou seja, para aumentar a visibilidade noturna do moto rista, eles acendem automaticamente na direção da curva em função do ângulo do volante.
 
Versões
 
O Peugeot 2008 é oferecido em três versões de acabamento: Allure e Griffe, ambas equipadas com o moto r 1.6 litro - 16V Flex e transmissões manual e automática, e a Griffe THP com caixa manual de seis marchas.
 
Desde a versão de entrada Allure, o 2008 traz sistema de alarme ultrassom; sensor de obstáculo traseiro; regulador de velocidade; faróis de neblina; ajuste elétrico dos retrovisores; vidros elétricos dianteiros e traseiros. A versão Griffe acrescenta: revestimentos dos bancos em couro e tecido; sensor de obstáculo dianteiro; acendimento automático do farol e sensor do limpador do para-brisa e também rodas de 16 polegadas diamantadas.
 
O 2008 está disponível nas cores Branco Banquise, Branco Nacré (perolizado), Cinza Aluminium, Marrom Dark Carmin, Preto Perla Nera e Vermelho Rubi. O modelo conta ainda com 3 anos de garantia total; 3 anos de PEUGEOT Assistance e revisões com preços fixos.
O preço sugerido da versão Griffe 1.6 automático é de R$ 82.490,00 à vista. Existe ainda o financiamento pelo Banco PSA com taxa 0% a.m. sendo 50% de entrada e saldo em 30 parcelas.
 
O 2008 não é tão caro quanto concorrentes como Honda HR-V e Jeep Renegade. Se o cliente estiver procurando por um modelo prático e completo, e não tiver tanta necessidade de espaço, o 2008 pode ser uma boa opção, principalmente para quem vai usar o carro na cidade, e não está preocupado com alto desempenho.

Para conhecer uma oferta do 2008, ou outros modelos da Peugeot, clique AQUI!

Avaliações < Voltar
Avaliação: Peugeot 2008 Griffe automático
 

Avaliação: Peugeot 2008 Griffe automático

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Crossover da Peugeot agrada no conforto e boa gama de equipamentos de série

13 de Dezembro de 2016

Em Abril de 2015, a Peugeot apresentou ao mercado o seu novo crossover compacto. Derivado do compacto 208, o 2008 chegou para oferecer um “algo mais” em estilo e usabilidade no dia a dia. Depois do hatchback 208, esse novo crossover é o segundo modelo global a ser fabricado no Centro de Produção de Porto Real (RJ), do Grupo PSA Peugeot Citroën.
 
O 2008 possui algumas configurações para atender vários tipos de clientes, principalmente ofertados com câmbio manual. Mas sempre existe um filão de clientes que faz a opção pelo conforto. Justamente por isso, trazemos a avaliação da versão Griffe do 2008, equipada com câmbio automático de quatro marchas.
 
Foco estratégico
 
Segundo a Peugeot, o 2008 chegou para reinventar alguns padrões estabelecidos no segmento dos utilitários compactos. Ele trouxe um design sofisticado, que une a dirigibilidade parecida a de um hatchback, com a oferta de espaço de uma perua. Dessa forma, o 2008 um veículo tipicamente urbano e familiar. Em geral, o público feminino se identifica mais com esse tipo de proposta.
 
Estilo
 
No geral, o 2008 lembra bastante o seu irmão menor 208. Entretanto, ele consegue manter uma identidade própria. Na dianteira, seus faróis foram projetados levando em conta as funções técnicas. Eles remetem à pupila de um felino, pois possuem refletores com lente semielíticas e luzes diurnas em LED. Mais isso sem perder o porte externo que lembra um SUV compacto.
 
Outro ponto de destaque é a enorme superfície envidraçada, incluindo o teto panorâmico de 0,60 m², que proporciona um interior mais iluminado e agradável. Dentro da proposta de uso abrangente, ele vem equipado com pneus de uso misto calçados em rodas de 16 polegadas de liga leve com acabamento diamantado. Acrescenta também protetores pretos na parte inferior da carroceria, que se estendem do para-choque dianteiro ao traseiro. Na traseira, destaque para as lanternas traseiras que parecem flutuar, com uma identidade visual (que remete às “garras” do leão) iluminadas por LEDS.
 
Posto de condução elevado
 
Outra inovação é a ergonomia interna, especialmente a do moto rista que conta com banco ajustável em altura, profundidade e inclinação. Além disso, está presente o volante multifunções de tamanho reduzido e revestido com couro, regulável em profundidade e em altura, que conta com assistência progressiva elétrica. O painel de instrumentos é visto por cima do volante (assim como acontece no 208), diminuindo o movimento de visão entre estrada e instrumentação.
 
De série desde a versão de entrada, a central multimídia traz tela colorida sensível ao toque de sete polegadas com gráficos mais elaborados. Ela inclui menu “Navegação” permite controlar a função GPS; tecla “Multimídia” possibilita controlar o rádio, ler arquivos de música via conexão USB ou visualizar fotografias; menu “Comunicação” controla a conexão Bluetooth para celular e para streaming de áudio e o menu de “Parâmetros” que permite configurar funções do do carro. Esse é o segundo carro da PSA Peugeot Citroen, no mercado brasileiro, a trazer uma central multimedia com tela sensível ao toque.
 
No console central, o freio de mão é do tipo “aviação”, que libera espaço graças ao seu formato. Ainda que tenha um desenho inovador, a alavanca é um pouco pesada. O moto rista precisa se acostumar. Ainda no console central, o comando elétrico da cortina que cobre o teto de vidro panorâmico. Na versão avaliada, o sistema de ar-condicionado é de dupla zona, com controle digital e automático.
 
Os bancos das versões Griffe são revestidos parcialmente em couro. O volante é revestido em couro e dispõe de um acabamento cromo fosco. O interior do 2008 oferece um bom número de porta-objetos, como os espaços nas portas laterais. Destaque para um profundo compartimento situado em frente à alavanca de câmbio. O modelo tem também um porta-luvas refrigerado.
 
Interior
 
Ainda que o 2008 seja um crossover compacto, ele é visivelmente mais espaçoso que o 208. Mas quando comparado a outros crossovers como Honda HR-V, Renault Duster e Jeep Renegade, dá para ver que o modelo da Peugeot é um pouco menor. Na prática, isso limita o tamanho do porta-malas e o espaço para pernas no banco traseiro. Nada que chegue a incomodar demasiadamente. O porta-malas comporta apenas 355 litros.
 
Motorização
 
O Peugeot 2008 Griffe avaliado vem equipado com moto r 1,6 litro - 16V dotado do sistema FlexStart (o mesmo que equipa o 208). Ele entrega 122 cv de potência a 5.800 rpm quando abastecido com etanol, e torque máximo de 16,4 kgfm a 4.000 RPM. Ao utilizar gasolina, a potência é de 115 cv a 6.000 RPM e 15,5 kgfm de torque.
 
Esse moto r pode estar associado a duas opções de câmbio: manual de cinco marchas ou automático de apenas quatro marchas. Na opção da caixa automática, conta ainda com trocas sequenciais por meio de “paddle shift” na coluna de direção.
 
Dirigibilidade
 
Com o câmbio automático de quatro marchas e o moto r 1,6 litro Flex aspirado, o 2008 se mostra um veículo mais indicado para uso urbano. No dia a dia das cidades, o 2008 atende as necessidades, em especial de quem não está preocupado com o alto desempenho. O moto r 1,6 litro é bom, mas o câmbio de quatro marchas limita bastante o desempenho.
 
O problema desse câmbio de apenas quatro marchas acaba sendo percebido nas estradas. Falta marcha para dar melhor desenvoltura. É comum encontrar situações onde a terceira marcha fica com rotação excessiva, e quarta marcha não tem força, principalmente em estradas de pista simples numa ultrapassagem. O problema é amenizado graças ao “paddle shift” que permite maior interação do moto rista com o carro, na hora de selecionar uma marcha manualmente.
 
Boa mobilidade urbana
 
Para se adaptar melhor as condições de rodagem no Brasil, o 2008 passou por outras alterações considerando especificamente o mercado local. Diferentemente do veículo europeu, o crossover produzido localmente possui um maior ângulo de entrada, de 22,2 graus. Os pneus têm maior tamanho (205/60 R16) e a suspensão é 10 mm mais alta. Isso ajuda bastante na hora de encarar buracos, lombadas e valetas, onde o crossover se sai bem. No total, são 200 mm de altura em relação ao solo.
 
Segurança
 
Todas as versões do PEUGEOT 2008 estão equipadas de série com: cintos de segurança com três pontos de fixação; alerta sonoro e visual de afivelamento do cinto do condutor; dois airbags frontais; dois airbags laterais; freios a disco nas quatro rodas com ABS. A versão Griffe acrescenta dois airbags do tipo cortina (que protege a cabeça de moto rista e passageiros do banco traseiro).
 
Os faróis de neblina vêm equipados com a função “cornering”, ou seja, para aumentar a visibilidade noturna do moto rista, eles acendem automaticamente na direção da curva em função do ângulo do volante.
 
Versões
 
O Peugeot 2008 é oferecido em três versões de acabamento: Allure e Griffe, ambas equipadas com o moto r 1.6 litro - 16V Flex e transmissões manual e automática, e a Griffe THP com caixa manual de seis marchas.
 
Desde a versão de entrada Allure, o 2008 traz sistema de alarme ultrassom; sensor de obstáculo traseiro; regulador de velocidade; faróis de neblina; ajuste elétrico dos retrovisores; vidros elétricos dianteiros e traseiros. A versão Griffe acrescenta: revestimentos dos bancos em couro e tecido; sensor de obstáculo dianteiro; acendimento automático do farol e sensor do limpador do para-brisa e também rodas de 16 polegadas diamantadas.
 
O 2008 está disponível nas cores Branco Banquise, Branco Nacré (perolizado), Cinza Aluminium, Marrom Dark Carmin, Preto Perla Nera e Vermelho Rubi. O modelo conta ainda com 3 anos de garantia total; 3 anos de PEUGEOT Assistance e revisões com preços fixos.
O preço sugerido da versão Griffe 1.6 automático é de R$ 82.490,00 à vista. Existe ainda o financiamento pelo Banco PSA com taxa 0% a.m. sendo 50% de entrada e saldo em 30 parcelas.
 
O 2008 não é tão caro quanto concorrentes como Honda HR-V e Jeep Renegade. Se o cliente estiver procurando por um modelo prático e completo, e não tiver tanta necessidade de espaço, o 2008 pode ser uma boa opção, principalmente para quem vai usar o carro na cidade, e não está preocupado com alto desempenho.

Para conhecer uma oferta do 2008, ou outros modelos da Peugeot, clique AQUI!

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!