Revista Comprecar
Avaliação: Sandero GT Line
Visual esportivo é principal destaque nessa versão
Avaliação: Sandero GT Line
05 de Outubro de 2015

A Renault tem uma longa tradição esportiva. E a divisão que representa esse lado da marca, é justamente a Renault Sport, voltada ao automobilismo e veículos esportivos. Essa divisão foi fundada em 1976 com a fusão dos departamentos de competição da Alpine e da Gordini. Hoje, ela é responsável por fabricar, projetar, desenvolver e comercializar uma gama completa de carros esportivos e de corrida. São três níveis de esportividade: GT Line, com mudanças estéticas; GT, além da estética, tem preparação na mecânica; e a linha R.S., que representa o máximo da esportividade. Um exemplo de produtos oriundos dessa divisão são: o Fluence GT (comercializada há alguns anos com moto r turbo), o Fluence GT Line (versão apenas com visual esportivo) e o recém-lançado Sandero R.S. (com diversas alterações mecânicas). Junto com a chegada do Sandero R.S., a Renault também apresentou o Sandero GT Line, foco dessa avaliação.
 
Na prática, o Sandero GT Line é a versão topo de linha do Sandero (a Dynamique), com um visual esportivo. Então, sem alterações mecânicas ou de performance, a versão GT Line é indicada para o cliente que procura um carro com visual diferente, mas preservando o custo-benefício de um Sandero tradicional.
 
Visual esportivo
 
Por conta disso, o GT Line traz como destaque, alguns itens estéticos. Em relação a versão Dynamique, o GT Line acrescenta: Rodas de 16 polegadas com desenho específico e escurecidas, novo para-choque exclusivo, nova grade frontal, aerofólio, difusor e saias laterais. Tudo isso para sugerir um visual mais aerodinâmico ao carro.
 
A cor cinza escura, batizada de Dark Metal, foi escolhida para ressaltar detalhes esportivos, como rodas, aerofólio, difusor, moldura dos faróis de neblina e capas dos espelhos retrovisores.
 
O interior também traz mudanças, sempre mantendo a proposta esportiva. Os bancos forrados em preto, trazem um revestimento que lembra a fibra de carbono, e acrescentam um bordado com a identidade visual da Renault Sport no apoio de cabeça. O volante também muda, forrado em couro e com a inscrição GT Line. Detalhes na cor azul estão presentes nas costuras do banco, volante e manopla do câmbio, além dos aros da saída de ar e do velocímetro. Todas essas mudanças estéticas foram concebidas pela equipe do Renault Design América Latina (RDAL), o estúdio de Design da marca no continente americano, que fica em São Paulo.
 
Motor e câmbio
 
Assim como acontece na versão Dynamique, o Sandero GT Line vem equipado com moto r 1,6 litros – 8 válvulas batizado pela Renault de Hi-Power. Ele produz até 106 cv quando abastecido com etanol, e 98 cv com gasolina. O torque máximo é 15,5 kgfm com etanol e 14,5 kgfm com gasolina. Um fato relevante é a disponibilidade de 85% do torque a partir de 1.500 rpm. Isso ajuda bastante no uso urbano, garantindo a agilidade do carro em acelerações e retomadas de velocidade. Junto com esse moto r, está um câmbio manual de cinco marchas. Não está disponível o câmbio robotizado Easy R nessa versão.
 
Desempenho e dirigibilidade
 
Com esse conjunto, o Sandero GT Line acelera de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos com gasolina (ou 11,0 segundos com etanol). Já a velocidade máxima é de 177 km/h na gasolina, ou 179 km/h no etanol.
 
O Sandero é um carro que agrada prioritariamente o público masculino. Tipicamente, ele é um carro firme, com volante que tende a ser mais duro. A suspensão também é consistente. E a alavanca de câmbio, também tem o seu “peso” nos engates. Isso já deixa o Sandero com uma pegada esportiva, por natureza. A parte boa disso, é que o Sandero é um carro resistente por natureza, pronto para encarar as difíceis condições de rodagem das ruas brasileiras. Assim, o carro não chega a sofrer em lombadas, valetas e buracos, como acontece em alguns dos seus concorrentes. Por outro lado, esse perfil mais “duro”, afasta o público feminino, que gosta de carros mais macios.
 
Equipamentos
 
Assim como a versão Dynamique, a GT Line equivale ao Sandero topo de linha. E por conta disso, ele vem equipado com todos os equipamentos possíveis da linha Sandero. A versão inclui ar-condicionado com controle automático, sensor de estacionamento traseiro e a central multimídia Media NAV Evolution. Essa central inclui rádio, conectividade bluetooth, navegador GPS com tela sensível ao toque. Também conta com informações de trânsito em tempo real e possibilidade de acessar mídias sociais por meio de aplicativo via smartphone, além de novas funções como temperatura externa, o Eco-Coaching e o Eco-Scoring. Para conhecer todos os detalhes dessa central, clique AQUI!
 
Todos os equipamentos presentes no Sandero GT Line são:
 
Sistema multimídia Media NAV Evolution
Ar-condicionado automático
Banco do moto rista com regulagem em altura
Comando de abertura das portas por radiofrequência
Direção hidráulica com regulagem em altura
Retrovisores com regulagem elétrica
Travas elétricas das portas
Vidros dianteiros e traseiros elétricos
Abertura interna do reservatório do combustível
Abertura interna do porta-malas
Banco traseiro com encosto rebatível
Computador de bordo multifunções
Indicador de troca de marcha
Sensor de estacionamento
Repetidor nos espelhos retrovisores
Alarme perimétrico
Faróis de neblina
Sistema CAR - travamento automático a 6 km/h
 
Preço e cores
 
A versão GT Line não tem qualquer opcional de fábrica. Tudo vem de série. O seu preço sugerido é de R$ 48.990,00. Dentro da proposta de hatch-back compacto com visual diferenciado, o Sandero GT Line tem como concorrentes: o Volkswagen Fox Pepper e o Fiat Palio Sporting 1.6. A principal vantagem do modelo da Renault é justamente o seu ótimo custo-benefício. As cores disponíveis são Branco Glacier; Prata Etoile e Preto Nacré.
 
Ficha Técnica
 
Motor: 1,6 litro, quatro cilindros em linha, 8 válvulas
Tração: Dianteira
Potência máxima: 98 cv (gasolina) @ 5.250 rpm/106 cv (etanol) @ 5.250 rpm
Torque máximo: 14,5 kgfm (gasolina) @ 2.850 rpm/15,5 kgfm (etanol) @ 2.850 rpm
Pneus/rodas: Roda de liga leve 195/55 R16
Direção: Hidráulica com diâmetro de giro 10,6 m
Câmbio: Manual de 5 marchas
Tanque de combustível: 50 litros
Porta-malas: 320 litros
Peso (em ordem de marcha): 1.075 kg
Entre eixos: 2.590 mm
Comprimento: 4.068 mm
Altura: 1.536 mm
Largura (sem retrovisores): 1.733 mm
 
Para conhecer uma oferta do Sandero GT Line, acesse: www.ofertasvalec.com.br

Avaliações < Voltar
Avaliação: Sandero GT Line
 

Avaliação: Sandero GT Line

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Visual esportivo é principal destaque nessa versão

05 de Outubro de 2015

A Renault tem uma longa tradição esportiva. E a divisão que representa esse lado da marca, é justamente a Renault Sport, voltada ao automobilismo e veículos esportivos. Essa divisão foi fundada em 1976 com a fusão dos departamentos de competição da Alpine e da Gordini. Hoje, ela é responsável por fabricar, projetar, desenvolver e comercializar uma gama completa de carros esportivos e de corrida. São três níveis de esportividade: GT Line, com mudanças estéticas; GT, além da estética, tem preparação na mecânica; e a linha R.S., que representa o máximo da esportividade. Um exemplo de produtos oriundos dessa divisão são: o Fluence GT (comercializada há alguns anos com moto r turbo), o Fluence GT Line (versão apenas com visual esportivo) e o recém-lançado Sandero R.S. (com diversas alterações mecânicas). Junto com a chegada do Sandero R.S., a Renault também apresentou o Sandero GT Line, foco dessa avaliação.
 
Na prática, o Sandero GT Line é a versão topo de linha do Sandero (a Dynamique), com um visual esportivo. Então, sem alterações mecânicas ou de performance, a versão GT Line é indicada para o cliente que procura um carro com visual diferente, mas preservando o custo-benefício de um Sandero tradicional.
 
Visual esportivo
 
Por conta disso, o GT Line traz como destaque, alguns itens estéticos. Em relação a versão Dynamique, o GT Line acrescenta: Rodas de 16 polegadas com desenho específico e escurecidas, novo para-choque exclusivo, nova grade frontal, aerofólio, difusor e saias laterais. Tudo isso para sugerir um visual mais aerodinâmico ao carro.
 
A cor cinza escura, batizada de Dark Metal, foi escolhida para ressaltar detalhes esportivos, como rodas, aerofólio, difusor, moldura dos faróis de neblina e capas dos espelhos retrovisores.
 
O interior também traz mudanças, sempre mantendo a proposta esportiva. Os bancos forrados em preto, trazem um revestimento que lembra a fibra de carbono, e acrescentam um bordado com a identidade visual da Renault Sport no apoio de cabeça. O volante também muda, forrado em couro e com a inscrição GT Line. Detalhes na cor azul estão presentes nas costuras do banco, volante e manopla do câmbio, além dos aros da saída de ar e do velocímetro. Todas essas mudanças estéticas foram concebidas pela equipe do Renault Design América Latina (RDAL), o estúdio de Design da marca no continente americano, que fica em São Paulo.
 
Motor e câmbio
 
Assim como acontece na versão Dynamique, o Sandero GT Line vem equipado com moto r 1,6 litros – 8 válvulas batizado pela Renault de Hi-Power. Ele produz até 106 cv quando abastecido com etanol, e 98 cv com gasolina. O torque máximo é 15,5 kgfm com etanol e 14,5 kgfm com gasolina. Um fato relevante é a disponibilidade de 85% do torque a partir de 1.500 rpm. Isso ajuda bastante no uso urbano, garantindo a agilidade do carro em acelerações e retomadas de velocidade. Junto com esse moto r, está um câmbio manual de cinco marchas. Não está disponível o câmbio robotizado Easy R nessa versão.
 
Desempenho e dirigibilidade
 
Com esse conjunto, o Sandero GT Line acelera de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos com gasolina (ou 11,0 segundos com etanol). Já a velocidade máxima é de 177 km/h na gasolina, ou 179 km/h no etanol.
 
O Sandero é um carro que agrada prioritariamente o público masculino. Tipicamente, ele é um carro firme, com volante que tende a ser mais duro. A suspensão também é consistente. E a alavanca de câmbio, também tem o seu “peso” nos engates. Isso já deixa o Sandero com uma pegada esportiva, por natureza. A parte boa disso, é que o Sandero é um carro resistente por natureza, pronto para encarar as difíceis condições de rodagem das ruas brasileiras. Assim, o carro não chega a sofrer em lombadas, valetas e buracos, como acontece em alguns dos seus concorrentes. Por outro lado, esse perfil mais “duro”, afasta o público feminino, que gosta de carros mais macios.
 
Equipamentos
 
Assim como a versão Dynamique, a GT Line equivale ao Sandero topo de linha. E por conta disso, ele vem equipado com todos os equipamentos possíveis da linha Sandero. A versão inclui ar-condicionado com controle automático, sensor de estacionamento traseiro e a central multimídia Media NAV Evolution. Essa central inclui rádio, conectividade bluetooth, navegador GPS com tela sensível ao toque. Também conta com informações de trânsito em tempo real e possibilidade de acessar mídias sociais por meio de aplicativo via smartphone, além de novas funções como temperatura externa, o Eco-Coaching e o Eco-Scoring. Para conhecer todos os detalhes dessa central, clique AQUI!
 
Todos os equipamentos presentes no Sandero GT Line são:
 
Sistema multimídia Media NAV Evolution
Ar-condicionado automático
Banco do moto rista com regulagem em altura
Comando de abertura das portas por radiofrequência
Direção hidráulica com regulagem em altura
Retrovisores com regulagem elétrica
Travas elétricas das portas
Vidros dianteiros e traseiros elétricos
Abertura interna do reservatório do combustível
Abertura interna do porta-malas
Banco traseiro com encosto rebatível
Computador de bordo multifunções
Indicador de troca de marcha
Sensor de estacionamento
Repetidor nos espelhos retrovisores
Alarme perimétrico
Faróis de neblina
Sistema CAR - travamento automático a 6 km/h
 
Preço e cores
 
A versão GT Line não tem qualquer opcional de fábrica. Tudo vem de série. O seu preço sugerido é de R$ 48.990,00. Dentro da proposta de hatch-back compacto com visual diferenciado, o Sandero GT Line tem como concorrentes: o Volkswagen Fox Pepper e o Fiat Palio Sporting 1.6. A principal vantagem do modelo da Renault é justamente o seu ótimo custo-benefício. As cores disponíveis são Branco Glacier; Prata Etoile e Preto Nacré.
 
Ficha Técnica
 
Motor: 1,6 litro, quatro cilindros em linha, 8 válvulas
Tração: Dianteira
Potência máxima: 98 cv (gasolina) @ 5.250 rpm/106 cv (etanol) @ 5.250 rpm
Torque máximo: 14,5 kgfm (gasolina) @ 2.850 rpm/15,5 kgfm (etanol) @ 2.850 rpm
Pneus/rodas: Roda de liga leve 195/55 R16
Direção: Hidráulica com diâmetro de giro 10,6 m
Câmbio: Manual de 5 marchas
Tanque de combustível: 50 litros
Porta-malas: 320 litros
Peso (em ordem de marcha): 1.075 kg
Entre eixos: 2.590 mm
Comprimento: 4.068 mm
Altura: 1.536 mm
Largura (sem retrovisores): 1.733 mm
 
Para conhecer uma oferta do Sandero GT Line, acesse: www.ofertasvalec.com.br

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!