Revista Comprecar
Fiat Uno Economy
Opção para quem procura economia de combustível.
Fiat Uno Economy
16 de Junho de 2014

por Jorge Augusto
FOTOS: Marcelo Alexandre

A Fiat sempre foi muito uma montadora muito criativa. São várias as “jogadas” que transformaram soluções simples, em produtos campeões de venda. E nesse sentido, certamente, o Uno Economy é mais uma dessas inteligentes jogadas. É sabido que nenhum cliente gosta “verdadeiramente” do seu carro 1.0 litro. Qualquer moto rista prefere desempenho mais interessante. Mas, a escolha pelo 1.0 acontece por uma simples questão financeira. Afinal, esses modelos são mais baratos e gastam pouco combustível.
 
E de olho nesse cliente de orçamento limitado (e que gostaria de um carro com desempenho melhor), a Fiat criou o Uno Economy. Para isso, a Fiat adotou uma inteligente receita: usando um moto r 1,4 litro, acertou todo carro para proporcionar uma expressiva redução no consumo de combustível (seja com gasolina ou etanol), mas sem prejudicar tanto assim o desempenho. Assim nasceu essa versão Economy, um veículo com ótimos valores de consumo de combustível.
 
É fato que o Uno Economy figura entre os carros mais econômicos do seu segmento. Baseado na mecânica da versão Attractive 1.4, o Uno Economy é ainda mais econômico. Isso foi possível com a adoção de várias soluções de engenharia.
 
A base do Uno Economy é o moto r 1.4 litro – 8 válvulas batizado de “Evo”, e que já incorpora melhorias, como: coletor de admissão em plástico (melhor troca térmica e menos peso), bobinas que economizam energia, bloco do moto r com circulação de água otimizada e variador de fase no comando de válvulas (visando melhor torque).
 
Mudanças para economia
 
Mas, a versão Economy recebeu mais modificações com foco no melhor resultado da economia. Pra começar, a central eletrônica do moto r 1.4 Evo passou por nova calibração, com atenção para a resposta do pedal do acelerador, e a operação em “CUT-off”.
 
Em moto res modernos, o acelerador é sempre eletrônico. Então, a programação no Economy deixou o pedal menos sensível, com resposta mais lenta. Outra forma de economizar é usar o CUT-off, com o carro em desaceleração, e marcha engatada. Assim, o gerenciamento do moto r corta a injeção de combustível. Dentro desta calibração, o CUT-off é aplicado em todos os momentos possíveis no Uno Economy. Em resumo, no anda e pára das grandes cidades, essa calibração assegura o corte do combustível de maneira ainda mais eficiente.
 
De forma complementar ao ajuste do moto r, o Uno Economy traz alterações nas relações das marchas. O objetivo é sempre obter menor a rotação do moto r e, por consequência, mais economia de combustível. A grande diferença do câmbio do novo Uno Economy, em relação a versão Attractive, é a adoção de uma relação final 9% mais longa, passando de 4,067:1 para 3,714:1. Assim, todas as marchas ficam mais longas. Entretanto, para manter o desempenho na estrada, o Economy tem a mesma relação de 5ª marcha do Uno Sporting. Um pouco mais curta, passa de 0,838:1 para 0.872:1.
 
Outra mudança feita pela Fiat foi a mudança da pressão nos pneus, passando de 28 libras da versão Attractive, para 35 libras no Novo Uno Economy. E com o pneu mais duro (e com menor atrito ao chão), a suspensão foi recalibrada, com alteração nas molas e amortecedores. Dessa forma, o Uno Economy teve sua altura em relação ao solo reduzida em 1 cm, diminuindo o atrito com o ar.
 
Os significativos pneus verdes
 
Outro detalhe que pouca gente nota, e que faz uma significativa diferença, são os “pneus verdes”. Claro que os pneus verdes, não são da cor verde. Trata-se de um pneu que incorpora tecnologia de ponta, para aumentar a sua durabilidade e a economia de combustível. E esse equipamento vem de fábrica no Uno Economy, e segundo a Fiat, a economia média de combustível é de 3%. Mas a economia pode ser ainda maior dependendo da forma como o carro é usado. Esses pneus de medida 175/65 com baixa resistência à rolagem, também contam com maior pressão interna de ar. Um pneu mais duro sofre menor deformação, e tem menor atrito com o chão. Mas isso não causa desgaste irregular na banda de rodagem, pois o pneu é projetado para rodar assim.
 
Aliás, o pneu verde também pode durar até 10% a mais, no quesito desgaste. Isso porque em sua construção, são usados componentes que evitam o superaquecimento do pneu, como a sílica. Então, esquentando menos, o desgaste também é menor, durante a rodagem.
 
Mesmo que o pneu verde tenha menor atrito na rodagem, ele não se torna menos eficiente em frenagens, mesmo em piso molhado. Segundo a Fiat, o pneu verde tem a mesma performance (em frenagem) do pneu tradicional, ou até melhor. Isso porque antes de implementar novas tecnologias, a Fiat exige que a nova solução atenda, no mínimo, a capacidade de frenagem do pneu que já estava em uso.
 
Ainda segundo a montadora, o pneu com tecnologia verde é viável do ponto de vista econômico. Afinal, no Uno Economy, utiliza-se um pneu de grande volume e com muita disponibilidade. Pneus antigos de baixa tecnologia estão sendo gradualmente substituídos nos pontos de venda por pneus mais modernos. Portanto, para o próprio fabricante do pneu, fabricar reposição de pneus antigos, vai deixar de ser vantajoso. Na prática, o pneu verde de alto volume (caso do Uno Economy), tem preço competitivo, principalmente se esta sendo levado em consideração, as vantagens em durabilidade, economia de combustível e menor emissão de CO2. E além de todas essas vantagens, o pneu verde também gera menor ruído durante seu rolamento.
 
Desempenho
 
Com todas essas mudanças, o Uno Economy ficou no mesmo patamar de um carro 1.0, no quesito consumo. Mas, o desempenho é visivelmente melhor que o de um carro mil. O Uno Economy acelera de 0 a 100 km/h em 11,1 segundos com gasolina e 10,8 segundos quando abastecido de etanol, e chega a uma velocidade máxima de 170/172 km/h (gasolina/etanol).
 
E isso sem perder o seu foco principal que é a economia. Pelo programa de etiquetagem do INMETRO, o consumo do Uno Economy leva etiqueta “A”. Assim, com etanol a média é de 8,7 e 10,4 km/l (cidade/estrada). Na gasolina, sobe para 12,5 e 15,2 km/l. Entretanto, a medição leva em conta o modelo sem o ar-condicionado. Ainda sim, o Uno Economy se mostra um veículo econômico de verdade.
 
Para o moto rista que visa manter o foco na economia, essa versão traz o Econômetro em conjunto com o conta-giros. Observando sempre esse marcador, dá para ver exatamente quando é possível acelerar menos o carro, e economizar combustível. Afinal, muitas das vezes, o moto rista não se dá conta, que esta acelerando desnecessariamente. Certamente, esse equipamento faz a diferença para quem quer economizar no dia a dia.
 
Interior e Estilo
 
Não dá para esperar muita coisa de um carro que tem foco na economia. Assim, o acabamento está no nível dos concorrentes diretos, com plásticos de qualidade inferior. O painel mistura instrumentos que têm boa visualização (velocímetro, conta-giros e econômetro) e outros que são confusos (marcadores de temperatura do moto r e do nível de combustível). A coluna de direção só ajusta um pouco em altura. A postura do moto rista é apenas regular.
 
O Uno Economy ainda pode reservar surpresas como o espelhinho interno, para observar o banco traseiro. Com retrovisores externos e interno de bom tamanho, a visibilidade traseira é boa. O interior também é razoável em porta-trecos. Além disso, existe a opção do porta-trecos no teto. O banco traseiro só acomoda com conforto dois adultos. Falta ainda o cinto de três pontos para quem senta no meio.
 
Por fora, o Uno Economy traz para-choques, maçanetas e retrovisores pintados na cor da carroceria, rodas aro 14 polegadas e pneus 175/65 com baixa resistência à rolagem. A versão é identificada por um logotipo com fundo verde.
 
Equipamentos e preços
 
Aqui chegamos a um ponto crítico do modelo da Fiat. O preço inicial de R$ 30,5 mil pode parecer muito atrativo a primeira vista, para a versão Economy. Mas, na hora de montar o carro, a surpresa não tão agradável. A pintura metálica já acrescenta R$ 1,2 mil. O ar-condicionado são proibitivos R$ 3,5 mil. O porta treco do teto mais R$ 500. Travas e vidros dianteiros elétricos com farol auxiliar mais R$ 1 mil. Radio Connect mais R$ 700. Banco do moto rista com regulagem de altura mais R$ 500. E por ai vai! Com todos os opcionais de conforto e comodidade, o carro chega a R$ 39 mil.
 
Se considerarmos que a versão topo de linha do Volkswagen Up custa mais de R$ 40 mil (com moto r 1,0 litro), o Uno Economy pode ser uma boa escolha, para o cliente que busca desempenho e economia, juntos. Mas não dá para esperar elevado padrão de acabamento e conforto, do carrinho da Fiat. De forma geral, o Uno Economy é boa escolha para quem busca um carro valente para o dia a dia, e tem o orçamento curto.
 

Avaliações < Voltar
Fiat Uno Economy
 

Fiat Uno Economy

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Opção para quem procura economia de combustível.

16 de Junho de 2014

por Jorge Augusto
FOTOS: Marcelo Alexandre

A Fiat sempre foi muito uma montadora muito criativa. São várias as “jogadas” que transformaram soluções simples, em produtos campeões de venda. E nesse sentido, certamente, o Uno Economy é mais uma dessas inteligentes jogadas. É sabido que nenhum cliente gosta “verdadeiramente” do seu carro 1.0 litro. Qualquer moto rista prefere desempenho mais interessante. Mas, a escolha pelo 1.0 acontece por uma simples questão financeira. Afinal, esses modelos são mais baratos e gastam pouco combustível.
 
E de olho nesse cliente de orçamento limitado (e que gostaria de um carro com desempenho melhor), a Fiat criou o Uno Economy. Para isso, a Fiat adotou uma inteligente receita: usando um moto r 1,4 litro, acertou todo carro para proporcionar uma expressiva redução no consumo de combustível (seja com gasolina ou etanol), mas sem prejudicar tanto assim o desempenho. Assim nasceu essa versão Economy, um veículo com ótimos valores de consumo de combustível.
 
É fato que o Uno Economy figura entre os carros mais econômicos do seu segmento. Baseado na mecânica da versão Attractive 1.4, o Uno Economy é ainda mais econômico. Isso foi possível com a adoção de várias soluções de engenharia.
 
A base do Uno Economy é o moto r 1.4 litro – 8 válvulas batizado de “Evo”, e que já incorpora melhorias, como: coletor de admissão em plástico (melhor troca térmica e menos peso), bobinas que economizam energia, bloco do moto r com circulação de água otimizada e variador de fase no comando de válvulas (visando melhor torque).
 
Mudanças para economia
 
Mas, a versão Economy recebeu mais modificações com foco no melhor resultado da economia. Pra começar, a central eletrônica do moto r 1.4 Evo passou por nova calibração, com atenção para a resposta do pedal do acelerador, e a operação em “CUT-off”.
 
Em moto res modernos, o acelerador é sempre eletrônico. Então, a programação no Economy deixou o pedal menos sensível, com resposta mais lenta. Outra forma de economizar é usar o CUT-off, com o carro em desaceleração, e marcha engatada. Assim, o gerenciamento do moto r corta a injeção de combustível. Dentro desta calibração, o CUT-off é aplicado em todos os momentos possíveis no Uno Economy. Em resumo, no anda e pára das grandes cidades, essa calibração assegura o corte do combustível de maneira ainda mais eficiente.
 
De forma complementar ao ajuste do moto r, o Uno Economy traz alterações nas relações das marchas. O objetivo é sempre obter menor a rotação do moto r e, por consequência, mais economia de combustível. A grande diferença do câmbio do novo Uno Economy, em relação a versão Attractive, é a adoção de uma relação final 9% mais longa, passando de 4,067:1 para 3,714:1. Assim, todas as marchas ficam mais longas. Entretanto, para manter o desempenho na estrada, o Economy tem a mesma relação de 5ª marcha do Uno Sporting. Um pouco mais curta, passa de 0,838:1 para 0.872:1.
 
Outra mudança feita pela Fiat foi a mudança da pressão nos pneus, passando de 28 libras da versão Attractive, para 35 libras no Novo Uno Economy. E com o pneu mais duro (e com menor atrito ao chão), a suspensão foi recalibrada, com alteração nas molas e amortecedores. Dessa forma, o Uno Economy teve sua altura em relação ao solo reduzida em 1 cm, diminuindo o atrito com o ar.
 
Os significativos pneus verdes
 
Outro detalhe que pouca gente nota, e que faz uma significativa diferença, são os “pneus verdes”. Claro que os pneus verdes, não são da cor verde. Trata-se de um pneu que incorpora tecnologia de ponta, para aumentar a sua durabilidade e a economia de combustível. E esse equipamento vem de fábrica no Uno Economy, e segundo a Fiat, a economia média de combustível é de 3%. Mas a economia pode ser ainda maior dependendo da forma como o carro é usado. Esses pneus de medida 175/65 com baixa resistência à rolagem, também contam com maior pressão interna de ar. Um pneu mais duro sofre menor deformação, e tem menor atrito com o chão. Mas isso não causa desgaste irregular na banda de rodagem, pois o pneu é projetado para rodar assim.
 
Aliás, o pneu verde também pode durar até 10% a mais, no quesito desgaste. Isso porque em sua construção, são usados componentes que evitam o superaquecimento do pneu, como a sílica. Então, esquentando menos, o desgaste também é menor, durante a rodagem.
 
Mesmo que o pneu verde tenha menor atrito na rodagem, ele não se torna menos eficiente em frenagens, mesmo em piso molhado. Segundo a Fiat, o pneu verde tem a mesma performance (em frenagem) do pneu tradicional, ou até melhor. Isso porque antes de implementar novas tecnologias, a Fiat exige que a nova solução atenda, no mínimo, a capacidade de frenagem do pneu que já estava em uso.
 
Ainda segundo a montadora, o pneu com tecnologia verde é viável do ponto de vista econômico. Afinal, no Uno Economy, utiliza-se um pneu de grande volume e com muita disponibilidade. Pneus antigos de baixa tecnologia estão sendo gradualmente substituídos nos pontos de venda por pneus mais modernos. Portanto, para o próprio fabricante do pneu, fabricar reposição de pneus antigos, vai deixar de ser vantajoso. Na prática, o pneu verde de alto volume (caso do Uno Economy), tem preço competitivo, principalmente se esta sendo levado em consideração, as vantagens em durabilidade, economia de combustível e menor emissão de CO2. E além de todas essas vantagens, o pneu verde também gera menor ruído durante seu rolamento.
 
Desempenho
 
Com todas essas mudanças, o Uno Economy ficou no mesmo patamar de um carro 1.0, no quesito consumo. Mas, o desempenho é visivelmente melhor que o de um carro mil. O Uno Economy acelera de 0 a 100 km/h em 11,1 segundos com gasolina e 10,8 segundos quando abastecido de etanol, e chega a uma velocidade máxima de 170/172 km/h (gasolina/etanol).
 
E isso sem perder o seu foco principal que é a economia. Pelo programa de etiquetagem do INMETRO, o consumo do Uno Economy leva etiqueta “A”. Assim, com etanol a média é de 8,7 e 10,4 km/l (cidade/estrada). Na gasolina, sobe para 12,5 e 15,2 km/l. Entretanto, a medição leva em conta o modelo sem o ar-condicionado. Ainda sim, o Uno Economy se mostra um veículo econômico de verdade.
 
Para o moto rista que visa manter o foco na economia, essa versão traz o Econômetro em conjunto com o conta-giros. Observando sempre esse marcador, dá para ver exatamente quando é possível acelerar menos o carro, e economizar combustível. Afinal, muitas das vezes, o moto rista não se dá conta, que esta acelerando desnecessariamente. Certamente, esse equipamento faz a diferença para quem quer economizar no dia a dia.
 
Interior e Estilo
 
Não dá para esperar muita coisa de um carro que tem foco na economia. Assim, o acabamento está no nível dos concorrentes diretos, com plásticos de qualidade inferior. O painel mistura instrumentos que têm boa visualização (velocímetro, conta-giros e econômetro) e outros que são confusos (marcadores de temperatura do moto r e do nível de combustível). A coluna de direção só ajusta um pouco em altura. A postura do moto rista é apenas regular.
 
O Uno Economy ainda pode reservar surpresas como o espelhinho interno, para observar o banco traseiro. Com retrovisores externos e interno de bom tamanho, a visibilidade traseira é boa. O interior também é razoável em porta-trecos. Além disso, existe a opção do porta-trecos no teto. O banco traseiro só acomoda com conforto dois adultos. Falta ainda o cinto de três pontos para quem senta no meio.
 
Por fora, o Uno Economy traz para-choques, maçanetas e retrovisores pintados na cor da carroceria, rodas aro 14 polegadas e pneus 175/65 com baixa resistência à rolagem. A versão é identificada por um logotipo com fundo verde.
 
Equipamentos e preços
 
Aqui chegamos a um ponto crítico do modelo da Fiat. O preço inicial de R$ 30,5 mil pode parecer muito atrativo a primeira vista, para a versão Economy. Mas, na hora de montar o carro, a surpresa não tão agradável. A pintura metálica já acrescenta R$ 1,2 mil. O ar-condicionado são proibitivos R$ 3,5 mil. O porta treco do teto mais R$ 500. Travas e vidros dianteiros elétricos com farol auxiliar mais R$ 1 mil. Radio Connect mais R$ 700. Banco do moto rista com regulagem de altura mais R$ 500. E por ai vai! Com todos os opcionais de conforto e comodidade, o carro chega a R$ 39 mil.
 
Se considerarmos que a versão topo de linha do Volkswagen Up custa mais de R$ 40 mil (com moto r 1,0 litro), o Uno Economy pode ser uma boa escolha, para o cliente que busca desempenho e economia, juntos. Mas não dá para esperar elevado padrão de acabamento e conforto, do carrinho da Fiat. De forma geral, o Uno Economy é boa escolha para quem busca um carro valente para o dia a dia, e tem o orçamento curto.
 

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!