Revista Comprecar
Linha 2017 do Renegade chega com motor mais potente
Versões 1.8 Flex estão mais econômicas e potência sobe 7 cv chegando a 139 cv
Linha 2017 do Renegade chega com motor mais potente
20 de Novembro de 2016

Único SUV compacto do mercado brasileiro que não deriva de carro de passeio (pois tem uma plataforma própria), acaba de chegar a linha 2017 com mais novidades. As versões do SUV compacto com o moto r 1.8 EtorQ Evo Flex receberam um pacote de evoluções técnicas, com ênfase na eficiência energética. São elas:
 
- coletor de admissão variável (VIS)
- partida a frio sem tanque auxiliar
- sistema Stop&Start
- monitoramento indireto da pressão dos pneus (iTPMS)
- indicador de troca de marchas no quadro de instrumentos
- pneus “verdes”
- alternador inteligente
- bomba de combustível inteligente
- óleos de baixo atrito para moto r e transmissão
 
As alterações no propulsor fizeram o Jeep Renegade 1.8 Flex ficar 5% mais potente, rendendo 7 cv a mais. Agora a potência máxima é de 139 cv a 5.750 rpm, com etanol. O torque máximo subiu para 19,3 kgfm a 3.750 rpm e, mais importante, a força é entregue de forma mais linear por toda a faixa de giros.
 
As alterações resultam em melhor desempenho, maior agilidade nas situações mais corriqueiras de trânsito e menores índices de consumo e de emissões até 10% a menos, dependendo da versão.
 
Com o coletor de admissão variável, também chamado de VIS (sigla inglesa para Variable Intake System – sistema de admissão variável), o moto r 1.8 EtorQ Evo passou a responder com mais prontidão, algo notado especialmente em baixas rotações. Afinal, estudos com os consumidores apontam que em 80% do uso urbano o moto r opera abaixo de 2.000 rpm. Em resumo, são dois coletores em um só: até 4.000 giros, o ar que vai para os cilindros passa por um caminho mais longo, favorecendo o torque. Acima dessa rotação, uma aleta é acionada e faz o ar percorrer um trajeto mais curto, gerando mais potência.
 
O sistema Stop&Start contribui decisivamente com a redução do consumo, desligando o moto r em paradas de semáforo ou engarrafamentos, e religando de forma sutil, assim que se solta o pedal do freio (quando o câmbio é automático) ou a embreagem é pressionada (com a caixa manual). Ao lado do câmbio, uma tecla no console permite desligar o sistema, se o moto rista preferir. A função Autostop não se ativa em situações como: moto r frio, veículo em rampa, bateria fraca e cinto do moto rista desafivelado, entre outras. E a partida é dada sem ação do moto rista se o moto r estiver desligado por mais de três minutos e se o ar-condicionado estiver ligado (nesse caso, a parada é limitada a um minuto), para citar as principais condições.
 
Já o sistema eletrônico de partida a frio traz, além de economia, comodidade ao moto rista, que não precisa mais se preocupar em abastecer o extinto tanquinho adicional de gasolina. O recurso, que aquece o combustível dentro do tubo distribuidor, entra em ação sempre que a temperatura é inferior a 16°C e há mais de 70% de etanol no tanque.
 
Os pneus “verdes” diminuem a resistência de rolagem, contribuindo em até 2% na redução do consumo de combustível. Além disso, eles geram menos ruído e têm desempenho mais constante ao longo da vida útil. E, para complementar esse hardware, um software faz o monitoramento da pressão dos pneus e avisa, pelo quadro de instrumentos, quando um deles está murcho. Essa tecnologia é extremamente confiável e funciona por meio das leituras do ABS e do controle de estabilidade (ESC).
 
Outro importante recurso que todo Renegade com o moto r 1.8 Evo recebeu foi o modo de condução Sport. Acionando esse botão no painel, logo acima dos comandos do ar-condicionado, o carro não apenas apresenta uma sensação maior de prontidão, como realmente entrega mais desempenho. O acelerador fica mais direto e, nas versões com câmbio automático de 6 marchas, o ajuste é focado em performance, demorando mais para trocar as marchas, entre outras medidas.
 
Jeep Renegade Limited
 
Nova versão de topo com o moto r 1.8 Flex, ela tem como maiores diferenciais visuais a pintura prata na grade dianteira, capas dos retrovisores externos e barras de teto. O teto é sempre pintado de preto, e as rodas de 18 polegadas têm pintura exclusiva. Entre os equipamentos a mais que a versão Longitude 1.8, destaque para:
 
- bancos de couro
- chave de presença Keyless Enter’n Go
- tela de TFT de 7 polegadas, colorida e configurável no quadro de instrumentos
- faróis de xenônio
- sensores de faróis e de chuva
- rebatimento elétrico dos retrovisores
- espelho interno eletrocrômico
 
Mais equipamentos
 
A maioria das versões do Jeep Renegade 2017 ficou ainda mais equipada, com novos itens de série, distribuídos da seguinte maneira:
 
Sport
 
- porta-óculos
- barras longitudinais de teto
- banco do passageiro rebatível e com porta-objetos sob o assento
- central multimídia Uconnect 5” com tela de toque, GPS e câmera de ré (com moto r 2.0 Diesel)
 
Longitude
 
- porta-óculos
- bancos de couro (com moto r 2.0 Diesel)
 
Trailhawk
 
- air bags laterais, de cortina e de joelhos para o moto rista
- faróis de xenônio
- chave de presença Keyless Enter’n Go
- bancos de couro
- rebatimento elétrico dos retrovisores
 
Exclusividades do Renegade
 
Não bastasse ser o único SUV compacto no Brasil com opção de moto r turbo diesel e o primeiro veículo nacional com câmbio automático de 9 marchas, o Renegade oferece níveis de acabamento, de equipamentos e de segurança inigualáveis em sua categoria. E continua sendo o único que não deriva de nenhum carro de passeio, o que proporciona a possibilidade de usufruir de uma posição elevada ao volante e robustez em qualquer tipo de terreno.
 
Entre os itens exclusivos que apresenta no segmento, destaque para:
 
- controle anticapotamento (de série em todas as versões)
- suspensão independente nas quatro rodas (de série em todas as versões)
- faróis diurnos (DRL), especialmente importantes com a nova legislação brasileira (de série em todas as versões)
- faróis de neblina com função cornering; ligam automaticamente para o lado em que se vira o volante, em baixa velocidade ou durante manobras (de série em todas as versões)
- ar-condicionado digital de duas zonas (de série na Longitude, Limited e Trailhawk)
- air bag para os joelhos do moto rista (de série na Trailhawk)
- detectores de pontos cegos (opcional)
- duas variedades de teto solar; panorâmico e removível (opcionais)
 
Jeep Renegade 2017 – preços sugeridos
 
1.8 Flex MT5: R$ 72.990
Sport 1.8 Flex MT5: R$ 79.490
Sport 1.8 Flex AT6: R$ 85.990
Longitude 1.8 Flex AT6: R$ 90.990
Longitude (teto*) 1.8 Flex AT6: R$ 97.790
Limited 1.8 Flex AT6: R$ 97.990
Limited (teto*) 1.8 Flex AT6: R$ 104.790
Sport 2.0 Diesel AT9 4x4: R$ 115.990
Longitude 2.0 Diesel AT9 4x4: R$ 123.490
Trailhawk 2.0 Diesel AT9 4x4: R$ 136.990
 
* versão com teto solar panorâmico Command View
 
A linha 2017 do Jeep Renegade já está disponível na Jeep Bicudo na cidade de Itu. Mais informações AQUI!

Notícias < Voltar
Linha 2017 do Renegade chega com motor mais potente
 

Linha 2017 do Renegade chega com motor mais potente

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Versões 1.8 Flex estão mais econômicas e potência sobe 7 cv chegando a 139 cv

20 de Novembro de 2016

Único SUV compacto do mercado brasileiro que não deriva de carro de passeio (pois tem uma plataforma própria), acaba de chegar a linha 2017 com mais novidades. As versões do SUV compacto com o moto r 1.8 EtorQ Evo Flex receberam um pacote de evoluções técnicas, com ênfase na eficiência energética. São elas:
 
- coletor de admissão variável (VIS)
- partida a frio sem tanque auxiliar
- sistema Stop&Start
- monitoramento indireto da pressão dos pneus (iTPMS)
- indicador de troca de marchas no quadro de instrumentos
- pneus “verdes”
- alternador inteligente
- bomba de combustível inteligente
- óleos de baixo atrito para moto r e transmissão
 
As alterações no propulsor fizeram o Jeep Renegade 1.8 Flex ficar 5% mais potente, rendendo 7 cv a mais. Agora a potência máxima é de 139 cv a 5.750 rpm, com etanol. O torque máximo subiu para 19,3 kgfm a 3.750 rpm e, mais importante, a força é entregue de forma mais linear por toda a faixa de giros.
 
As alterações resultam em melhor desempenho, maior agilidade nas situações mais corriqueiras de trânsito e menores índices de consumo e de emissões até 10% a menos, dependendo da versão.
 
Com o coletor de admissão variável, também chamado de VIS (sigla inglesa para Variable Intake System – sistema de admissão variável), o moto r 1.8 EtorQ Evo passou a responder com mais prontidão, algo notado especialmente em baixas rotações. Afinal, estudos com os consumidores apontam que em 80% do uso urbano o moto r opera abaixo de 2.000 rpm. Em resumo, são dois coletores em um só: até 4.000 giros, o ar que vai para os cilindros passa por um caminho mais longo, favorecendo o torque. Acima dessa rotação, uma aleta é acionada e faz o ar percorrer um trajeto mais curto, gerando mais potência.
 
O sistema Stop&Start contribui decisivamente com a redução do consumo, desligando o moto r em paradas de semáforo ou engarrafamentos, e religando de forma sutil, assim que se solta o pedal do freio (quando o câmbio é automático) ou a embreagem é pressionada (com a caixa manual). Ao lado do câmbio, uma tecla no console permite desligar o sistema, se o moto rista preferir. A função Autostop não se ativa em situações como: moto r frio, veículo em rampa, bateria fraca e cinto do moto rista desafivelado, entre outras. E a partida é dada sem ação do moto rista se o moto r estiver desligado por mais de três minutos e se o ar-condicionado estiver ligado (nesse caso, a parada é limitada a um minuto), para citar as principais condições.
 
Já o sistema eletrônico de partida a frio traz, além de economia, comodidade ao moto rista, que não precisa mais se preocupar em abastecer o extinto tanquinho adicional de gasolina. O recurso, que aquece o combustível dentro do tubo distribuidor, entra em ação sempre que a temperatura é inferior a 16°C e há mais de 70% de etanol no tanque.
 
Os pneus “verdes” diminuem a resistência de rolagem, contribuindo em até 2% na redução do consumo de combustível. Além disso, eles geram menos ruído e têm desempenho mais constante ao longo da vida útil. E, para complementar esse hardware, um software faz o monitoramento da pressão dos pneus e avisa, pelo quadro de instrumentos, quando um deles está murcho. Essa tecnologia é extremamente confiável e funciona por meio das leituras do ABS e do controle de estabilidade (ESC).
 
Outro importante recurso que todo Renegade com o moto r 1.8 Evo recebeu foi o modo de condução Sport. Acionando esse botão no painel, logo acima dos comandos do ar-condicionado, o carro não apenas apresenta uma sensação maior de prontidão, como realmente entrega mais desempenho. O acelerador fica mais direto e, nas versões com câmbio automático de 6 marchas, o ajuste é focado em performance, demorando mais para trocar as marchas, entre outras medidas.
 
Jeep Renegade Limited
 
Nova versão de topo com o moto r 1.8 Flex, ela tem como maiores diferenciais visuais a pintura prata na grade dianteira, capas dos retrovisores externos e barras de teto. O teto é sempre pintado de preto, e as rodas de 18 polegadas têm pintura exclusiva. Entre os equipamentos a mais que a versão Longitude 1.8, destaque para:
 
- bancos de couro
- chave de presença Keyless Enter’n Go
- tela de TFT de 7 polegadas, colorida e configurável no quadro de instrumentos
- faróis de xenônio
- sensores de faróis e de chuva
- rebatimento elétrico dos retrovisores
- espelho interno eletrocrômico
 
Mais equipamentos
 
A maioria das versões do Jeep Renegade 2017 ficou ainda mais equipada, com novos itens de série, distribuídos da seguinte maneira:
 
Sport
 
- porta-óculos
- barras longitudinais de teto
- banco do passageiro rebatível e com porta-objetos sob o assento
- central multimídia Uconnect 5” com tela de toque, GPS e câmera de ré (com moto r 2.0 Diesel)
 
Longitude
 
- porta-óculos
- bancos de couro (com moto r 2.0 Diesel)
 
Trailhawk
 
- air bags laterais, de cortina e de joelhos para o moto rista
- faróis de xenônio
- chave de presença Keyless Enter’n Go
- bancos de couro
- rebatimento elétrico dos retrovisores
 
Exclusividades do Renegade
 
Não bastasse ser o único SUV compacto no Brasil com opção de moto r turbo diesel e o primeiro veículo nacional com câmbio automático de 9 marchas, o Renegade oferece níveis de acabamento, de equipamentos e de segurança inigualáveis em sua categoria. E continua sendo o único que não deriva de nenhum carro de passeio, o que proporciona a possibilidade de usufruir de uma posição elevada ao volante e robustez em qualquer tipo de terreno.
 
Entre os itens exclusivos que apresenta no segmento, destaque para:
 
- controle anticapotamento (de série em todas as versões)
- suspensão independente nas quatro rodas (de série em todas as versões)
- faróis diurnos (DRL), especialmente importantes com a nova legislação brasileira (de série em todas as versões)
- faróis de neblina com função cornering; ligam automaticamente para o lado em que se vira o volante, em baixa velocidade ou durante manobras (de série em todas as versões)
- ar-condicionado digital de duas zonas (de série na Longitude, Limited e Trailhawk)
- air bag para os joelhos do moto rista (de série na Trailhawk)
- detectores de pontos cegos (opcional)
- duas variedades de teto solar; panorâmico e removível (opcionais)
 
Jeep Renegade 2017 – preços sugeridos
 
1.8 Flex MT5: R$ 72.990
Sport 1.8 Flex MT5: R$ 79.490
Sport 1.8 Flex AT6: R$ 85.990
Longitude 1.8 Flex AT6: R$ 90.990
Longitude (teto*) 1.8 Flex AT6: R$ 97.790
Limited 1.8 Flex AT6: R$ 97.990
Limited (teto*) 1.8 Flex AT6: R$ 104.790
Sport 2.0 Diesel AT9 4x4: R$ 115.990
Longitude 2.0 Diesel AT9 4x4: R$ 123.490
Trailhawk 2.0 Diesel AT9 4x4: R$ 136.990
 
* versão com teto solar panorâmico Command View
 
A linha 2017 do Jeep Renegade já está disponível na Jeep Bicudo na cidade de Itu. Mais informações AQUI!

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!