Revista Comprecar
Mercedes-Benz e o novo motor AMG V8 - 4,0 litros
Novo motor biturbo vem com nova configuração em sua construção
Mercedes-Benz e o novo motor AMG V8 - 4,0 litros
03 de Agosto de 2014

A Mercedes-AMG apresentou recentemente seu novo moto r para veículos AMG. Trata-se de um V8, com 4,0 litros e biturbo! Esse será o coração do novo Mercedes-AMG GT. Com potência máxima de 375 kW (510 cv) e torque máximo de 650 Nm, o novo AMG - V8 proporciona uma performance realmente esportiva. Esse novo moto r dá continuidade a tradição Mercedes-Benz V8 iniciada em 1967 com o M100, no automóvel de corrida 300 SEL 6.8 litros AMG.
 
Motores V8 sempre foram uma das áreas de competência da AMG (a marca de performance da Mercedes-Benz). Os moto res altamente potentes saem da fábrica em Affalterbach, na Alemanha. A Mercedes-AMG GmbH é responsável tanto pelo desenvolvimento como pela produção do novo moto r. Assim, o novo AMG 4,0 litros - V8 biturbo representa um passo adiante em termos de eficiência.
 
Biturbo diferente
 
Os dois turbocompressores do novo moto r AMG V8 não são montados do lado externo das bancadas de cilindros, mas dentro do V que configura o moto r. Os benefícios desta arquitetura são um design mais compacto e baixa emissão de gases. A lubrificação com cárter seco permite que o moto r seja instalado mais baixo, deslocando o centro de gravidade para mais perto do solo e favorecendo a estabilidade em curvas. O "hot inside V" também otimiza o suprimento de ar fresco aos dois turbocompressores movidos pelos gases do escapamento.
 
Pesando 209 kg (sem fluídos), o novo AMG V8 é o moto r mais leve deste segmento altamente competitivo. Com 4 válvulas por cilindro, o ângulo dos cilindros tem 90 graus. A taxa de compressão é de 10.5:1. A potência máxima de 510 cv é atingida à 6.250 rpm. Isso resulta numa densidade de potência de 128 cv/litro. Já o torque máximo é de 650 Nm, entre 1750 e 4750 rpm. E mesmo sendo um moto r V8, a rotação máxima éde impressionantes 7.200 rpm!
 
Com 3.982 cm³ de cilindrada, em termos de tecnologia o V8 é muito próximo do moto r AMG 2,0 litros turbo que equipa o A 45 AMG, o CLA 45 AMG e o GLA 45 AMG - atualmente o moto r de quatro cilindros produzido em série mais potente do mundo.
 
Os dois moto res AMG têm a mesma proporção diâmetro x curso, o que lhes garante grande capacidade em altas rotações. A formação da mistura ar/combustível é realizada por um sistema de injeção direta de gasolina de terceira geração, com injetores piezelétricos.
 
O novo moto r AMG 4,0 litros V8 biturbo atende aos padrões de emissões Euro 6 e ao nível máximo de emissões de partículas que entrará em vigor em 2016. O novo AMG V8 tem pistões de alumínio forjado com design de baixo peso e alta resistência.  Um conjunto de anéis de pistões de baixo atrito diminui o consumo de combustível e de óleo.
 
Os cabeçotes dos cilindros do moto r AMG 4,0 litros V8 biturbo são feitos de uma liga de zircônio para obtenção de máxima resistência à temperatura e ótima condutividade térmica. Quatro eixos de comando de válvulas nos cabeçotes controlam um total de 32 válvulas.
 
Sistema de escapamento esportivo AMG
 
O novo GT tem um sistema de escapamento esportivo com flaps variáveis, que permite ao condutor modificar a sonoridade do moto r. Dependendo do modo selecionado, ele pode experimentar o AMG V8 com foco no conforto em longas jornadas ou com um toque mais emocional, inspirado no automobilismo esportivo.
 
Há um flap em cada lado do silenciador traseiro que é posicionado de forma variável de acordo com o modo selecionado para a transmissão, a exigência de força pelo condutor e a rotação do moto r.  Em baixa rotação e quando o moto r não é altamente solicitado, os flaps permanecem fechados. Isto faz com que os gases do escapamento percorram uma distância maior e que o fluxo, por meio de um elemento adicional de abafamento, reduza o volume de ruído do moto r, removendo com eficiência as frequências mais irritantes. Quando o condutor acelera, porém, os flaps se abrem progressivamente de forma que, apesar de parte dos gases do escapamento continuar a percorrer o caminho mais longo, que abafa o ruído, a maior parte deles tem uma trajetória mais curta. Sob solicitação total, em altas rotações, os dois flaps ficam totalmente abertos, permitindo o som característico de um V8 AMG.
 
Tradição em moto res AMG V8
 
Motores de oito cilindros são parte da história da Mercedes-AMG. Fundada em 1967, a empresa causou impacto com o 300 SEL 6.8 AMG, que conseguiu um segundo lugar nas 24 horas de Spa-Francorchamps em 1971 e a vitória na categoria. O sedã de corrida da AMG era baseado tecnicamente no Mercedes-Benz SEL 6.3, com o moto r M100 V8. Com potência de 184 kW (250 cv) a 4.000 rpm e velocidade máxima de 220 km/h, este luxuoso sedã era o automóvel mais veloz produzido em série na Alemanha naquela época. A preparação clássica, com o aumento da cilindrada de 6.330 para 6.835 cm³, permitiu o aumento da potência para 315 kW (428 cv) a 5.500 rpm e do torque, de 500 para 608 Nm. 
 
Outro moto r importante na história da AMG foi o M117, o primeiro oito cilindros a contar com quatro válvulas por cilindro. Com 5,6 litros de cilindrada, 265 kW (360 cv) e 510 Nm de torque, esse V8 levava o 300 CE 5.6 AMG a 303 km/h de velocidade máxima. Esses números tornaram o cupê, em 1987, o veículo mais rápido produzido em série na Alemanha. Os fãs americanos da AMG, reverentemente, o batizaram de "The Hammer" (O Martelo).
 
Dotado de compressor volumétrico, o AMG 5,5 litros V8, de 2001, é outro marco na história do desenvolvimento de moto res pela AMG: o M113 K gerava até 428 kW (528 cv) e 800 Nm de torque.  O AMG 5,5 litros V8 com compressor presente no SLR McLaren, de 2003, era ainda mais potente - o M155 gerava até 478 kW (650 cv) e 820 Nm. 
 
No ano de 2005 foi realizada a estreia do AMG 6,3 litros V8 naturalmente aspirado conhecido como M156, que desenvolvia até 386 kW (525 cv) e 630 Nm, dependendo do modelo. Reservado exclusivamente para o SLS AMG e também com 6,3 litros, o M159 tinha potência máxima de 420 kW (571 cv) e torque máximo de 650 Nm.  No SLS AMG Coupé Black Series, o mesmo moto r atingia 464 kW (631 cv). 
 
O moto r AMG 5,5 litros V8 biturbo M157 proporciona entre 386 kW (525 cv) e 430 kW (585 cv), dependendo do modelo, e torque máximo entre 700 e 900 Nm. O M157 é considerado o moto r mais eficiente em sua categoria de potência e cilindrada.
 
Com potência específica de 128 cv/litro e consumo consideravelmente abaixo de 10 litros por 100 quilômetros rodados (valor combinado, norma NEDC), o AMG 4,0 litros V8 biturbo é o novo líder da longa tradição dos poderosos moto res V8 da Mercedes-AMG.

Notícias < Voltar
Mercedes-Benz e o novo motor AMG V8 - 4,0 litros
 

Mercedes-Benz e o novo motor AMG V8 - 4,0 litros

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Novo motor biturbo vem com nova configuração em sua construção

03 de Agosto de 2014

A Mercedes-AMG apresentou recentemente seu novo moto r para veículos AMG. Trata-se de um V8, com 4,0 litros e biturbo! Esse será o coração do novo Mercedes-AMG GT. Com potência máxima de 375 kW (510 cv) e torque máximo de 650 Nm, o novo AMG - V8 proporciona uma performance realmente esportiva. Esse novo moto r dá continuidade a tradição Mercedes-Benz V8 iniciada em 1967 com o M100, no automóvel de corrida 300 SEL 6.8 litros AMG.
 
Motores V8 sempre foram uma das áreas de competência da AMG (a marca de performance da Mercedes-Benz). Os moto res altamente potentes saem da fábrica em Affalterbach, na Alemanha. A Mercedes-AMG GmbH é responsável tanto pelo desenvolvimento como pela produção do novo moto r. Assim, o novo AMG 4,0 litros - V8 biturbo representa um passo adiante em termos de eficiência.
 
Biturbo diferente
 
Os dois turbocompressores do novo moto r AMG V8 não são montados do lado externo das bancadas de cilindros, mas dentro do V que configura o moto r. Os benefícios desta arquitetura são um design mais compacto e baixa emissão de gases. A lubrificação com cárter seco permite que o moto r seja instalado mais baixo, deslocando o centro de gravidade para mais perto do solo e favorecendo a estabilidade em curvas. O "hot inside V" também otimiza o suprimento de ar fresco aos dois turbocompressores movidos pelos gases do escapamento.
 
Pesando 209 kg (sem fluídos), o novo AMG V8 é o moto r mais leve deste segmento altamente competitivo. Com 4 válvulas por cilindro, o ângulo dos cilindros tem 90 graus. A taxa de compressão é de 10.5:1. A potência máxima de 510 cv é atingida à 6.250 rpm. Isso resulta numa densidade de potência de 128 cv/litro. Já o torque máximo é de 650 Nm, entre 1750 e 4750 rpm. E mesmo sendo um moto r V8, a rotação máxima éde impressionantes 7.200 rpm!
 
Com 3.982 cm³ de cilindrada, em termos de tecnologia o V8 é muito próximo do moto r AMG 2,0 litros turbo que equipa o A 45 AMG, o CLA 45 AMG e o GLA 45 AMG - atualmente o moto r de quatro cilindros produzido em série mais potente do mundo.
 
Os dois moto res AMG têm a mesma proporção diâmetro x curso, o que lhes garante grande capacidade em altas rotações. A formação da mistura ar/combustível é realizada por um sistema de injeção direta de gasolina de terceira geração, com injetores piezelétricos.
 
O novo moto r AMG 4,0 litros V8 biturbo atende aos padrões de emissões Euro 6 e ao nível máximo de emissões de partículas que entrará em vigor em 2016. O novo AMG V8 tem pistões de alumínio forjado com design de baixo peso e alta resistência.  Um conjunto de anéis de pistões de baixo atrito diminui o consumo de combustível e de óleo.
 
Os cabeçotes dos cilindros do moto r AMG 4,0 litros V8 biturbo são feitos de uma liga de zircônio para obtenção de máxima resistência à temperatura e ótima condutividade térmica. Quatro eixos de comando de válvulas nos cabeçotes controlam um total de 32 válvulas.
 
Sistema de escapamento esportivo AMG
 
O novo GT tem um sistema de escapamento esportivo com flaps variáveis, que permite ao condutor modificar a sonoridade do moto r. Dependendo do modo selecionado, ele pode experimentar o AMG V8 com foco no conforto em longas jornadas ou com um toque mais emocional, inspirado no automobilismo esportivo.
 
Há um flap em cada lado do silenciador traseiro que é posicionado de forma variável de acordo com o modo selecionado para a transmissão, a exigência de força pelo condutor e a rotação do moto r.  Em baixa rotação e quando o moto r não é altamente solicitado, os flaps permanecem fechados. Isto faz com que os gases do escapamento percorram uma distância maior e que o fluxo, por meio de um elemento adicional de abafamento, reduza o volume de ruído do moto r, removendo com eficiência as frequências mais irritantes. Quando o condutor acelera, porém, os flaps se abrem progressivamente de forma que, apesar de parte dos gases do escapamento continuar a percorrer o caminho mais longo, que abafa o ruído, a maior parte deles tem uma trajetória mais curta. Sob solicitação total, em altas rotações, os dois flaps ficam totalmente abertos, permitindo o som característico de um V8 AMG.
 
Tradição em moto res AMG V8
 
Motores de oito cilindros são parte da história da Mercedes-AMG. Fundada em 1967, a empresa causou impacto com o 300 SEL 6.8 AMG, que conseguiu um segundo lugar nas 24 horas de Spa-Francorchamps em 1971 e a vitória na categoria. O sedã de corrida da AMG era baseado tecnicamente no Mercedes-Benz SEL 6.3, com o moto r M100 V8. Com potência de 184 kW (250 cv) a 4.000 rpm e velocidade máxima de 220 km/h, este luxuoso sedã era o automóvel mais veloz produzido em série na Alemanha naquela época. A preparação clássica, com o aumento da cilindrada de 6.330 para 6.835 cm³, permitiu o aumento da potência para 315 kW (428 cv) a 5.500 rpm e do torque, de 500 para 608 Nm. 
 
Outro moto r importante na história da AMG foi o M117, o primeiro oito cilindros a contar com quatro válvulas por cilindro. Com 5,6 litros de cilindrada, 265 kW (360 cv) e 510 Nm de torque, esse V8 levava o 300 CE 5.6 AMG a 303 km/h de velocidade máxima. Esses números tornaram o cupê, em 1987, o veículo mais rápido produzido em série na Alemanha. Os fãs americanos da AMG, reverentemente, o batizaram de "The Hammer" (O Martelo).
 
Dotado de compressor volumétrico, o AMG 5,5 litros V8, de 2001, é outro marco na história do desenvolvimento de moto res pela AMG: o M113 K gerava até 428 kW (528 cv) e 800 Nm de torque.  O AMG 5,5 litros V8 com compressor presente no SLR McLaren, de 2003, era ainda mais potente - o M155 gerava até 478 kW (650 cv) e 820 Nm. 
 
No ano de 2005 foi realizada a estreia do AMG 6,3 litros V8 naturalmente aspirado conhecido como M156, que desenvolvia até 386 kW (525 cv) e 630 Nm, dependendo do modelo. Reservado exclusivamente para o SLS AMG e também com 6,3 litros, o M159 tinha potência máxima de 420 kW (571 cv) e torque máximo de 650 Nm.  No SLS AMG Coupé Black Series, o mesmo moto r atingia 464 kW (631 cv). 
 
O moto r AMG 5,5 litros V8 biturbo M157 proporciona entre 386 kW (525 cv) e 430 kW (585 cv), dependendo do modelo, e torque máximo entre 700 e 900 Nm. O M157 é considerado o moto r mais eficiente em sua categoria de potência e cilindrada.
 
Com potência específica de 128 cv/litro e consumo consideravelmente abaixo de 10 litros por 100 quilômetros rodados (valor combinado, norma NEDC), o AMG 4,0 litros V8 biturbo é o novo líder da longa tradição dos poderosos moto res V8 da Mercedes-AMG.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!