Revista Comprecar
Peugeot 208 é opção para quem procura um “algo mais”
Como alternativa aos populares pelados, Peugeot 208 tem ampla gama de escolhas
Peugeot 208 é opção para quem procura um “algo mais”
21 de Outubro de 2014

Muita gente pensa em comprar um modelo 1.0 litro em função da economia que ele pode proporcionar, tanto no consumo, como na manutenção. Mas, em geral, o que acontece nos modelos 1,0 litro é que eles são pouco potentes, e também incrivelmente básicos. E muita das vezes, são carros sem qualquer apelo no visual ou no acabamento interno.
 
E foi pensando exatamente no cliente que espera um pouco mais de um carro de entrada, que a Peugeot fez o modelo 208. A solução do 208 é exatamente aquele “algo mais” para quem quer mais potência, mais sofisticação e principalmente mais tecnologia num carro de entrada. Existem também a opção de uma versão topo de linha (Griffe), com nível de sofisticação e equipamentos, comparável à sedans médios!
 
A primeira coisa que precisa ficar é que estamos falando de um veículo completamente “novo”, quando comparado ao antigo Peugeot 207. Assim, o comprimento total e o entre-eixos do 208 cresceram 9,4 cm e 9,8 cm, respectivamente. Como resultado, o novo hatchback da Peugeot mede menos de quatro metros de comprimento (3,96 m), porém apresenta um entre-eixos de mais de 2,54 metros, um dos maiores da categoria. A principal vantagem disso é um ótimo espaço para pernas no banco traseiro. Outro benefício é o porta-malas que está 40 litros maior (segundo as normas VDA) com 285 litros. O tanque de combustível aumentou cinco litros, passando para 55 litros.
 
Novo estilo
 
O 208 inaugurou os novos códigos estéticos da Peugeot, no Brasil. Entre os destaques, estão as luzes de condução diurna na dianteira. Esse recursa ajuda consideravelmente na segurança. Ao permanecer acesso mesmo durante o dia, indica a aproximação do carro para pedestres, e serve até para iluminar curtas distâncias quando o carro entra numa garagem ou túnel muito escuro. Nas versões básicas, o iluminação utiliza lâmpadas convencionais. Na versão top, o recurso traz LEDs brancos.
 
Outro detalhe que salta aos olhos são as luzes traseiras (presente em todas as versões), com forma de bumerangue e um recorte, que remetem a elementos com uma assinatura luminosa com três “garras” marcadas por luzes em LED e guias de luz
 
Interior
 
O interior do 208 é a primeira coisa que surpreende o cliente típico de um carro compacto. Bem maior que o 207, a vantagem está no espaço para pernas no banco traseiro (muito bom dentro da categoria). O porta-malas também não decepciona, com 285 litros. Os mais atentos vão notar o painel frontal mais elevado. Assim, o porta-luvas foi deslocado para cima e mais para frente. Isso amplia consideravelmente o espaço para as pernas do passageiro da frente. O passageiro do banco da frente podem manter os bancos numa posição que melhora o espaço para quem viaja no banco de trás. Além disso, todos os bancos são confortáveis, com um padrão bem superior ao encontrado em carros de entrada.
 
Posição ao dirigir diferente
 
Um detalhe que realmente chama à atenção é a posição do moto rista. O painel de instrumentos é elevado, e permite que a leitura das informações seja feita por cima do volante. Aliás, o painel tem um visual “fora do tradicional” com iluminação em leds em tom branco.
 
O volante é outra surpresa! Ele é bem menor que o encontrado em qualquer outro carro. O diâmetro é 10% menor quando comparado ao do 207 e fica numa posição mais baixa. Em todas as versões, o 208 já sai de fábrica com assistência elétrica. Assim, o moto rista não tem dificuldade em girar o volante, mesmo com tamanho menor.
 
Versões intermediárias do 208 também trazem volante com ajuste de altura e profundidade. O projeto do 208 foi pensado para oferecer o máximo em ergonomia. Assim, o volante passou a trazer os botões do controle do som, na parte da frente. Alias, depois de muito anos, a Peugeot abandonou o comando satélite que ficava atrás do volante. E para completar a boa postura, o banco do moto rista vem com ajuste de altura.
 
GPS com tela Sensível ao Toque
 
A partir da versão Active Pack, o 208 inclui um interessante diferencial. Aliás, o 208 é o primeiro carro da Peugeot (no Brasil), onde o condutor e o passageiro da frente têm ao alcance das mãos uma central multimídia, com tela sensível ao toque. Essa central multimídia traz tela colorida sete polegadas e resolução de 800 x 480. O ponto de destaque é o funcionamento bastante intuitivo. Também está presente um prático sistema de navegação.
 
Atráves dessa central, também é possível controlar o rádio, escutar músicas via conexão USB ou visualizar fotografias. Também existe a opção da entrada auxiliar P2. E quem não gosta de usar fios, terá a opção da conexão Bluetooth para viva-voz e streaming de áudio.   O moto rista ainda pode configurar funções do carro, como ativar função de acendimento automático dos faróis, data, as unidades de medida de consumo, função “follow me home”, que mantém os faróis acesos por um tempo determinado depois que o moto r é desligado, entre outros.
 
Teto Panorâmico exclusivo
 
Uma exclusividade do 208, em toda a categoria, é o teto de vidro panorâmico. O equipamento de 0,66 m2 de área útil, proporciona aos ocupantes ótima luminosidade interna e uma dimensão ampla de espaço. É possível regular a entrada de luz no interior do veículo graças ao fechamento/abertura da cortina manual do teto. Esse equipamento é de série a partir de versão Allure.
 
Desempenho convincente
 
Desde a versão mais básica, o 208 é oferecido com moto r 1,5 litro – 8 válvulas Flex. A potência máxima é de 93 cavalos (a 5.500 rpm) quando abastecido com etanol. O torque máximo é de 14,2 kgfm a 3.000 rpm. De cara, estamos falando de um moto r mais potente que qualquer 1,0 litro do mercado. Além disso, esse moto r consegue entregar o torque máximo à apenas 3.000 rpm. Assim, o moto rista não precisa acelerar tanto o carro na cidade, para o 208 entregar uma ágil resposta.
 
As versões equipadas com moto r 1,5 litro, só estão disponíveis com câmbio manual de cinco marchas. E justamente por isso, o desempenho é outra boa surpresa. A velocidade máxima declarada pela Peugeot é de 181 km/h. E a aceleração de 0 à 100 km/h acontece em menos de 11 segundos. Certamente, são números interessantes para um compacto de entrada.
 
Outro ponto muito relevante é que todos os 208 equipados com moto r 1,5 litro, recebem nota “A” no programa de etiquetagem do INMETRO, em relação aos concorrentes diretos na sua categoria. Então, um tanque de combustível com 55 litros, autonomia não é um problema.
 
Na versão topo de linha Griffe, o 208 vem sempre equipado com moto r 1.6 litro - 16V Flex (também conhecido por EC5). Trata-se do mesmo moto r que fez sua estreia com o Peugeot 308, no Brasil. A principal vantagem desse moto r é o sistema Flex Start, que dispensa o tanqinho de gasolina de partida, mesmo com 100% de etanol. Ele chega à 122 cavalos de potência a 5.800 rpm, quando abastecido com etanol, e torque máximo de 16,4 mkgf a 4.000 rpm. Ao utilizar gasolina, a potência é de 115 CV a 6.000 rpm e 15,5 mkgf de torque.
 
Com o moto r 1,6 litro, o 208 oferece duas opções de câmbio: uma caixa manual de cinco marchas e uma transmissão automática sequencial (com troca de marchas na própria alavanca do câmbio ou por meio de “paddle shifters” na coluna de direção) com quatro marchas.
 
A versão manual do 208 Griffe é indicada para quem procura bom desempenho. A aceleração de 0 à 100 km/h acontece em apenas 9,7 segundos (valor menor que alguns sedans médios). E a velocidade máxima é de 198 km/h (uma das melhores entre os hatch-back compactos).
 
Se a opção é pelo conforto, o 208 também fica entre as melhores opções da categoria. Diferente de alguns concorrentes diretos que oferecem um câmbio robotizado, no 208 é um automático de verdade. Assim, o conforto nas trocas de marcha é excelente, sem os trancos característicos dos câmbios automatizados. Outra vantagem do câmbio automático é o fato do carro não “escorregar” para trás em rampas, durante as manobras.
 
Outro detalhe relevante no novo 208, é a melhora considerável do isolamento acústico. O silencio a bordo é digno de um hatch de categoria Premium.
 
Mais equipamentos
 
O 208 também inaugurou um novo patamar na categoria com equipamentos inéditos.Uma das novidades é o ar-condicionado digital e automático de dupla zona. É a primeira vez que um veículo desse segmento dispõe desse recurso, e que apresenta três modos de funcionamento sendo: automático, soft e fast (equipamento disponível apenas na versão topo de linha).
 
Soma-se ainda o controle de cruzeiro com limitador de velocidade. As funções são acionadas por meio de comando satélite na coluna de direção. O moto rista pode escolher entre manter a velocidade fixa na estrada, ou programar uma velocidade máxima em vias de velocidade controlada. Assim, o carro só acelera até a velocidade escolhida.
 
Outros equipamentos presentes são o sensor de obstáculo traseiro, o eficiente computador de bordo com nove funções, vidro elétrico com comando sequencial e função anti-esmagamento para o moto rista, travas elétricas com comando na chave do carro, travamento automático com o veículo em movimento, função “follow me home”, função “lead me to the car” que aciona os faróis por meio de um comando na chave e alarme periférico e volumétrico (nas versões com moto r 1.6 L 16V Flex).
 
Mercado
 
Desde a versão de entrada 208 Active, o modelo já traz os principais equipamentos de conforto, como ar-condicionado e direção com assistência. O valor sugerido é de R$ 40,9 mil. Existem concorrentes com moto r 1,0 que tem o mesmo preço dessa versão. A partir da versão Active Pack, o 208 inclui rodas de liga leve, sistema multimídia com GPS, controles de som no volante e controle elétrico no vidro traseiro, a partir de R$ 45,9 mil. Por R$ 51,9 mil, é possível levar também o câmbio automático com moto r 1,6 litro – 16 válvulas na versão Active Pack.
 
A versão Allure é considera a de melhor custo-benefício de toda a gama do 208. Ele vem amplamente equipada, com o GPS e o teto-panorâmico (além de outros equipamentos) e equipada com o moto r 1,5 litro com câmbio manual. O preço sugerido é de R$ 48,9 mil.
 
E por fim, quem procura um hatch-back bastante exclusivo, encontra na versão Griffe, um modelo realmente equipado, com nível de equipamentos comparável à sedans médios. Na versão manual, o preço sugerido é de R$ 52,9 mil. E com câmbio automático sobe para R$ 57,9 mil.
 
Segundo Thiago Francisco Mugnaini (Gerente de Vendas da Peugeot Agen), o 208 é um veículo que atende uma ampla faixa de clientes. O carro faz sucesso com pessoas que estão comprando o primeiro carro, passando por casais com até dois filhos, e incluindo até pessoas mais maduras que necessitam de um carro prático, no dia a dia. Além disso, o 208 consegue mesclar os clientes, tendo uma aceitação praticamente igual entre homens e mulheres. O gerente ainda comenta que, com a ampla gama do modelo é difícil não conseguir agradar o cliente, que está procurando por um hatch-back compacto.
 
A linha 208 está sendo vendida na Peugeot Agen Indaiatuba com taxa 0% (com 65% de entrada e restante em 12 meses). Outra opção é 0,79% a.m com 50% de entrada e saldo em até 48 meses. Quem procura um financiamento maior pode escolher a taxa de 0,99% a.m, com 40% de entrada em até 48 meses. Essas opções são válidas para as versões 208 Active, Active Pack Automático e Allure, somente no banco Peugeot.

Notícias < Voltar
Peugeot 208 é opção para quem procura um “algo mais”
 

Peugeot 208 é opção para quem procura um “algo mais”

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Como alternativa aos populares pelados, Peugeot 208 tem ampla gama de escolhas

21 de Outubro de 2014

Muita gente pensa em comprar um modelo 1.0 litro em função da economia que ele pode proporcionar, tanto no consumo, como na manutenção. Mas, em geral, o que acontece nos modelos 1,0 litro é que eles são pouco potentes, e também incrivelmente básicos. E muita das vezes, são carros sem qualquer apelo no visual ou no acabamento interno.
 
E foi pensando exatamente no cliente que espera um pouco mais de um carro de entrada, que a Peugeot fez o modelo 208. A solução do 208 é exatamente aquele “algo mais” para quem quer mais potência, mais sofisticação e principalmente mais tecnologia num carro de entrada. Existem também a opção de uma versão topo de linha (Griffe), com nível de sofisticação e equipamentos, comparável à sedans médios!
 
A primeira coisa que precisa ficar é que estamos falando de um veículo completamente “novo”, quando comparado ao antigo Peugeot 207. Assim, o comprimento total e o entre-eixos do 208 cresceram 9,4 cm e 9,8 cm, respectivamente. Como resultado, o novo hatchback da Peugeot mede menos de quatro metros de comprimento (3,96 m), porém apresenta um entre-eixos de mais de 2,54 metros, um dos maiores da categoria. A principal vantagem disso é um ótimo espaço para pernas no banco traseiro. Outro benefício é o porta-malas que está 40 litros maior (segundo as normas VDA) com 285 litros. O tanque de combustível aumentou cinco litros, passando para 55 litros.
 
Novo estilo
 
O 208 inaugurou os novos códigos estéticos da Peugeot, no Brasil. Entre os destaques, estão as luzes de condução diurna na dianteira. Esse recursa ajuda consideravelmente na segurança. Ao permanecer acesso mesmo durante o dia, indica a aproximação do carro para pedestres, e serve até para iluminar curtas distâncias quando o carro entra numa garagem ou túnel muito escuro. Nas versões básicas, o iluminação utiliza lâmpadas convencionais. Na versão top, o recurso traz LEDs brancos.
 
Outro detalhe que salta aos olhos são as luzes traseiras (presente em todas as versões), com forma de bumerangue e um recorte, que remetem a elementos com uma assinatura luminosa com três “garras” marcadas por luzes em LED e guias de luz
 
Interior
 
O interior do 208 é a primeira coisa que surpreende o cliente típico de um carro compacto. Bem maior que o 207, a vantagem está no espaço para pernas no banco traseiro (muito bom dentro da categoria). O porta-malas também não decepciona, com 285 litros. Os mais atentos vão notar o painel frontal mais elevado. Assim, o porta-luvas foi deslocado para cima e mais para frente. Isso amplia consideravelmente o espaço para as pernas do passageiro da frente. O passageiro do banco da frente podem manter os bancos numa posição que melhora o espaço para quem viaja no banco de trás. Além disso, todos os bancos são confortáveis, com um padrão bem superior ao encontrado em carros de entrada.
 
Posição ao dirigir diferente
 
Um detalhe que realmente chama à atenção é a posição do moto rista. O painel de instrumentos é elevado, e permite que a leitura das informações seja feita por cima do volante. Aliás, o painel tem um visual “fora do tradicional” com iluminação em leds em tom branco.
 
O volante é outra surpresa! Ele é bem menor que o encontrado em qualquer outro carro. O diâmetro é 10% menor quando comparado ao do 207 e fica numa posição mais baixa. Em todas as versões, o 208 já sai de fábrica com assistência elétrica. Assim, o moto rista não tem dificuldade em girar o volante, mesmo com tamanho menor.
 
Versões intermediárias do 208 também trazem volante com ajuste de altura e profundidade. O projeto do 208 foi pensado para oferecer o máximo em ergonomia. Assim, o volante passou a trazer os botões do controle do som, na parte da frente. Alias, depois de muito anos, a Peugeot abandonou o comando satélite que ficava atrás do volante. E para completar a boa postura, o banco do moto rista vem com ajuste de altura.
 
GPS com tela Sensível ao Toque
 
A partir da versão Active Pack, o 208 inclui um interessante diferencial. Aliás, o 208 é o primeiro carro da Peugeot (no Brasil), onde o condutor e o passageiro da frente têm ao alcance das mãos uma central multimídia, com tela sensível ao toque. Essa central multimídia traz tela colorida sete polegadas e resolução de 800 x 480. O ponto de destaque é o funcionamento bastante intuitivo. Também está presente um prático sistema de navegação.
 
Atráves dessa central, também é possível controlar o rádio, escutar músicas via conexão USB ou visualizar fotografias. Também existe a opção da entrada auxiliar P2. E quem não gosta de usar fios, terá a opção da conexão Bluetooth para viva-voz e streaming de áudio.   O moto rista ainda pode configurar funções do carro, como ativar função de acendimento automático dos faróis, data, as unidades de medida de consumo, função “follow me home”, que mantém os faróis acesos por um tempo determinado depois que o moto r é desligado, entre outros.
 
Teto Panorâmico exclusivo
 
Uma exclusividade do 208, em toda a categoria, é o teto de vidro panorâmico. O equipamento de 0,66 m2 de área útil, proporciona aos ocupantes ótima luminosidade interna e uma dimensão ampla de espaço. É possível regular a entrada de luz no interior do veículo graças ao fechamento/abertura da cortina manual do teto. Esse equipamento é de série a partir de versão Allure.
 
Desempenho convincente
 
Desde a versão mais básica, o 208 é oferecido com moto r 1,5 litro – 8 válvulas Flex. A potência máxima é de 93 cavalos (a 5.500 rpm) quando abastecido com etanol. O torque máximo é de 14,2 kgfm a 3.000 rpm. De cara, estamos falando de um moto r mais potente que qualquer 1,0 litro do mercado. Além disso, esse moto r consegue entregar o torque máximo à apenas 3.000 rpm. Assim, o moto rista não precisa acelerar tanto o carro na cidade, para o 208 entregar uma ágil resposta.
 
As versões equipadas com moto r 1,5 litro, só estão disponíveis com câmbio manual de cinco marchas. E justamente por isso, o desempenho é outra boa surpresa. A velocidade máxima declarada pela Peugeot é de 181 km/h. E a aceleração de 0 à 100 km/h acontece em menos de 11 segundos. Certamente, são números interessantes para um compacto de entrada.
 
Outro ponto muito relevante é que todos os 208 equipados com moto r 1,5 litro, recebem nota “A” no programa de etiquetagem do INMETRO, em relação aos concorrentes diretos na sua categoria. Então, um tanque de combustível com 55 litros, autonomia não é um problema.
 
Na versão topo de linha Griffe, o 208 vem sempre equipado com moto r 1.6 litro - 16V Flex (também conhecido por EC5). Trata-se do mesmo moto r que fez sua estreia com o Peugeot 308, no Brasil. A principal vantagem desse moto r é o sistema Flex Start, que dispensa o tanqinho de gasolina de partida, mesmo com 100% de etanol. Ele chega à 122 cavalos de potência a 5.800 rpm, quando abastecido com etanol, e torque máximo de 16,4 mkgf a 4.000 rpm. Ao utilizar gasolina, a potência é de 115 CV a 6.000 rpm e 15,5 mkgf de torque.
 
Com o moto r 1,6 litro, o 208 oferece duas opções de câmbio: uma caixa manual de cinco marchas e uma transmissão automática sequencial (com troca de marchas na própria alavanca do câmbio ou por meio de “paddle shifters” na coluna de direção) com quatro marchas.
 
A versão manual do 208 Griffe é indicada para quem procura bom desempenho. A aceleração de 0 à 100 km/h acontece em apenas 9,7 segundos (valor menor que alguns sedans médios). E a velocidade máxima é de 198 km/h (uma das melhores entre os hatch-back compactos).
 
Se a opção é pelo conforto, o 208 também fica entre as melhores opções da categoria. Diferente de alguns concorrentes diretos que oferecem um câmbio robotizado, no 208 é um automático de verdade. Assim, o conforto nas trocas de marcha é excelente, sem os trancos característicos dos câmbios automatizados. Outra vantagem do câmbio automático é o fato do carro não “escorregar” para trás em rampas, durante as manobras.
 
Outro detalhe relevante no novo 208, é a melhora considerável do isolamento acústico. O silencio a bordo é digno de um hatch de categoria Premium.
 
Mais equipamentos
 
O 208 também inaugurou um novo patamar na categoria com equipamentos inéditos.Uma das novidades é o ar-condicionado digital e automático de dupla zona. É a primeira vez que um veículo desse segmento dispõe desse recurso, e que apresenta três modos de funcionamento sendo: automático, soft e fast (equipamento disponível apenas na versão topo de linha).
 
Soma-se ainda o controle de cruzeiro com limitador de velocidade. As funções são acionadas por meio de comando satélite na coluna de direção. O moto rista pode escolher entre manter a velocidade fixa na estrada, ou programar uma velocidade máxima em vias de velocidade controlada. Assim, o carro só acelera até a velocidade escolhida.
 
Outros equipamentos presentes são o sensor de obstáculo traseiro, o eficiente computador de bordo com nove funções, vidro elétrico com comando sequencial e função anti-esmagamento para o moto rista, travas elétricas com comando na chave do carro, travamento automático com o veículo em movimento, função “follow me home”, função “lead me to the car” que aciona os faróis por meio de um comando na chave e alarme periférico e volumétrico (nas versões com moto r 1.6 L 16V Flex).
 
Mercado
 
Desde a versão de entrada 208 Active, o modelo já traz os principais equipamentos de conforto, como ar-condicionado e direção com assistência. O valor sugerido é de R$ 40,9 mil. Existem concorrentes com moto r 1,0 que tem o mesmo preço dessa versão. A partir da versão Active Pack, o 208 inclui rodas de liga leve, sistema multimídia com GPS, controles de som no volante e controle elétrico no vidro traseiro, a partir de R$ 45,9 mil. Por R$ 51,9 mil, é possível levar também o câmbio automático com moto r 1,6 litro – 16 válvulas na versão Active Pack.
 
A versão Allure é considera a de melhor custo-benefício de toda a gama do 208. Ele vem amplamente equipada, com o GPS e o teto-panorâmico (além de outros equipamentos) e equipada com o moto r 1,5 litro com câmbio manual. O preço sugerido é de R$ 48,9 mil.
 
E por fim, quem procura um hatch-back bastante exclusivo, encontra na versão Griffe, um modelo realmente equipado, com nível de equipamentos comparável à sedans médios. Na versão manual, o preço sugerido é de R$ 52,9 mil. E com câmbio automático sobe para R$ 57,9 mil.
 
Segundo Thiago Francisco Mugnaini (Gerente de Vendas da Peugeot Agen), o 208 é um veículo que atende uma ampla faixa de clientes. O carro faz sucesso com pessoas que estão comprando o primeiro carro, passando por casais com até dois filhos, e incluindo até pessoas mais maduras que necessitam de um carro prático, no dia a dia. Além disso, o 208 consegue mesclar os clientes, tendo uma aceitação praticamente igual entre homens e mulheres. O gerente ainda comenta que, com a ampla gama do modelo é difícil não conseguir agradar o cliente, que está procurando por um hatch-back compacto.
 
A linha 208 está sendo vendida na Peugeot Agen Indaiatuba com taxa 0% (com 65% de entrada e restante em 12 meses). Outra opção é 0,79% a.m com 50% de entrada e saldo em até 48 meses. Quem procura um financiamento maior pode escolher a taxa de 0,99% a.m, com 40% de entrada em até 48 meses. Essas opções são válidas para as versões 208 Active, Active Pack Automático e Allure, somente no banco Peugeot.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!