Revista Comprecar
Subaru oficializa novos WRX e WRX STI, no Brasil
Versão esportiva, e superesportiva, chegam para reinar entre os esportivos
Subaru oficializa novos WRX e WRX STI, no Brasil
03 de Agosto de 2015

A Subaru apresentou oficialmente a nova geração das versões WRX e WRX STI que serão comercializadas no Brasil. Com preços de R$ 147.900 e R$ 194.900, respectivamente, os modelos chegam para reinar entre os esportivos, de R$ 100 mil à 200 mil. O WRX será forte concorrente para VW Golf GTI, Honda Civic Si e novo Audi S3 sedan. E no caso da versão WRX STI, passa a ser a opção para ocupar o espaço do Mitsubishi Lancer Evolution (que está saindo de linha), e concorrer com Mercedes CLA45 AMG e BMW M235i.
 
Ambas as versões esportivas são derivadas do sedan Impreza, bem mais comportado com preço sugerido de R$ 98,9 mil. Como acontece em todos os modelos da Subaru comercializados no Brasil hoje, um dos grandes diferenciais é a tração integral e simétrica da Subaru AWD. Assim, o carro tem sempre tração nas quatro rodas, com distribuição típica de 60% na dianteira e 40% na traseira. Mas ela pode variar entre 80/20 até 50/50.
 
Impreza WRX
 
Cada uma das versões tem receitas diferentes. O WRX vem equipado com um moto r 2.0 litros “boxer” twin-scroll que produz até 270 cv (@ 5.600 RPM) de potência máxima, com 35,7 kgfm de torque (@ 2.400 - 5.200 RPM). Uma das novidades desse moto r é o sistema de injeção direta. Na transmissão, um câmbio automático de tecnologia CVT (continuamente variável). Ainda que variável, ela simula oito marchas através do paddle shifts instaladas atrás do volante. Por enquanto, não estará disponível essa versão com câmbio manual. Mas, há médio prazo, a Subaru promete trazer a opção com câmbio manual.
 
Esteticamente, essa versão traz rodas aro 18 polegadas e por um conjunto de “bodykit” composto por saias dianteira e laterais, além de um extrator na traseira com duas saídas duplas de escape em inox.
 
A versão WRX, ainda que tenha uma personalidade esportiva, cabe no uso cotidiano. Ela mantém algum nível de conforto interno e também suavidade na condução graças ao câmbio CVT. E claro que não faz feio na hora de acelerar. Mas fica o aviso: não é uma boa ideia “mexer” ou “tunar” o moto r dessa versão. As transmissões CVT são conhecidas por serem relativamente sensíveis. E no WRX, a tecnologia do câmbio CVT esta muito próxima do seu limite de torque máximo suportado.
 
Impreza WRX STI
 
Já o WRX STI, ainda mais esportivo, vem com moto r 2.5 litros “boxer” turbo com potência máxima de 310 cv (@ 6.000 RPM) e torque máximo de 41,5 kgfm (@ 4.000 RPM). O STI estará disponível somente com câmbio manual de seis marchas. A velocidade máxima é limitada eletronicamente em 255 km/h, e o sedan necessita apenas de 5,2 segundos para acelerar de 0 à 100 km/h. Na versão STI, a Subaru recomenda o uso apenas de gasolina tipo Premium.
 
A versão WRX STI traz uma série de diferenças, para justificar a extrema esportividade. Entre elas está a Central de Controle do Diferencial (DCCD – Driver’s Control Center Differential) que permite selecionar a proporção da distribuição do torque entre os eixos dianteiro e traseiro, possibilitando o maior nível de dirigibilidade e aderência,e o conjunto de freios esportivos Brembo de alta performance. O sistema de gerenciamento do trem de força “SI-DRIVE” (SUBARU Intelligent Drive) permite ao moto rista ajustar as características de dirigibilidade do carro, escolhendo três diferentes opções – “Intelligent”, “Sport” e “Sport Sharp”, por meio de comando seletor no console central. A suspensão também é mais firme no STI, e a embreagem tem atuação bastante rápida.
 
Exclusivamente no STI, existe a possibilidade de vir equipado com as rodas douradas (opcional) que marcaram os Subaru de rali, além da imensa asa na traseira. De fábrica, a rodas são cinza chumbo. Essa versão é realmente arisca, sendo indicada para um uso esporádico, e em rodovias. Não é um modelo que “cabe” muito bem no dia a dia, em cidades.
 
Para ambas as versões,o Impreza de nova geração está 25 mm mais longo no entre-eixos, e ganhou portas maiores. Isso melhorou o espaço interno, com melhor acesso dos ocupantes à cabine.
 
Tanto para a versão WRX como STI, a garantia é de 2 anos (sem limite que quilometragem). Todos os outros modelos da Subaru trazem garantia de 5 anos (sem limite de quilometragem), sendo 3 anos total e mais dois anos para moto r e câmbio. Segundo a direção técnica da Subaru, a diferença de garantia se dá justamente pelo tipo de cliente, e perfil de utilização, dos modelos esportivos.
 
As primeiras unidades que chegaram as lojas, atenderam aos pedidos feitos em pré-venda. Para os demais interessados, é estimada uma “fila de espera” entre 30 a 60 dias. A Subaru informa a venda de 40 unidades por mês, sendo ¾ da versão WRX e ¼ da versão STI.

Lançamentos < Voltar
Subaru oficializa novos WRX e WRX STI, no Brasil
 

Subaru oficializa novos WRX e WRX STI, no Brasil

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Versão esportiva, e superesportiva, chegam para reinar entre os esportivos

03 de Agosto de 2015

A Subaru apresentou oficialmente a nova geração das versões WRX e WRX STI que serão comercializadas no Brasil. Com preços de R$ 147.900 e R$ 194.900, respectivamente, os modelos chegam para reinar entre os esportivos, de R$ 100 mil à 200 mil. O WRX será forte concorrente para VW Golf GTI, Honda Civic Si e novo Audi S3 sedan. E no caso da versão WRX STI, passa a ser a opção para ocupar o espaço do Mitsubishi Lancer Evolution (que está saindo de linha), e concorrer com Mercedes CLA45 AMG e BMW M235i.
 
Ambas as versões esportivas são derivadas do sedan Impreza, bem mais comportado com preço sugerido de R$ 98,9 mil. Como acontece em todos os modelos da Subaru comercializados no Brasil hoje, um dos grandes diferenciais é a tração integral e simétrica da Subaru AWD. Assim, o carro tem sempre tração nas quatro rodas, com distribuição típica de 60% na dianteira e 40% na traseira. Mas ela pode variar entre 80/20 até 50/50.
 
Impreza WRX
 
Cada uma das versões tem receitas diferentes. O WRX vem equipado com um moto r 2.0 litros “boxer” twin-scroll que produz até 270 cv (@ 5.600 RPM) de potência máxima, com 35,7 kgfm de torque (@ 2.400 - 5.200 RPM). Uma das novidades desse moto r é o sistema de injeção direta. Na transmissão, um câmbio automático de tecnologia CVT (continuamente variável). Ainda que variável, ela simula oito marchas através do paddle shifts instaladas atrás do volante. Por enquanto, não estará disponível essa versão com câmbio manual. Mas, há médio prazo, a Subaru promete trazer a opção com câmbio manual.
 
Esteticamente, essa versão traz rodas aro 18 polegadas e por um conjunto de “bodykit” composto por saias dianteira e laterais, além de um extrator na traseira com duas saídas duplas de escape em inox.
 
A versão WRX, ainda que tenha uma personalidade esportiva, cabe no uso cotidiano. Ela mantém algum nível de conforto interno e também suavidade na condução graças ao câmbio CVT. E claro que não faz feio na hora de acelerar. Mas fica o aviso: não é uma boa ideia “mexer” ou “tunar” o moto r dessa versão. As transmissões CVT são conhecidas por serem relativamente sensíveis. E no WRX, a tecnologia do câmbio CVT esta muito próxima do seu limite de torque máximo suportado.
 
Impreza WRX STI
 
Já o WRX STI, ainda mais esportivo, vem com moto r 2.5 litros “boxer” turbo com potência máxima de 310 cv (@ 6.000 RPM) e torque máximo de 41,5 kgfm (@ 4.000 RPM). O STI estará disponível somente com câmbio manual de seis marchas. A velocidade máxima é limitada eletronicamente em 255 km/h, e o sedan necessita apenas de 5,2 segundos para acelerar de 0 à 100 km/h. Na versão STI, a Subaru recomenda o uso apenas de gasolina tipo Premium.
 
A versão WRX STI traz uma série de diferenças, para justificar a extrema esportividade. Entre elas está a Central de Controle do Diferencial (DCCD – Driver’s Control Center Differential) que permite selecionar a proporção da distribuição do torque entre os eixos dianteiro e traseiro, possibilitando o maior nível de dirigibilidade e aderência,e o conjunto de freios esportivos Brembo de alta performance. O sistema de gerenciamento do trem de força “SI-DRIVE” (SUBARU Intelligent Drive) permite ao moto rista ajustar as características de dirigibilidade do carro, escolhendo três diferentes opções – “Intelligent”, “Sport” e “Sport Sharp”, por meio de comando seletor no console central. A suspensão também é mais firme no STI, e a embreagem tem atuação bastante rápida.
 
Exclusivamente no STI, existe a possibilidade de vir equipado com as rodas douradas (opcional) que marcaram os Subaru de rali, além da imensa asa na traseira. De fábrica, a rodas são cinza chumbo. Essa versão é realmente arisca, sendo indicada para um uso esporádico, e em rodovias. Não é um modelo que “cabe” muito bem no dia a dia, em cidades.
 
Para ambas as versões,o Impreza de nova geração está 25 mm mais longo no entre-eixos, e ganhou portas maiores. Isso melhorou o espaço interno, com melhor acesso dos ocupantes à cabine.
 
Tanto para a versão WRX como STI, a garantia é de 2 anos (sem limite que quilometragem). Todos os outros modelos da Subaru trazem garantia de 5 anos (sem limite de quilometragem), sendo 3 anos total e mais dois anos para moto r e câmbio. Segundo a direção técnica da Subaru, a diferença de garantia se dá justamente pelo tipo de cliente, e perfil de utilização, dos modelos esportivos.
 
As primeiras unidades que chegaram as lojas, atenderam aos pedidos feitos em pré-venda. Para os demais interessados, é estimada uma “fila de espera” entre 30 a 60 dias. A Subaru informa a venda de 40 unidades por mês, sendo ¾ da versão WRX e ¼ da versão STI.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!