Revista Comprecar
Toyota com a linha 2015 da Hilux e SW4
São 4 novas versões que visam ampliar ainda mais a participação de mercado
Toyota com a linha 2015 da Hilux e SW4
27 de Novembro de 2014

A picape Hilux acaba de completar 45 anos de história no mercado global. No Brasil, a picape se encontra na sétima geração. A picape acumula números de sucesso por aqui. Em 2013, foram 42,7 mil unidades vendidas. Em 2014, a expectativa é pela manutenção desse número, considerando que o mercado caiu (no geral) cerca de 9%. Vale destacar também, que a Hilux é líder entre as picapes médias à diesel, com 29% do segmento no Brasil. Assim, a Hilux ganha mais duas versões. No segmento diesel, foi feita a introdução da Limited Edition. E na opção flexfuel chega a SRV equipada com transmissão automática e tração 4x2. Agora, a família Hilux conta com 14 configurações diferentes.
 
Em 1969, a Toyota lançou mundialmente a Hilux em configuração única de cabine simples, tração 4x2 e moto r 1.5L a diesel. Hoje, a picape é comercializada em mais de 170 países. No mercado brasileiro, a Hilux chegou em 1993, em sua 4ª geração, importada do Japão. A partir de 1997, a picape começou a ser produzida na Argentina, na planta de Zárate. O nome Hilux combina as palavras, em inglês, “High”e“Luxury”, que significam, respectivamente, “alto” e “luxo”.
 
Já o SUV SW4, que conta com a liderança no segmento de utilitários esportivos médios, com 37,2% de participação na categoria, recebe mais duas opções de versão. A primeira é uma flexfuel, versão SR que traz transmissão automática e sete assentos. Outra novidade é a inclusão do interior preto na versão topo de linha SRV. Vale destacar que a SRV com interior bege, continua sendo comercializada normalmente. Assim, a linha SW4 passa a oferecer seis diferentes versões.
 
Hilux Limited Edition
 
Apresentada no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, a Limited Edition que tem preço sugerido de R$ 155,6 mil, é uma série especial com base na versão SRV Top Diesel 4x4. A edição limitada terá apenas 3 mil unidades. Essa versão incorpora um novo pacote de acessórios. Na parte frontal, a versão ganhou mais proteção ao para-choque, com a instalação de uma capa nas cores preto e cinza. Na lateral, a Hilux Limited Edition traz rodas aro 17 polegadas em tonalidade preto fosco. Na caçamba, a Hilux traz santantônio Sport cromado com protetores laterais em preto e capota marítima de lona. Na parte interna, jogo de tapetes exclusivos e soleira cromada personalizada completam o pacote de acessórios. Segundo a Toyota, esses equipamentos custariam R$ 6 mil no mercado de acessórios. Mas na versão Limited, acrescentam R$ 3,5 mil no preço final.
 
Hilux SRV Flexfuel 4x2
 
Outra novidade é a Hilux SRV Flexfuel 4x2 com transmissão automática. Trata-se de uma versão mais acessível para a versão topo de linha, que só era vendida com tração 4x4. A nova versão chega à um preço mais competitiv, por R$ 99,9 mil. Esta versão é a única picape média do mercado equipada com uma transmissão automática, acabamento topo de linha e moto r flexfuel. Além disso, o modelo é comercializado abaixo de R$ 100 mil. Agora, a linha Hilux (que inclui Diesel e Flexfuel) tem 14 versões.
 
Um fato curioso é que 92% das Hilux à diesel comercializadas, trazem a tração 4x4. Apenas 8% são 4x2. Mas a situação se inverte completamente na Flexfuel. Nesse caso, 92% das Flex são 4x2. Apenas 8% saem equipadas com a tração 4x4.
 
SW4 SR Flexfuel com sete assentos
 
A novidade para o SUV médio da Toyota é a inclusão de mais uma versão flexfuel. Criado com base na SR Flexfuel de cinco lugares, o SW4 SR também flex, passa a contar com a opção de sete assentos. O preço sugerido é de R$ 122,3 mil. Vale destacar que as versões flex da SW4 não oferecem a tração 4x4! Esses são os modelos que os órgãos estaduais costumam comprar, para usar na função de viaturas de polícia.
 
SW4 SRV também com interior preto
 
Outra novidade é a versão topo de linha SRV diesel com sete assentos, que agora oferece a opção de acabamento interno na cor preta. A SW4 com interior bege continua na grade de opções.
 
Até outubro desse ano, foram vendidas 11.155 unidades do SW4. Isso representa um crescimento de 13% em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado garante ao modelo 37,2% de participação no segmento de utilitários esportivos médios, considerando as moto rizações diesel e flexfuel. Para a Toyota, os principais concorrentes da SW4 são: Mitsubishi Pajero Dakar e Full, Chevrolet Trailblazer e Hyunda Santa Fé.
 
Gerações da picape Hilux
 
1ª geração 1969 a 1972
A Toyota criou um novo conceito de picape, desenvolvendo um design inovador com a força de um off-road. Lançada em 1969, a Hilux teve grande aceitação dos consumidores, por reunir desempenho, qualidade, tamanho adequado e preço competitivo.
 
2ª geração 1972 a 1978
Em poucos anos, a Toyota promoveu a primeira mudança completa da picape. Totalmente redesenhada, a Hilux ganhou outras versões, melhorias no sistema de freio, diminuição na emissão de poluentes, mais itens de segurança e menor custo e tempo de manutenção. Eleita a picape do ano de 1974 nos EUA.
 
3ª geração 1978 a 1983
A Toyota introduziu a primeira versão da Hilux com tração 4x4, cabine dupla e moto r a diesel, a preço competitivo. Outra revolução permitia não só para o trabalho, mas também o uso diário, pois oferecia a dirigibilidade e o conforto de um carro de passeio.
 
4ª geração 1983 a 1988
Pela primeira vez na história, uma picape atingiu a produção anual de 4 milhões de unidades. Muito por conta das opções oferecidas aos clientes e por atender às necessidades específicas de cada região. Para locais com condições mais severas, a Hilux apresentava uma versão mais robusta. Nos EUA, por exemplo, a 4Runner foi desenvolvida para o crescente público que utilizava picapes no dia a dia.
 
5ª geração 1988 a 1997
A Hilux atingiu 140 países ao redor o mundo, com a reputação de um veículo robusto, resistente e confortável, com alto índice de desempenho. Essa geração foi marcada pelo novo moto r diesel de 2.8 litros, oferecendo performance ideal para fins comerciais e de lazer.
 
6ª geração 1997 a 2004
Para esta geração, conforto interior foi prioridade, resultando em maior espaço interno, principalmente para os passageiros dos bancos traseiros. Além disso, a dirigibilidade foi aprimorada, aumentando a sensação de conforto de um carro de passeio, mas sem perder a robustez de um fora de estrada.
 
7ª geração 2004
Para a geração atual da Hilux, a Toyota criou uma via direta para ouvir a voz do consumidor e desenvolver as melhorias necessárias para atender à demanda. Como resultado, a picape é produzida em 12 países e vendida em aproximadamente 170 ao redor do mundo. Em 12 anos, as vendas atingiram mais de 500 mil unidades.

Notícias < Voltar
Toyota com a linha 2015 da Hilux e SW4
 

Toyota com a linha 2015 da Hilux e SW4

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

São 4 novas versões que visam ampliar ainda mais a participação de mercado

27 de Novembro de 2014

A picape Hilux acaba de completar 45 anos de história no mercado global. No Brasil, a picape se encontra na sétima geração. A picape acumula números de sucesso por aqui. Em 2013, foram 42,7 mil unidades vendidas. Em 2014, a expectativa é pela manutenção desse número, considerando que o mercado caiu (no geral) cerca de 9%. Vale destacar também, que a Hilux é líder entre as picapes médias à diesel, com 29% do segmento no Brasil. Assim, a Hilux ganha mais duas versões. No segmento diesel, foi feita a introdução da Limited Edition. E na opção flexfuel chega a SRV equipada com transmissão automática e tração 4x2. Agora, a família Hilux conta com 14 configurações diferentes.
 
Em 1969, a Toyota lançou mundialmente a Hilux em configuração única de cabine simples, tração 4x2 e moto r 1.5L a diesel. Hoje, a picape é comercializada em mais de 170 países. No mercado brasileiro, a Hilux chegou em 1993, em sua 4ª geração, importada do Japão. A partir de 1997, a picape começou a ser produzida na Argentina, na planta de Zárate. O nome Hilux combina as palavras, em inglês, “High”e“Luxury”, que significam, respectivamente, “alto” e “luxo”.
 
Já o SUV SW4, que conta com a liderança no segmento de utilitários esportivos médios, com 37,2% de participação na categoria, recebe mais duas opções de versão. A primeira é uma flexfuel, versão SR que traz transmissão automática e sete assentos. Outra novidade é a inclusão do interior preto na versão topo de linha SRV. Vale destacar que a SRV com interior bege, continua sendo comercializada normalmente. Assim, a linha SW4 passa a oferecer seis diferentes versões.
 
Hilux Limited Edition
 
Apresentada no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, a Limited Edition que tem preço sugerido de R$ 155,6 mil, é uma série especial com base na versão SRV Top Diesel 4x4. A edição limitada terá apenas 3 mil unidades. Essa versão incorpora um novo pacote de acessórios. Na parte frontal, a versão ganhou mais proteção ao para-choque, com a instalação de uma capa nas cores preto e cinza. Na lateral, a Hilux Limited Edition traz rodas aro 17 polegadas em tonalidade preto fosco. Na caçamba, a Hilux traz santantônio Sport cromado com protetores laterais em preto e capota marítima de lona. Na parte interna, jogo de tapetes exclusivos e soleira cromada personalizada completam o pacote de acessórios. Segundo a Toyota, esses equipamentos custariam R$ 6 mil no mercado de acessórios. Mas na versão Limited, acrescentam R$ 3,5 mil no preço final.
 
Hilux SRV Flexfuel 4x2
 
Outra novidade é a Hilux SRV Flexfuel 4x2 com transmissão automática. Trata-se de uma versão mais acessível para a versão topo de linha, que só era vendida com tração 4x4. A nova versão chega à um preço mais competitiv, por R$ 99,9 mil. Esta versão é a única picape média do mercado equipada com uma transmissão automática, acabamento topo de linha e moto r flexfuel. Além disso, o modelo é comercializado abaixo de R$ 100 mil. Agora, a linha Hilux (que inclui Diesel e Flexfuel) tem 14 versões.
 
Um fato curioso é que 92% das Hilux à diesel comercializadas, trazem a tração 4x4. Apenas 8% são 4x2. Mas a situação se inverte completamente na Flexfuel. Nesse caso, 92% das Flex são 4x2. Apenas 8% saem equipadas com a tração 4x4.
 
SW4 SR Flexfuel com sete assentos
 
A novidade para o SUV médio da Toyota é a inclusão de mais uma versão flexfuel. Criado com base na SR Flexfuel de cinco lugares, o SW4 SR também flex, passa a contar com a opção de sete assentos. O preço sugerido é de R$ 122,3 mil. Vale destacar que as versões flex da SW4 não oferecem a tração 4x4! Esses são os modelos que os órgãos estaduais costumam comprar, para usar na função de viaturas de polícia.
 
SW4 SRV também com interior preto
 
Outra novidade é a versão topo de linha SRV diesel com sete assentos, que agora oferece a opção de acabamento interno na cor preta. A SW4 com interior bege continua na grade de opções.
 
Até outubro desse ano, foram vendidas 11.155 unidades do SW4. Isso representa um crescimento de 13% em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado garante ao modelo 37,2% de participação no segmento de utilitários esportivos médios, considerando as moto rizações diesel e flexfuel. Para a Toyota, os principais concorrentes da SW4 são: Mitsubishi Pajero Dakar e Full, Chevrolet Trailblazer e Hyunda Santa Fé.
 
Gerações da picape Hilux
 
1ª geração 1969 a 1972
A Toyota criou um novo conceito de picape, desenvolvendo um design inovador com a força de um off-road. Lançada em 1969, a Hilux teve grande aceitação dos consumidores, por reunir desempenho, qualidade, tamanho adequado e preço competitivo.
 
2ª geração 1972 a 1978
Em poucos anos, a Toyota promoveu a primeira mudança completa da picape. Totalmente redesenhada, a Hilux ganhou outras versões, melhorias no sistema de freio, diminuição na emissão de poluentes, mais itens de segurança e menor custo e tempo de manutenção. Eleita a picape do ano de 1974 nos EUA.
 
3ª geração 1978 a 1983
A Toyota introduziu a primeira versão da Hilux com tração 4x4, cabine dupla e moto r a diesel, a preço competitivo. Outra revolução permitia não só para o trabalho, mas também o uso diário, pois oferecia a dirigibilidade e o conforto de um carro de passeio.
 
4ª geração 1983 a 1988
Pela primeira vez na história, uma picape atingiu a produção anual de 4 milhões de unidades. Muito por conta das opções oferecidas aos clientes e por atender às necessidades específicas de cada região. Para locais com condições mais severas, a Hilux apresentava uma versão mais robusta. Nos EUA, por exemplo, a 4Runner foi desenvolvida para o crescente público que utilizava picapes no dia a dia.
 
5ª geração 1988 a 1997
A Hilux atingiu 140 países ao redor o mundo, com a reputação de um veículo robusto, resistente e confortável, com alto índice de desempenho. Essa geração foi marcada pelo novo moto r diesel de 2.8 litros, oferecendo performance ideal para fins comerciais e de lazer.
 
6ª geração 1997 a 2004
Para esta geração, conforto interior foi prioridade, resultando em maior espaço interno, principalmente para os passageiros dos bancos traseiros. Além disso, a dirigibilidade foi aprimorada, aumentando a sensação de conforto de um carro de passeio, mas sem perder a robustez de um fora de estrada.
 
7ª geração 2004
Para a geração atual da Hilux, a Toyota criou uma via direta para ouvir a voz do consumidor e desenvolver as melhorias necessárias para atender à demanda. Como resultado, a picape é produzida em 12 países e vendida em aproximadamente 170 ao redor do mundo. Em 12 anos, as vendas atingiram mais de 500 mil unidades.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!