Revista Comprecar
Volkswagen Jetta TSI 2.0 em condição única na Abrão Reze/Cobel
Quem gosta de sedan com elevado desempenho, não pode perder essa oportunidade
Volkswagen Jetta TSI 2.0 em condição única na Abrão Reze/Cobel
19 de Setembro de 2016

O Grupo Abrão Reze, através de suas concessionárias Volkswagen Abrão Reze e Cobel (ambas na cidade de Sorocaba) está com uma ótima oportunidade para quem quer comprar o sedan médio com o melhor desempenho de toda a categoria. Para isso, foram reservadas algumas unidades do Jetta TSI 2.0, na versão Highline, com documentação grátis, oportunidade única  a partir de R$ 94.990. Para conhecer uma oferta do Jetta , clique AQUI.
 
O Jetta TSI Highline 2.0 concorre no segmento de sedans médios, no mercado brasileiro. Aliás, esse segmento passou por grandes transformações nos últimos 6 meses. Foram várias as novidades que chegaram as ruas, como: novo Nissan Sentra, novo Chevrolet Cruze, novo Honda Civic, novo Ford Focus, além de algumas atualizações em concorrentes como Citroën C4 Lounge, Peugeot 408 e Hyundai Elantra.
 
Mas mesmo com tantas novidades, o Jetta TSI 2.0 nunca perdeu o posto de sedan mais rápido e potente de toda a categoria. Aliás, o Jetta , consegue competir (e superar) até com sedans de categoria premium, quando o assunto é potência e desempenho! Seu moto r turbo 2.0 litros de 211 cavalos, associado ao câmbio DSG robotizado de dupla embreagem de seis marchas, deixam o Jetta num patamar inalcançável pelos concorrentes diretos.
 
Motor TSI 2.0
 
Esse é o ponto alto do Jetta TSI. A versão Highline exclusivamente equipada com o moto r EA888 à gasolina (não é flex) 2,0 litros – 16 válvulas, turbo alimentado e com injeção direta de combustível (que a Volkswagen chama de estratificada).
 
Em um passado relativamente recente (2013), o Jetta já teve esse moto r com 200 cavalos. Atualmente, os Jetta s 2.0 TSI contam com potência máxima de 211 cavalos (à 5.550 rpm). O torque máximo é de impressionantes 28,6 kgfm (à apenas 2.000 rpm). Além disso, o moto r conta com comando variável na admissão e cabeçote em alumínio. Praticamente todos os concorrentes diretos do Jetta , mal chegam à 20 kgfm de torque máximo. Os concorrentes mais próximos são o C4 Lounge THP (173 cv), com menos de 25 kgfm de torque máximo, o novo Honda Civic Touring (173 cv) com 22,4 kgfm e o novo Chevrolet Cruze (153 cv) com 24,5 kgfm.
 
Transmissão DSG
 
Junto com esse potente moto r, está o eficientíssimo câmbio robotizado de dupla embreagem de seis marchas, que a Volkswagen batiza de DSG (Direct Shift Gearbox). Inicialmente, essa transmissão foi concebida para as pistas de corrida, equipando veículos como o Audi Quattro. Esta caixa de câmbio incorpora uma embreagem dupla, e foi estreada primeiramente nas ruas no Audi TT 3.2 e por um curto espaço de tempo, no Golf IV R32.
 
A transmissão desenvolvida pela Borg Warner foi concebida de acordo com as exigências dos clientes europeus, privilegiando a condução esportiva e o baixo consumo de combustível. Em relação aos câmbios automáticos convencionais, o câmbio DSG apresenta uma grande diferença: a não utilização de conversor de torque. Por isso dizemos que ele é um câmbio robotizado, é não automático!
 
A transmissão DSG supera a manual em diversos aspectos: economia de combustível, desempenho, rapidez nas trocas de marcas, facilidade de utilização e conforto ao dirigir. Ela constitui a verdadeira alternativa para os moto ristas que preferiam caixas manuais, pois o sistema DSG não apresenta desvantagens em termos de economia de combustível, como acontece em um câmbio automático com conversor de torque. Ela ainda permite valores melhores nas acelerações e trocas suaves, equivalente aos melhores câmbios automáticos convencionais. Também oferece a vantagem adicional da utilização em modo manual, através do sistema sequencial, pela manopla de câmbio ou borboletas atrás do volante.   Uma das mais impressionantes características do câmbio DSG esta no fato de possuir duas embreagens em banho de óleo. Elas tem maior resistência ao calor e melhor controle que as embreagens à seco convencionais. A primeira embreagem aciona as engrenagens ímpares (incluindo a marcha ré) e a segunda embreagem encarrega-se das engrenagens pares. Para todos os efeitos, este conceito pode ser visto como "dois em um". Ou seja, duas caixas de câmbio em paralelo, num só conjunto. Na prática, esta tecnologia faz com que em cada mudança de marcha, deixe de existir o "buraco" de tração que caracteriza as transmissões sequenciais manuais automatizadas (como o i Motion da própria Volks).
 
No DSG a próxima marcha pode estar sempre engrenada, e pronta para ser ativada. Quando o automóvel circula em terceira marcha, a quarta já está engrenada, mas não conectada. Assim que é alcançado o ponto ideal de troca, a embreagem responsável pela terceira marcha abre-se, enquanto a outra embreagem se fecha, ativando a quarta marcha. A abertura e fechamento das embreagens são perfeitamente sincronizados, oferecendo uma suavidade exemplar. Todo o ciclo de troca de marcha é completado num curtíssimo espaço de tempo: 3 a 4 centésimos de segundo!
 
Desempenho assustador
 
Assim, com um câmbio que está acima da média do mercado, e com um potente e eficiente moto r de 211 cavalos, o Jetta TSi consegue quase um milagre. O conjunto é bastante econômico em condução moderada. Na estrada com velocidade constante de 120 km/h e ar-condicionado ligado, chega-se a incríveis 15 km/l de gasolina. Ou seja, mesmo se tratando de um carro com 1.375 kg, a média é equivalente a de modelos populares.
 
Além disso, o Jetta TSI vai de 0 a 100 km/h em apenas 7,2 segundos e tem velocidade máxima de impressionantes 241 km/h. E pode acreditar que ele chega nessa máxima. Aliás, o Jetta Highline é o carro que traz o melhor ajuste desse moto r, em toda a família VW no Brasil. Alguns outros carros da marca utilizam esse moto r, e outros, o mesmo câmbio também. Entre aqueles que têm o mesmo moto r estão o Tiguan, Passat, Passat Variant e Novo Fusca. E os que usam o mesmo câmbio, temos o Passat, Passat Variant e Novo Fusca. A VW parece ter feito um milagre tecnológico no Jetta Highline, pois até o Novo Fusca que é um carro menor e mais leve, não consegue fazer melhor, com uma aceleração de 0 à 100 km/h em 7,5 segundos e máxima de 225 km/h. Assim, o Jetta Tsi é um carro que “anda” demais. E vários modelos de marcas premium como os atuais BMW 320, Audi A4/A5 e Mercedes C180/C200 são obrigados a dar passagem ao Jetta , quando o assunto é desempenho.
 
ESP de série, e indesligavél!
 
Pos conta desse desempenho assustador, a Volkswagen tomou uma decisão radical no Jetta TSI. O programa de estabilidade eletrônico (ESP) é sempre de série nessa versão TSI (Highline). Alguns concorrentes como o Corolla Altis, sequer oferecem esse equipamento. Mas diferente do que ocorre em outros concorrentes como C4 Lounge Exclusive THP; novo Honda Civic Touring, o programa de estabilidade do Jetta nunca pode ser desligado. Nos outros carros, basta pressionar um botão. A Volkswagen não comenta oficialmente, mas nos bastidores essa decisão foi tomada para evitar que o carro se envolva demasiadamente em acidentes. Afinal, ele anda “demais” em relação ao que o moto rista dessa categoria de carros (sedans médios) esta acostumado a encontrar.

Para conhecer uma oferta do Jetta , clique AQUI.
 
Ficha Técnica
 
Motor: EA888 quatro cilindros em linha turbo
Cilindrada: 1.984 cm³
Taxa de compressão: 9,8:1
Potência máxima: 211 cv a 5.500 rpm
Torque máximo: 28,6 m·kgf a 2.000 rpm
Câmbio: 6 marchas, robotizado com duas embreagens em banho de óleo
Direção: assistência elétrica variável Servotronic
Diâmetro: mínimo de curva 11,1 m
Rodas: Alumínio, 7Jx17
Pneus: 225/45R17W (estepe de aço, 205/55R16V)
Peso em ordem de marcha: 1.378 kg
Coeficiente de arrasto (Cx): 0,30
Porta-malas: 510 litros
Tanque de combustível: 55 litros
Velocidade máxima: 241 km/h
Aceleração 0-100 km/h: 7,2 s

Notícias < Voltar
Volkswagen Jetta TSI 2.0 em condição única na Abrão Reze/Cobel
 

Volkswagen Jetta TSI 2.0 em condição única na Abrão Reze/Cobel

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Quem gosta de sedan com elevado desempenho, não pode perder essa oportunidade

19 de Setembro de 2016

O Grupo Abrão Reze, através de suas concessionárias Volkswagen Abrão Reze e Cobel (ambas na cidade de Sorocaba) está com uma ótima oportunidade para quem quer comprar o sedan médio com o melhor desempenho de toda a categoria. Para isso, foram reservadas algumas unidades do Jetta TSI 2.0, na versão Highline, com documentação grátis, oportunidade única  a partir de R$ 94.990. Para conhecer uma oferta do Jetta , clique AQUI.
 
O Jetta TSI Highline 2.0 concorre no segmento de sedans médios, no mercado brasileiro. Aliás, esse segmento passou por grandes transformações nos últimos 6 meses. Foram várias as novidades que chegaram as ruas, como: novo Nissan Sentra, novo Chevrolet Cruze, novo Honda Civic, novo Ford Focus, além de algumas atualizações em concorrentes como Citroën C4 Lounge, Peugeot 408 e Hyundai Elantra.
 
Mas mesmo com tantas novidades, o Jetta TSI 2.0 nunca perdeu o posto de sedan mais rápido e potente de toda a categoria. Aliás, o Jetta , consegue competir (e superar) até com sedans de categoria premium, quando o assunto é potência e desempenho! Seu moto r turbo 2.0 litros de 211 cavalos, associado ao câmbio DSG robotizado de dupla embreagem de seis marchas, deixam o Jetta num patamar inalcançável pelos concorrentes diretos.
 
Motor TSI 2.0
 
Esse é o ponto alto do Jetta TSI. A versão Highline exclusivamente equipada com o moto r EA888 à gasolina (não é flex) 2,0 litros – 16 válvulas, turbo alimentado e com injeção direta de combustível (que a Volkswagen chama de estratificada).
 
Em um passado relativamente recente (2013), o Jetta já teve esse moto r com 200 cavalos. Atualmente, os Jetta s 2.0 TSI contam com potência máxima de 211 cavalos (à 5.550 rpm). O torque máximo é de impressionantes 28,6 kgfm (à apenas 2.000 rpm). Além disso, o moto r conta com comando variável na admissão e cabeçote em alumínio. Praticamente todos os concorrentes diretos do Jetta , mal chegam à 20 kgfm de torque máximo. Os concorrentes mais próximos são o C4 Lounge THP (173 cv), com menos de 25 kgfm de torque máximo, o novo Honda Civic Touring (173 cv) com 22,4 kgfm e o novo Chevrolet Cruze (153 cv) com 24,5 kgfm.
 
Transmissão DSG
 
Junto com esse potente moto r, está o eficientíssimo câmbio robotizado de dupla embreagem de seis marchas, que a Volkswagen batiza de DSG (Direct Shift Gearbox). Inicialmente, essa transmissão foi concebida para as pistas de corrida, equipando veículos como o Audi Quattro. Esta caixa de câmbio incorpora uma embreagem dupla, e foi estreada primeiramente nas ruas no Audi TT 3.2 e por um curto espaço de tempo, no Golf IV R32.
 
A transmissão desenvolvida pela Borg Warner foi concebida de acordo com as exigências dos clientes europeus, privilegiando a condução esportiva e o baixo consumo de combustível. Em relação aos câmbios automáticos convencionais, o câmbio DSG apresenta uma grande diferença: a não utilização de conversor de torque. Por isso dizemos que ele é um câmbio robotizado, é não automático!
 
A transmissão DSG supera a manual em diversos aspectos: economia de combustível, desempenho, rapidez nas trocas de marcas, facilidade de utilização e conforto ao dirigir. Ela constitui a verdadeira alternativa para os moto ristas que preferiam caixas manuais, pois o sistema DSG não apresenta desvantagens em termos de economia de combustível, como acontece em um câmbio automático com conversor de torque. Ela ainda permite valores melhores nas acelerações e trocas suaves, equivalente aos melhores câmbios automáticos convencionais. Também oferece a vantagem adicional da utilização em modo manual, através do sistema sequencial, pela manopla de câmbio ou borboletas atrás do volante.   Uma das mais impressionantes características do câmbio DSG esta no fato de possuir duas embreagens em banho de óleo. Elas tem maior resistência ao calor e melhor controle que as embreagens à seco convencionais. A primeira embreagem aciona as engrenagens ímpares (incluindo a marcha ré) e a segunda embreagem encarrega-se das engrenagens pares. Para todos os efeitos, este conceito pode ser visto como "dois em um". Ou seja, duas caixas de câmbio em paralelo, num só conjunto. Na prática, esta tecnologia faz com que em cada mudança de marcha, deixe de existir o "buraco" de tração que caracteriza as transmissões sequenciais manuais automatizadas (como o i Motion da própria Volks).
 
No DSG a próxima marcha pode estar sempre engrenada, e pronta para ser ativada. Quando o automóvel circula em terceira marcha, a quarta já está engrenada, mas não conectada. Assim que é alcançado o ponto ideal de troca, a embreagem responsável pela terceira marcha abre-se, enquanto a outra embreagem se fecha, ativando a quarta marcha. A abertura e fechamento das embreagens são perfeitamente sincronizados, oferecendo uma suavidade exemplar. Todo o ciclo de troca de marcha é completado num curtíssimo espaço de tempo: 3 a 4 centésimos de segundo!
 
Desempenho assustador
 
Assim, com um câmbio que está acima da média do mercado, e com um potente e eficiente moto r de 211 cavalos, o Jetta TSi consegue quase um milagre. O conjunto é bastante econômico em condução moderada. Na estrada com velocidade constante de 120 km/h e ar-condicionado ligado, chega-se a incríveis 15 km/l de gasolina. Ou seja, mesmo se tratando de um carro com 1.375 kg, a média é equivalente a de modelos populares.
 
Além disso, o Jetta TSI vai de 0 a 100 km/h em apenas 7,2 segundos e tem velocidade máxima de impressionantes 241 km/h. E pode acreditar que ele chega nessa máxima. Aliás, o Jetta Highline é o carro que traz o melhor ajuste desse moto r, em toda a família VW no Brasil. Alguns outros carros da marca utilizam esse moto r, e outros, o mesmo câmbio também. Entre aqueles que têm o mesmo moto r estão o Tiguan, Passat, Passat Variant e Novo Fusca. E os que usam o mesmo câmbio, temos o Passat, Passat Variant e Novo Fusca. A VW parece ter feito um milagre tecnológico no Jetta Highline, pois até o Novo Fusca que é um carro menor e mais leve, não consegue fazer melhor, com uma aceleração de 0 à 100 km/h em 7,5 segundos e máxima de 225 km/h. Assim, o Jetta Tsi é um carro que “anda” demais. E vários modelos de marcas premium como os atuais BMW 320, Audi A4/A5 e Mercedes C180/C200 são obrigados a dar passagem ao Jetta , quando o assunto é desempenho.
 
ESP de série, e indesligavél!
 
Pos conta desse desempenho assustador, a Volkswagen tomou uma decisão radical no Jetta TSI. O programa de estabilidade eletrônico (ESP) é sempre de série nessa versão TSI (Highline). Alguns concorrentes como o Corolla Altis, sequer oferecem esse equipamento. Mas diferente do que ocorre em outros concorrentes como C4 Lounge Exclusive THP; novo Honda Civic Touring, o programa de estabilidade do Jetta nunca pode ser desligado. Nos outros carros, basta pressionar um botão. A Volkswagen não comenta oficialmente, mas nos bastidores essa decisão foi tomada para evitar que o carro se envolva demasiadamente em acidentes. Afinal, ele anda “demais” em relação ao que o moto rista dessa categoria de carros (sedans médios) esta acostumado a encontrar.

Para conhecer uma oferta do Jetta , clique AQUI.
 
Ficha Técnica
 
Motor: EA888 quatro cilindros em linha turbo
Cilindrada: 1.984 cm³
Taxa de compressão: 9,8:1
Potência máxima: 211 cv a 5.500 rpm
Torque máximo: 28,6 m·kgf a 2.000 rpm
Câmbio: 6 marchas, robotizado com duas embreagens em banho de óleo
Direção: assistência elétrica variável Servotronic
Diâmetro: mínimo de curva 11,1 m
Rodas: Alumínio, 7Jx17
Pneus: 225/45R17W (estepe de aço, 205/55R16V)
Peso em ordem de marcha: 1.378 kg
Coeficiente de arrasto (Cx): 0,30
Porta-malas: 510 litros
Tanque de combustível: 55 litros
Velocidade máxima: 241 km/h
Aceleração 0-100 km/h: 7,2 s

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!