Revista Comprecar
Avaliação: Chevrolet S10 2.5 litros flex automática 4x4 LTZ
Picape da Chevrolet é a melhor de todo o segmento com motor flex e câmbio automático
Avaliação: Chevrolet S10 2.5 litros flex automática 4x4 LTZ
14 de Julho de 2017

No final de abril de 2017, a Chevrolet fez a última coisa que faltava, para ter a melhor picape média do segmento, com motor flex: inclui a opção do câmbio automático de seis marchas, para essa motorização.
 
Desde a última remodelação da S10, a picape ganhou uma série de elementos e tecnologia para disputar a posição de melhor picape do mercado. Mas ainda que a grade de opções fosse vasta, o câmbio automático de seis marchas só estava disponível em algumas versões turbo diesel. Agora, com o câmbio automático de seis marchas no motor flex, a S10 é a picape quem mais tem versões e configurações no segmento, como também uma série de equipamentos exclusivos, não ofertados nas concorrentes. Nessa avaliação trazemos a versão topo de linha flex (LTZ), com tração 4x4 e transmissão automática.
 
Motor flex mais potente da categoria
 
O primeiro diferencial da picape, é justamente o fato de ter o melhor motor flex do mercado, entre as concorrentes.
 
Com quatro cilindros e duplo comando de válvulas totalmente variável (tanto no de admissão quanto exaustão), esse motor 2,5 litros ECOTEC produz até 206 cavalos de potência, e 27,3 kgfm de torque quando abastecido com etanol. Ele é identificado pela sigla SIDI (Spark Ignition Direct Injection).
 
O motor 2.5 ECOTEC reúne o que existe de mais moderno em tecnologia: injeção direta de combustível, duplo comando de válvulas continuamente variáveis e bloco em alumínio com camisa em ferro fundido. Completam a lista o eixo balanceador, os pistões em alumínio com resfriamento por jatos de óleo, além de bomba de óleo variável, controle eletrônico da temperatura do motor e sistema de partida a frio sem tanquinho e sem pré-aquecimento do combustível.
 
A principal vantagem é a injeção direta de combustível (num sistema flex) que permite ao motor trabalhar com maior eficiência, pois o combustível é injetado diretamente na câmara de combustão. E é exatamente essa tecnologia que permite partidas seguras, mesmo com etanol, sem precisar pré-aquecer o combustível. Para isso foi usado um bico injetor extremamente preciso, que vaporiza o combustível diretamente no cilindro. Dessa forma, com a compressão, a mistura de ar e combustível se aquece, garantindo a partida. Para assegurar total eficiência, a picape possui duas bombas de combustível: uma no tanque e outra no cabeçote.
 
Superando concorrentes
 
Quando olhamos para as concorrentes diretas, vemos a superioridade desse motor flex da Chevrolet S10. A Toyota Hilux flex entrega apenas 163 cv, com 25 kgfm de torque máximo. E isso, num bloco de 2.7 litros que certamente deveria gerar maior potência e torque, em função da cilindrada maior. Olhando para a Ford Ranger, a S10 também supera. São 173 cv, com 25 kgfm de torque. E a Ranger não tem nem transmissão automática ou tração 4x4 na flex. Mesmo quando comparamos a S10 com a Mitsubishi L200 V6 flex, ela ainda faz bonito. Mesmo com um motor de 3.5 litros, são apenas 205 cavalos, mas o torque é maior com 33,5 kgfm. Mas a Mitsubishi já está fora de linha, e o câmbio automático era de apenas 4 marchas, gastando muito mais combustível, além de um 0 à 100 km/h em mais tempo que o da S10.
 
Câmbio automático de 6 marchas
 
O câmbio automático de seis marchas conta com a tecnologia Clutch to Clutch, que permite trocas mais rápidas e suaves. Com esse conjunto de motor e câmbio, a picape acelera de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos. Um tempo muito bom, considerando o seu tamanho e peso de 1.934kg.
 
O sistema de transmissão automática do modelo Flex usa o mesmo hardware da configuração a diesel, porém com uma programação específica do módulo de controle da transmissão (TCM), que, no caso da S10, fica embutido.
 
Outra alteração promovida na transmissão foi o alongamento da relação do diferencial. Isso contribui para melhora no consumo e para redução das rotações do motor, resultando em melhor conforto acústico.
 
Outra tecnologia interessante é o Electronic Capacity Clutch Control, onde uma embreagem dentro do conversor de torque maximiza a capacidade de acoplamento do conjunto e, consequentemente, a transferência de força do motor para as rodas. Os coxins da S10 Flex tiveram sua rigidez alterada para que o nível de vibração do carro também fosse otimizado, privilegiando uma condução altamente agradável e confortável para os ocupantes.
 
A transmissão automática está disponível apenas nas configurações LT (intermediária) e LTZ com motor flex.
 
Melhor eficiência energética
 
A S10 Flex automática chega com o consumo de combustível semelhante ao do modelo manual, algo raro no mercado. Todo esse desenvolvimento de engenharia foi realizado no Brasil.
 
Nota máxima na classificação do Inmetro, a nova configuração 4x2 da picape Chevrolet tem nota A no segmento e C no geral. É capaz de rodar com gasolina 9,4 km/l na estrada e 7,9 km/l na cidade. Com etanol os resultados são 6,4 km/l e 5,3 km/l, respectivamente. Isso representa uma vantagem de até 1,3 km/l em relação ao principal rival.
 
Já a versão 4x4 tem um consumo com gasolina de 9 km/l na estrada e 7,4 km/l na cidade, e com etanol de 6,2 km/l na estrade e 5 km/l na cidade. Assim, recebe nota B na categoria e D no geral.
 
Tração 4x4 com seletor eletrônico
 
O sistema de tração da S10 2.5 Flex contempla o acionamento por controle eletrônico e inclui a opção da reduzida. Essa é a mesma tração que equipa as versões diesel. Assim, do ponto de vista de mobilidade, a S10 4x4 não tem qualquer limitante para conseguir fazer as mesmas coisas que os 4x4 mais aventureiros do mercado.
 
Quem já precisou enfrentar em complicado atoleiro, ou rebocar algo muito pesado, ou ainda subir e descer rampas realmente inclinadas, não terá problemas com a versão 2.5 AT Flex. Com uma altura de 23 centímetros em relação ao solo, ela tem ângulo de passagem de 25,7º, e um elevado ângulo de entrada com 31 graus. Já o de saída, conta apenas com 17 graus.
 
Muitos equipamentos
 
A lista de equipamento de série da versão LTZ é grande. Destaque para o Assistente de Partida em Rampas (Hill Start Assist), que não permite que o veículo recue em saídas íngremes, e o Assistente de Descida (Hill Descend Control), que controla a velocidade em descidas íngremes sem a necessidade de intervenção do motorista, proporcionando maior segurança. Completa a relação os controles eletrônicos de tração e de estabilidade (TC e ECS) e o controle de balanço de reboque (TSC), que aciona automaticamente os freios e reduz o torque do motor, caso seja detectado alteração da trajetória do trailer, por exemplo.
 
A versão LTZ soma ainda faróis dianteiros com luz de posição diurna em LED, lanterna traseira em LED, rodas aro 17 polegadas, sensor de estacionamento, bancos em couro, volante multifuncional, rack de teto e câmera de ré.
 
Outros equipamentos presentes na versão LTZ são: direção com assistência elétrica progressiva e inteligente, alerta de colisão frontal, alerta de saída de faixa, banco do motorista com ajustes elétricos, telemática avançada OnStar Exclusive e a central multimídia MyLink que integra com a plataforma Andoid Auto e Apple Car Play.
 
Equipamentos exclusivos
 
Entre as exclusividades na categoria estão o alerta de desvio de faixa e o alerta de colisão frontal, comuns apenas a veículos de luxo, de categorias superiores.
 
O alerta de desvio de faixa possui uma câmera na parte superior do para-brisas que “lê” as faixas da via e emite um aviso toda vez que perceber que o veículo está saindo involuntariamente da pista. Se o pisca estiver acionado, o mecanismo entende que a manobra é intencional e não entra em ação. Um botão no painel, ativa ou desativa esse recurso. Vale destacar que o funcionamento é muito preciso. Mesmo quando as faixas não estão bem pintadas na via, o sistema ainda funciona, emitindo o alerta na mudança de faixa não sinalizada. Mas existem algumas limitações. Caso a curva seja muito acentuada, ou o veículo esteja em velocidade muito baixa, o sistema não funciona.
 
Com o alerta de colisão frontal, o motorista pode estabelecer eletronicamente uma distância mínima em relação ao veículo à frente, podendo ser alertado caso o outro automóvel sofra uma redução de velocidade repentina. Luzes vermelhas, projetadas no para-brisa piscam, e um alarme soa pelos alto-falantes do sistema de som da picape. Esse recurso é programado através de um botão no volante. São três distâncias diferentes, que podem ser selecionadas pelo motorista. Esse sistema só entra em funcionamento quando o veículo está acima de 50 km/h.
 
Exclusivo sistema OnStar 
 
Outra inovação que só a S10 tem no segmento de picapes é o OnStar. Trata-se de um sistema de conectividade em tempo real, que oferece ao cliente serviços de Emergência, Segurança, Navegação, Concierge e Conectividade, ao toque de um botão.
 
O OnStar agrega diversas funcionalidades, como o alerta de valet. Ao ativá-lo, o usuário recebe uma mensagem caso o manobrista se distancie mais de 500 metros com o carro. É possível ainda monitorar o deslocamento do automóvel e saber se ele ultrapassou o limite de velocidade predeterminado. Tudo através do aplicativo para smartphones.
 
Existe também o alerta de rodízio. O motorista é avisado quando seu veículo se aproxima da zona de restrição, ou quando se dá partida no veículo em local e horário restrito à circulação.
 
Pressionando o botão da esquerda no retrovisor central, o usuário consegue acionar, por comando de voz, serviços como os alertas de velocidade e o de valet, chamar o serviço de assistência mecânica ou ainda iniciar a navegação de algum destino cadastrado no aplicativo do OnStar.
 
O OnStar também avisa quando o automóvel está sendo furtado ou envolveu-se em um acidente que resultou na ativação dos airbags. Isso acontece porque os sensores espalhados pela carroceria são capazes de detectar situações de anormalidade e alertam o Centro de Atendimento.
 
O OnStar também permite que o usuário comande funções do veículo por meio de um aplicativo para smartphone, como o travamento das portas. Pelo app ainda é possível programar para receber notificações quando o veículo inicia uma nova movimentação, saber qual é a sua localização atual e ainda pedir para ser avisado quando o velocímetro ultrapassar o limite de velocidade predeterminado – recursos úteis principalmente quando o automóvel é cedido a terceiros.
 
Preços
 
As versões S10 flex com câmbio automático, tem os seguintes preços:
 
S10 2.5 flex automática LT 4x2: R$ 107.990
S10 2.5 flex automática LT 4x4: R$ 116.990
S10 2.5 flex automática LTZ 4x2: R$ 122.990
S10 2.5 flex automática LTZ 4x4: R$ 129.990
 
A nova S10 automática, bem como toda a linha da picape da Chevrolet podem ser encontradas nas concessionárias Chevrolet do Grupo Andreta, na cidade de Campinas (Adara - duas lojas) e Jundiaí (Spassus). Mais informações pelo site www.grupoandreta.com.br

Avaliações < Voltar
Avaliação: Chevrolet S10 2.5 litros flex automática 4x4 LTZ

Avaliação: Chevrolet S10 2.5 litros flex automática 4x4 LTZ

Picape da Chevrolet é a melhor de todo o segmento com motor flex e câmbio automático

14 de Julho de 2017

No final de abril de 2017, a Chevrolet fez a última coisa que faltava, para ter a melhor picape média do segmento, com motor flex: inclui a opção do câmbio automático de seis marchas, para essa motorização.
 
Desde a última remodelação da S10, a picape ganhou uma série de elementos e tecnologia para disputar a posição de melhor picape do mercado. Mas ainda que a grade de opções fosse vasta, o câmbio automático de seis marchas só estava disponível em algumas versões turbo diesel. Agora, com o câmbio automático de seis marchas no motor flex, a S10 é a picape quem mais tem versões e configurações no segmento, como também uma série de equipamentos exclusivos, não ofertados nas concorrentes. Nessa avaliação trazemos a versão topo de linha flex (LTZ), com tração 4x4 e transmissão automática.
 
Motor flex mais potente da categoria
 
O primeiro diferencial da picape, é justamente o fato de ter o melhor motor flex do mercado, entre as concorrentes.
 
Com quatro cilindros e duplo comando de válvulas totalmente variável (tanto no de admissão quanto exaustão), esse motor 2,5 litros ECOTEC produz até 206 cavalos de potência, e 27,3 kgfm de torque quando abastecido com etanol. Ele é identificado pela sigla SIDI (Spark Ignition Direct Injection).
 
O motor 2.5 ECOTEC reúne o que existe de mais moderno em tecnologia: injeção direta de combustível, duplo comando de válvulas continuamente variáveis e bloco em alumínio com camisa em ferro fundido. Completam a lista o eixo balanceador, os pistões em alumínio com resfriamento por jatos de óleo, além de bomba de óleo variável, controle eletrônico da temperatura do motor e sistema de partida a frio sem tanquinho e sem pré-aquecimento do combustível.
 
A principal vantagem é a injeção direta de combustível (num sistema flex) que permite ao motor trabalhar com maior eficiência, pois o combustível é injetado diretamente na câmara de combustão. E é exatamente essa tecnologia que permite partidas seguras, mesmo com etanol, sem precisar pré-aquecer o combustível. Para isso foi usado um bico injetor extremamente preciso, que vaporiza o combustível diretamente no cilindro. Dessa forma, com a compressão, a mistura de ar e combustível se aquece, garantindo a partida. Para assegurar total eficiência, a picape possui duas bombas de combustível: uma no tanque e outra no cabeçote.
 
Superando concorrentes
 
Quando olhamos para as concorrentes diretas, vemos a superioridade desse motor flex da Chevrolet S10. A Toyota Hilux flex entrega apenas 163 cv, com 25 kgfm de torque máximo. E isso, num bloco de 2.7 litros que certamente deveria gerar maior potência e torque, em função da cilindrada maior. Olhando para a Ford Ranger, a S10 também supera. São 173 cv, com 25 kgfm de torque. E a Ranger não tem nem transmissão automática ou tração 4x4 na flex. Mesmo quando comparamos a S10 com a Mitsubishi L200 V6 flex, ela ainda faz bonito. Mesmo com um motor de 3.5 litros, são apenas 205 cavalos, mas o torque é maior com 33,5 kgfm. Mas a Mitsubishi já está fora de linha, e o câmbio automático era de apenas 4 marchas, gastando muito mais combustível, além de um 0 à 100 km/h em mais tempo que o da S10.
 
Câmbio automático de 6 marchas
 
O câmbio automático de seis marchas conta com a tecnologia Clutch to Clutch, que permite trocas mais rápidas e suaves. Com esse conjunto de motor e câmbio, a picape acelera de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos. Um tempo muito bom, considerando o seu tamanho e peso de 1.934kg.
 
O sistema de transmissão automática do modelo Flex usa o mesmo hardware da configuração a diesel, porém com uma programação específica do módulo de controle da transmissão (TCM), que, no caso da S10, fica embutido.
 
Outra alteração promovida na transmissão foi o alongamento da relação do diferencial. Isso contribui para melhora no consumo e para redução das rotações do motor, resultando em melhor conforto acústico.
 
Outra tecnologia interessante é o Electronic Capacity Clutch Control, onde uma embreagem dentro do conversor de torque maximiza a capacidade de acoplamento do conjunto e, consequentemente, a transferência de força do motor para as rodas. Os coxins da S10 Flex tiveram sua rigidez alterada para que o nível de vibração do carro também fosse otimizado, privilegiando uma condução altamente agradável e confortável para os ocupantes.
 
A transmissão automática está disponível apenas nas configurações LT (intermediária) e LTZ com motor flex.
 
Melhor eficiência energética
 
A S10 Flex automática chega com o consumo de combustível semelhante ao do modelo manual, algo raro no mercado. Todo esse desenvolvimento de engenharia foi realizado no Brasil.
 
Nota máxima na classificação do Inmetro, a nova configuração 4x2 da picape Chevrolet tem nota A no segmento e C no geral. É capaz de rodar com gasolina 9,4 km/l na estrada e 7,9 km/l na cidade. Com etanol os resultados são 6,4 km/l e 5,3 km/l, respectivamente. Isso representa uma vantagem de até 1,3 km/l em relação ao principal rival.
 
Já a versão 4x4 tem um consumo com gasolina de 9 km/l na estrada e 7,4 km/l na cidade, e com etanol de 6,2 km/l na estrade e 5 km/l na cidade. Assim, recebe nota B na categoria e D no geral.
 
Tração 4x4 com seletor eletrônico
 
O sistema de tração da S10 2.5 Flex contempla o acionamento por controle eletrônico e inclui a opção da reduzida. Essa é a mesma tração que equipa as versões diesel. Assim, do ponto de vista de mobilidade, a S10 4x4 não tem qualquer limitante para conseguir fazer as mesmas coisas que os 4x4 mais aventureiros do mercado.
 
Quem já precisou enfrentar em complicado atoleiro, ou rebocar algo muito pesado, ou ainda subir e descer rampas realmente inclinadas, não terá problemas com a versão 2.5 AT Flex. Com uma altura de 23 centímetros em relação ao solo, ela tem ângulo de passagem de 25,7º, e um elevado ângulo de entrada com 31 graus. Já o de saída, conta apenas com 17 graus.
 
Muitos equipamentos
 
A lista de equipamento de série da versão LTZ é grande. Destaque para o Assistente de Partida em Rampas (Hill Start Assist), que não permite que o veículo recue em saídas íngremes, e o Assistente de Descida (Hill Descend Control), que controla a velocidade em descidas íngremes sem a necessidade de intervenção do motorista, proporcionando maior segurança. Completa a relação os controles eletrônicos de tração e de estabilidade (TC e ECS) e o controle de balanço de reboque (TSC), que aciona automaticamente os freios e reduz o torque do motor, caso seja detectado alteração da trajetória do trailer, por exemplo.
 
A versão LTZ soma ainda faróis dianteiros com luz de posição diurna em LED, lanterna traseira em LED, rodas aro 17 polegadas, sensor de estacionamento, bancos em couro, volante multifuncional, rack de teto e câmera de ré.
 
Outros equipamentos presentes na versão LTZ são: direção com assistência elétrica progressiva e inteligente, alerta de colisão frontal, alerta de saída de faixa, banco do motorista com ajustes elétricos, telemática avançada OnStar Exclusive e a central multimídia MyLink que integra com a plataforma Andoid Auto e Apple Car Play.
 
Equipamentos exclusivos
 
Entre as exclusividades na categoria estão o alerta de desvio de faixa e o alerta de colisão frontal, comuns apenas a veículos de luxo, de categorias superiores.
 
O alerta de desvio de faixa possui uma câmera na parte superior do para-brisas que “lê” as faixas da via e emite um aviso toda vez que perceber que o veículo está saindo involuntariamente da pista. Se o pisca estiver acionado, o mecanismo entende que a manobra é intencional e não entra em ação. Um botão no painel, ativa ou desativa esse recurso. Vale destacar que o funcionamento é muito preciso. Mesmo quando as faixas não estão bem pintadas na via, o sistema ainda funciona, emitindo o alerta na mudança de faixa não sinalizada. Mas existem algumas limitações. Caso a curva seja muito acentuada, ou o veículo esteja em velocidade muito baixa, o sistema não funciona.
 
Com o alerta de colisão frontal, o motorista pode estabelecer eletronicamente uma distância mínima em relação ao veículo à frente, podendo ser alertado caso o outro automóvel sofra uma redução de velocidade repentina. Luzes vermelhas, projetadas no para-brisa piscam, e um alarme soa pelos alto-falantes do sistema de som da picape. Esse recurso é programado através de um botão no volante. São três distâncias diferentes, que podem ser selecionadas pelo motorista. Esse sistema só entra em funcionamento quando o veículo está acima de 50 km/h.
 
Exclusivo sistema OnStar 
 
Outra inovação que só a S10 tem no segmento de picapes é o OnStar. Trata-se de um sistema de conectividade em tempo real, que oferece ao cliente serviços de Emergência, Segurança, Navegação, Concierge e Conectividade, ao toque de um botão.
 
O OnStar agrega diversas funcionalidades, como o alerta de valet. Ao ativá-lo, o usuário recebe uma mensagem caso o manobrista se distancie mais de 500 metros com o carro. É possível ainda monitorar o deslocamento do automóvel e saber se ele ultrapassou o limite de velocidade predeterminado. Tudo através do aplicativo para smartphones.
 
Existe também o alerta de rodízio. O motorista é avisado quando seu veículo se aproxima da zona de restrição, ou quando se dá partida no veículo em local e horário restrito à circulação.
 
Pressionando o botão da esquerda no retrovisor central, o usuário consegue acionar, por comando de voz, serviços como os alertas de velocidade e o de valet, chamar o serviço de assistência mecânica ou ainda iniciar a navegação de algum destino cadastrado no aplicativo do OnStar.
 
O OnStar também avisa quando o automóvel está sendo furtado ou envolveu-se em um acidente que resultou na ativação dos airbags. Isso acontece porque os sensores espalhados pela carroceria são capazes de detectar situações de anormalidade e alertam o Centro de Atendimento.
 
O OnStar também permite que o usuário comande funções do veículo por meio de um aplicativo para smartphone, como o travamento das portas. Pelo app ainda é possível programar para receber notificações quando o veículo inicia uma nova movimentação, saber qual é a sua localização atual e ainda pedir para ser avisado quando o velocímetro ultrapassar o limite de velocidade predeterminado – recursos úteis principalmente quando o automóvel é cedido a terceiros.
 
Preços
 
As versões S10 flex com câmbio automático, tem os seguintes preços:
 
S10 2.5 flex automática LT 4x2: R$ 107.990
S10 2.5 flex automática LT 4x4: R$ 116.990
S10 2.5 flex automática LTZ 4x2: R$ 122.990
S10 2.5 flex automática LTZ 4x4: R$ 129.990
 
A nova S10 automática, bem como toda a linha da picape da Chevrolet podem ser encontradas nas concessionárias Chevrolet do Grupo Andreta, na cidade de Campinas (Adara - duas lojas) e Jundiaí (Spassus). Mais informações pelo site www.grupoandreta.com.br

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!