Revista Comprecar
Avaliação: Citroën Aircross 2015
Modelo é opção para família descolada
Avaliação: Citroën Aircross 2015
31 de Julho de 2014

Por Jorge Augusto
Fotos: Marcelo Alexandre

A Citroën sempre foi uma marca bastante ousada nas suas investidas. Exemplos não faltam. E entre esses exemplos, tem-se o Aircross, da família C3 Picasso. Derivado do compacto C3, o modelo concorre no expressivo mercado de minivans. As minivans trazem a vantagem de oferecer um enorme espaço interno, com a vantagem de não ser tão grande por fora, como os SUVs. Assim, consegue-se unir bom interno espaço, dirigibilidade agradável e praticidade no dia a dia.
 
Certamente, o Aircross é o modelo ousado da família C3 Picasso. Com um visual aventureiro, o Aircross tem roupagem totalmente diferente. Além disso, incorpora algumas alterações mecânicas para dar ênfase ao tema. Nessa avaliação, temos a versão topo de linha Exclusive, equipada com câmbio manual de cinco marchas.
 
Visual aventureiro
 
Indiscutivelmente, o Citroen Aircross é um veículo tipicamente familiar destinado ao cliente mais “fashion” que valoriza o visual mais ousado. Para isso ele tem uma frente imponente, com um pára-choque elaborado, mesclando elementos em preto e prata fosco. Os faróis auxiliares estão integrados nas laterais do pára-choque. Nas laterais, na parte de baixo das portas, um tipo de alargador confere um visual mais robusto, completado pelos pneus do tipo “todo terreno”. E na traseira, o destaque fica por conta do estepe montado num suporte na parte externa do carro. Para aqueles que precisam levar bastante carga, o teto vem com um rack que inclui duas barras transversais. Esse rack pode transportar pequenas cargas. O visual aventureiro fica completo com três diferentes relógios (bússola e inclinômetros) bem no centro do painel. Ainda que não tenham qualquer função ou utilidade prática, servem para diferenciar o modelo.
 
É muito importante destacar que, apesar do visual aventureiro, o Aircross não é um veículo para ser utilizado nas aventuras no “fora-de-estrada”. Ele não tem qualquer sistema adicional de tração para garantir mobilidade em terrenos de baixa aderência ou acidentados. Ainda sim, o estilo aventureiro acaba despertando o interesse em clientes “emocionais”, com faixa etária está entre 30 e 50 anos, geralmente casais. Mas a escolha do modelo é sempre maior entre as mulheres. E o Aircross dá bons motivos para isso.
 
Posição de dirigir agradável
 
Certamente, a dirigibilidade é o item que mais cativa às mulheres. O Aircross tem posição de dirigir elevada, quando comparada a outros carros. Outro detalhe que encanta as mulheres é a direção com assistência hidráulica. O volante é bastante leve, e ajuda nas manobras. Além disso, tem boa empunhadura, e seu formato com base reta acrescenta mais estilo ao modelo. Na versão topo de linha Exclusive está presente o ajuste de altura e profundidade do volante. Por fim, o Aircross é um veículo com pequeno raio de giro, ou seja, consegue fazer manobras em espaços pequenos uma vez que o carro vira bastante.
 
Outro detalhe que também cativa é o parabrisa mais amplo. Projetado para frente, e com ângulo superior mais elevado, ele proporciona maior visão frontal. E por conta desse desenho, existem ainda duas vigias laterais que ajudam a compor essa visão ampliada.
 
Interior amplo
 
O espaço para as pernas também é percebido, tanto nos bancos dianteiros, como traseiro. O painel e porta-luvas são projetados para cima e para frente, proporcionando o bom espaço. Isso permite trazer os bancos dianteiros mais para frente, melhorando ainda mais o espaço atrás. O teto elevado completa a sensação do espaço. Com tudo isso, o Aircross é muito indicado no transporte de pessoas que tem restrições na mobilidade, como idosos. Nele, é mais fácil de entrar e sair, do que em carros mais baixos e apertados.
 
O Aircross também oferece com bom espaço para bagagem. O porta-malas com 403 litros  pode chegar a 1.500 litros com os bancos traseiros rebatidos. Isso facilita bastante o transporte de grandes volumes.
 
O porta-luvas também é enorme. Consegue acomodar uma bolsa feminina de tamanho médio, sem problemas. E a tampa ainda conta com alguns porta-objetos. Isso é útil para guardar controles de garagem, chaves, carteias e até canetas.
 
Crianças que viajam nos bancos traseiros contam com duas mesas retráteis do tipo avião. E os pais podem manter o “olho vivo” nos filhos, através de um segundo espelho retrovisor de grande ângulo instalado no teto do carro, próximo ao espelho retrovisor traseiro.
 
Suspensão elevada
 
O sistema de suspensão do Aircross é 3 cm mais alto que o do C3 Picasso. No total são 23 cm de vão livre. Isso ajuda o Aircross a superar lombadas e valetas com muito mais facilidade. No geral, a suspensão é macia e garante bom nível de conforto. Não dá pra esperar altíssima estabilidade do modelo na estrada, afinal nem é essa a proposta de uma minivan de visual aventureiro. Mas o carro consegue encarar as aventuras urbanas com facilidade. Então, subir ou descer guias, e até “saltar” algumas lombadas pequenas, não é problema.
 
Motor 1,6 litro Flex sem tanquinho
 
O Aircross vem equipado com moto r 1,6 litro – 16 válvulas Flex batizado de VTI. Com 122 cavalos de potencia máxima (no etanol) e tecnologia Flex Start (que dispensa o tanquinho de gasolina de partida), o Aircross vai muito bem no uso urbano. Com câmbio manual, o carro mostra agilidade no transito, e em curtas acelerações. Mas não dá para esperar muito do carro na estrada. Afinal, trata-se de uma minivan com moto r modesto. O consumo também não empolga tanto. O modelo recebe letra “C” no programa de etiquetagem do INMETRO, dentro da categoria. Certamente, ele não é o mais econômico. Mas também não é o pior da categoria, ficando bem na média.
 
Equipamentos
 
O Aircross vem equipado com o Rádio “Pioneer For Citroën”, com a função Hifi-like de espacialização sonora. Também permite reproduzir arquivos no formato MP3. Pra maior conforto, traz um comando satélite atrás do volante com as principais funções do sistema de som. O equipamento ainda conta com conexão bluetooth, entrada USB e para iPod.
 
Entre os itens de série na versão Exclusive tem-se: direção com assistência, ar-condicionado digital e automático, computador de bordo, comandos dos vidros elétricos com simples toque para o do moto rista, bancos traseiros rebatíveis 1/3 e 2/3, porta-luvas refrigerado e com iluminação e tomada de 12 volts dianteira. A versão Exclusive acrescenta ainda rodas de liga leve, controlador e limitador de velocidade, apoio de cabeça para o terceiro passageiro do banco traseiro, sensor de chuva no parabrisa, apoio de braços individuais nos bancos dianteiros, faróis com acendimento automático e função follow-me. Uma novidade na linha do Aircross 2015 é o detector de obstáculo traseiro em todas as versões do Aircross.
 
Preços e mercado
 
Segundo Daniel Garcia (gerente de vendas da Citroen Notre Dame com lojas em Sorocaba e Itu), quem mais procura pelo Aircross são mulheres com idade entre 30 e 45 anos. Quase sempre casadas e com filhos, essas clientes buscam pelo amplo espaço interno e o visual diferente do modelo. Entre os recursos mais apreciados está o versátil uso do banco traseiro junto com o bom espaço do porta-malas. Ainda segundo o gerente, a cor que continua a fazer mais sucesso no Aircross é branca (tanto a sólida, quando a perolizada).
 
O Aircross tem uma única cor solida que é o branco. Para todas as outras, é necessário acrescentar R$ 1,2 mil para a pintura metálica. O Aircross conta com tem três anos de garantia. A versão Exclusive com câmbio automático tem preço inicial de R$ 62,3 mil. A Citroën também disponibiliza o Aircross aos portadores de necessidades especiais, dentro do programa “Mobilité”. Assim, os preços iniciam em R$ 55 mil na versão manual Tendance, podendo chegar a R$ 65 mil na versão Exclusive com câmbio automático. Promocionalmente, o Aircross está sendo vendido com taxa 0%, e em até 24 vezes.

Avaliações < Voltar
Avaliação: Citroën Aircross 2015
 

Avaliação: Citroën Aircross 2015

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Modelo é opção para família descolada

31 de Julho de 2014

Por Jorge Augusto
Fotos: Marcelo Alexandre

A Citroën sempre foi uma marca bastante ousada nas suas investidas. Exemplos não faltam. E entre esses exemplos, tem-se o Aircross, da família C3 Picasso. Derivado do compacto C3, o modelo concorre no expressivo mercado de minivans. As minivans trazem a vantagem de oferecer um enorme espaço interno, com a vantagem de não ser tão grande por fora, como os SUVs. Assim, consegue-se unir bom interno espaço, dirigibilidade agradável e praticidade no dia a dia.
 
Certamente, o Aircross é o modelo ousado da família C3 Picasso. Com um visual aventureiro, o Aircross tem roupagem totalmente diferente. Além disso, incorpora algumas alterações mecânicas para dar ênfase ao tema. Nessa avaliação, temos a versão topo de linha Exclusive, equipada com câmbio manual de cinco marchas.
 
Visual aventureiro
 
Indiscutivelmente, o Citroen Aircross é um veículo tipicamente familiar destinado ao cliente mais “fashion” que valoriza o visual mais ousado. Para isso ele tem uma frente imponente, com um pára-choque elaborado, mesclando elementos em preto e prata fosco. Os faróis auxiliares estão integrados nas laterais do pára-choque. Nas laterais, na parte de baixo das portas, um tipo de alargador confere um visual mais robusto, completado pelos pneus do tipo “todo terreno”. E na traseira, o destaque fica por conta do estepe montado num suporte na parte externa do carro. Para aqueles que precisam levar bastante carga, o teto vem com um rack que inclui duas barras transversais. Esse rack pode transportar pequenas cargas. O visual aventureiro fica completo com três diferentes relógios (bússola e inclinômetros) bem no centro do painel. Ainda que não tenham qualquer função ou utilidade prática, servem para diferenciar o modelo.
 
É muito importante destacar que, apesar do visual aventureiro, o Aircross não é um veículo para ser utilizado nas aventuras no “fora-de-estrada”. Ele não tem qualquer sistema adicional de tração para garantir mobilidade em terrenos de baixa aderência ou acidentados. Ainda sim, o estilo aventureiro acaba despertando o interesse em clientes “emocionais”, com faixa etária está entre 30 e 50 anos, geralmente casais. Mas a escolha do modelo é sempre maior entre as mulheres. E o Aircross dá bons motivos para isso.
 
Posição de dirigir agradável
 
Certamente, a dirigibilidade é o item que mais cativa às mulheres. O Aircross tem posição de dirigir elevada, quando comparada a outros carros. Outro detalhe que encanta as mulheres é a direção com assistência hidráulica. O volante é bastante leve, e ajuda nas manobras. Além disso, tem boa empunhadura, e seu formato com base reta acrescenta mais estilo ao modelo. Na versão topo de linha Exclusive está presente o ajuste de altura e profundidade do volante. Por fim, o Aircross é um veículo com pequeno raio de giro, ou seja, consegue fazer manobras em espaços pequenos uma vez que o carro vira bastante.
 
Outro detalhe que também cativa é o parabrisa mais amplo. Projetado para frente, e com ângulo superior mais elevado, ele proporciona maior visão frontal. E por conta desse desenho, existem ainda duas vigias laterais que ajudam a compor essa visão ampliada.
 
Interior amplo
 
O espaço para as pernas também é percebido, tanto nos bancos dianteiros, como traseiro. O painel e porta-luvas são projetados para cima e para frente, proporcionando o bom espaço. Isso permite trazer os bancos dianteiros mais para frente, melhorando ainda mais o espaço atrás. O teto elevado completa a sensação do espaço. Com tudo isso, o Aircross é muito indicado no transporte de pessoas que tem restrições na mobilidade, como idosos. Nele, é mais fácil de entrar e sair, do que em carros mais baixos e apertados.
 
O Aircross também oferece com bom espaço para bagagem. O porta-malas com 403 litros  pode chegar a 1.500 litros com os bancos traseiros rebatidos. Isso facilita bastante o transporte de grandes volumes.
 
O porta-luvas também é enorme. Consegue acomodar uma bolsa feminina de tamanho médio, sem problemas. E a tampa ainda conta com alguns porta-objetos. Isso é útil para guardar controles de garagem, chaves, carteias e até canetas.
 
Crianças que viajam nos bancos traseiros contam com duas mesas retráteis do tipo avião. E os pais podem manter o “olho vivo” nos filhos, através de um segundo espelho retrovisor de grande ângulo instalado no teto do carro, próximo ao espelho retrovisor traseiro.
 
Suspensão elevada
 
O sistema de suspensão do Aircross é 3 cm mais alto que o do C3 Picasso. No total são 23 cm de vão livre. Isso ajuda o Aircross a superar lombadas e valetas com muito mais facilidade. No geral, a suspensão é macia e garante bom nível de conforto. Não dá pra esperar altíssima estabilidade do modelo na estrada, afinal nem é essa a proposta de uma minivan de visual aventureiro. Mas o carro consegue encarar as aventuras urbanas com facilidade. Então, subir ou descer guias, e até “saltar” algumas lombadas pequenas, não é problema.
 
Motor 1,6 litro Flex sem tanquinho
 
O Aircross vem equipado com moto r 1,6 litro – 16 válvulas Flex batizado de VTI. Com 122 cavalos de potencia máxima (no etanol) e tecnologia Flex Start (que dispensa o tanquinho de gasolina de partida), o Aircross vai muito bem no uso urbano. Com câmbio manual, o carro mostra agilidade no transito, e em curtas acelerações. Mas não dá para esperar muito do carro na estrada. Afinal, trata-se de uma minivan com moto r modesto. O consumo também não empolga tanto. O modelo recebe letra “C” no programa de etiquetagem do INMETRO, dentro da categoria. Certamente, ele não é o mais econômico. Mas também não é o pior da categoria, ficando bem na média.
 
Equipamentos
 
O Aircross vem equipado com o Rádio “Pioneer For Citroën”, com a função Hifi-like de espacialização sonora. Também permite reproduzir arquivos no formato MP3. Pra maior conforto, traz um comando satélite atrás do volante com as principais funções do sistema de som. O equipamento ainda conta com conexão bluetooth, entrada USB e para iPod.
 
Entre os itens de série na versão Exclusive tem-se: direção com assistência, ar-condicionado digital e automático, computador de bordo, comandos dos vidros elétricos com simples toque para o do moto rista, bancos traseiros rebatíveis 1/3 e 2/3, porta-luvas refrigerado e com iluminação e tomada de 12 volts dianteira. A versão Exclusive acrescenta ainda rodas de liga leve, controlador e limitador de velocidade, apoio de cabeça para o terceiro passageiro do banco traseiro, sensor de chuva no parabrisa, apoio de braços individuais nos bancos dianteiros, faróis com acendimento automático e função follow-me. Uma novidade na linha do Aircross 2015 é o detector de obstáculo traseiro em todas as versões do Aircross.
 
Preços e mercado
 
Segundo Daniel Garcia (gerente de vendas da Citroen Notre Dame com lojas em Sorocaba e Itu), quem mais procura pelo Aircross são mulheres com idade entre 30 e 45 anos. Quase sempre casadas e com filhos, essas clientes buscam pelo amplo espaço interno e o visual diferente do modelo. Entre os recursos mais apreciados está o versátil uso do banco traseiro junto com o bom espaço do porta-malas. Ainda segundo o gerente, a cor que continua a fazer mais sucesso no Aircross é branca (tanto a sólida, quando a perolizada).
 
O Aircross tem uma única cor solida que é o branco. Para todas as outras, é necessário acrescentar R$ 1,2 mil para a pintura metálica. O Aircross conta com tem três anos de garantia. A versão Exclusive com câmbio automático tem preço inicial de R$ 62,3 mil. A Citroën também disponibiliza o Aircross aos portadores de necessidades especiais, dentro do programa “Mobilité”. Assim, os preços iniciam em R$ 55 mil na versão manual Tendance, podendo chegar a R$ 65 mil na versão Exclusive com câmbio automático. Promocionalmente, o Aircross está sendo vendido com taxa 0%, e em até 24 vezes.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!