Revista Comprecar
Dicas de segurança para pneus
Descubra a importância do TWI no uso (e troca) dos pneus
Dicas de segurança para pneus
21 de Junho de 2014

Trafegar com pneus mal conservados representa um grande risco, principalmente em altas velocidades. Pneus gastos perdem a aderência, podendo derrapar em pista suja ou curvas muito fechadas. Em superfície molhada aumentam os riscos de o veículo aquaplanar, pois a capacidade de drenagem de água dos pneus fica reduzida.
 
Um simples cuidado pode evitar acidentes graves. Pneus desgastados comprometem a segurança do veículo e seus ocupantes. A profundidade dos sulcos da banda de rodagem não pode ser inferior a 1,6 mm, medida definida por órgãos reguladores internacionais. É um padrão mínimo para que o pneu possa escoar a água quando em piso molhado.
 
Todos os pneus vêm com um indicador de desgaste, que permite ao moto rista verificar com facilidade se o seu pneu está em boas condições de uso. É o T.W.I. (Tread Wear Indicator – indicador de desgaste da banda de rodagem). Trata-se de uma saliência de borracha que fica em um dos sulcos do pneu. Quando o pneu atinge o mesmo nível dessa saliência, é hora de substituir o pneu.
 
Para localizar essa saliência, basta procurar no flanco do pneu um indicador, geralmente a própria sigla T.W.I. ou uma seta, que mostra a localização do sulco que contém a saliência. É importante ressaltar que o T.W.I. só serve como indicador se o pneu estiver em boas condições. Desgastes irregulares, cortes ou bolhas condenam o pneu, ainda que o T.W.I. não tenha sido atingido. Nesses casos, o pneu deve ser substituído imediatamente.
 
Um consumidor leigo pode ter dificuldade de perceber apenas visualmente a medida. Nesse caso, ele pode ir a uma revenda de pneus, onde os profissionais possuem um medidor de profundidade (profundímetro). Além de fazer a verificação da banda de rodagem e dos flancos, profissionais especializados também checam os freios e todos os componentes da suspensão, como amortecedores e molas. Após o check up, é entregue um laudo para o cliente, que pode escolher fazer o serviço na loja, naquele momento, ou depois.
 
Para que todos os pneus montados num mesmo veículo se desgastem por igual, a recomendação é fazer um rodízio a cada 10 mil quilômetros. Mas, se o moto rista perceber um desgaste irregular entre os quatro pneus, não ao ponto de exigir a substituição deles, a recomendação é colocar os que estão em melhor estado no eixo traseiro, independentemente se o carro possui tração traseira ou dianteira. Isso porque é mais fácil corrigir a trajetória do veículo se houver perda de controle do eixo dianteiro, seja por um pneu estourado ou por aquaplanagem. Retomar o controle do eixo traseiro requer mais habilidade do moto rista.
 
Os problemas mais comuns são o desgaste irregular, a vibração no volante causada por falta de balanceamento e a pressão abaixo do recomendado. Se o moto rista trafegar com um pneu com pressão insuficiente, pode acontecer o superaquecimento por causa do excesso de flexões, o que prejudica a estrutura e pode acarretar no estouro ou até mesmo no detalonamento do mesmo (quando o pneu se desprende da roda). Por outro lado, trafegar com excesso de pressão também traz problemas. Quando o pneu está mais duro, a suspensão fica desconfortável e, numa situação extrema, pode perder a aderência, pois ele se apoia mais na parte central da banda de rodagem e as laterais perdem contato com a pista.
 
A pressão correta dos pneus está indicada no manual do proprietário fornecido junto com o carro, ou na parte interna da tampa do tanque de combustível, inclusive com indicação para meia carga e carga inteira. Além disso, rodar com pressão 30% inferior àquela recomendada pelo fabricante do veículo pode aumentar o consumo de combustível em até 2,5%, em decorrência da maior resistência à rodagem.
 
Cuidados que podem aumentar a vida do Pneu
 
- Calibrar os quatros pneus e o estepe semanalmente, de acordo com pressão de ar recomendada no manual do fabricante, quando estão frios. Os valores de pressão variam de acordo com a carga no veículo. Com o carro vazio a pressão recomendada é menor. E com o carro cheio a pressão é maior.
- Nunca esvaziar ou reduzir a pressão dos pneus enquanto eles estiverem quentes devido à utilização, pois a pressão normalmente sobe acima dos níveis recomendados devido ao aquecimento.
- Balancear as rodas e alinhar o veículo a cada 10.000 km, por ocasião da troca dos pneus ou sempre que forem sentidas vibrações.
- Fazer o rodízio a cada 10.000 km, de acordo com o esquema recomendado no manual do fabricante do veículo ou nos materiais expostos nos Revendedores.
- Os pneus devem ser trocados sempre que a banda de rodagem for gasta até as marcas T.W.I., mesmo que em apenas um ponto da banda.
- Quando ocorrerem perfurações, verificar também o interior dos pneus.
- Nunca estacione sobre manchas de óleo ou solvente, pois eles causam dano aos pneus.
- Sempre que for trocar os pneus respeite a equivalência de medidas.

Notícias < Voltar
Dicas de segurança para pneus
 

Dicas de segurança para pneus

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Descubra a importância do TWI no uso (e troca) dos pneus

21 de Junho de 2014

Trafegar com pneus mal conservados representa um grande risco, principalmente em altas velocidades. Pneus gastos perdem a aderência, podendo derrapar em pista suja ou curvas muito fechadas. Em superfície molhada aumentam os riscos de o veículo aquaplanar, pois a capacidade de drenagem de água dos pneus fica reduzida.
 
Um simples cuidado pode evitar acidentes graves. Pneus desgastados comprometem a segurança do veículo e seus ocupantes. A profundidade dos sulcos da banda de rodagem não pode ser inferior a 1,6 mm, medida definida por órgãos reguladores internacionais. É um padrão mínimo para que o pneu possa escoar a água quando em piso molhado.
 
Todos os pneus vêm com um indicador de desgaste, que permite ao moto rista verificar com facilidade se o seu pneu está em boas condições de uso. É o T.W.I. (Tread Wear Indicator – indicador de desgaste da banda de rodagem). Trata-se de uma saliência de borracha que fica em um dos sulcos do pneu. Quando o pneu atinge o mesmo nível dessa saliência, é hora de substituir o pneu.
 
Para localizar essa saliência, basta procurar no flanco do pneu um indicador, geralmente a própria sigla T.W.I. ou uma seta, que mostra a localização do sulco que contém a saliência. É importante ressaltar que o T.W.I. só serve como indicador se o pneu estiver em boas condições. Desgastes irregulares, cortes ou bolhas condenam o pneu, ainda que o T.W.I. não tenha sido atingido. Nesses casos, o pneu deve ser substituído imediatamente.
 
Um consumidor leigo pode ter dificuldade de perceber apenas visualmente a medida. Nesse caso, ele pode ir a uma revenda de pneus, onde os profissionais possuem um medidor de profundidade (profundímetro). Além de fazer a verificação da banda de rodagem e dos flancos, profissionais especializados também checam os freios e todos os componentes da suspensão, como amortecedores e molas. Após o check up, é entregue um laudo para o cliente, que pode escolher fazer o serviço na loja, naquele momento, ou depois.
 
Para que todos os pneus montados num mesmo veículo se desgastem por igual, a recomendação é fazer um rodízio a cada 10 mil quilômetros. Mas, se o moto rista perceber um desgaste irregular entre os quatro pneus, não ao ponto de exigir a substituição deles, a recomendação é colocar os que estão em melhor estado no eixo traseiro, independentemente se o carro possui tração traseira ou dianteira. Isso porque é mais fácil corrigir a trajetória do veículo se houver perda de controle do eixo dianteiro, seja por um pneu estourado ou por aquaplanagem. Retomar o controle do eixo traseiro requer mais habilidade do moto rista.
 
Os problemas mais comuns são o desgaste irregular, a vibração no volante causada por falta de balanceamento e a pressão abaixo do recomendado. Se o moto rista trafegar com um pneu com pressão insuficiente, pode acontecer o superaquecimento por causa do excesso de flexões, o que prejudica a estrutura e pode acarretar no estouro ou até mesmo no detalonamento do mesmo (quando o pneu se desprende da roda). Por outro lado, trafegar com excesso de pressão também traz problemas. Quando o pneu está mais duro, a suspensão fica desconfortável e, numa situação extrema, pode perder a aderência, pois ele se apoia mais na parte central da banda de rodagem e as laterais perdem contato com a pista.
 
A pressão correta dos pneus está indicada no manual do proprietário fornecido junto com o carro, ou na parte interna da tampa do tanque de combustível, inclusive com indicação para meia carga e carga inteira. Além disso, rodar com pressão 30% inferior àquela recomendada pelo fabricante do veículo pode aumentar o consumo de combustível em até 2,5%, em decorrência da maior resistência à rodagem.
 
Cuidados que podem aumentar a vida do Pneu
 
- Calibrar os quatros pneus e o estepe semanalmente, de acordo com pressão de ar recomendada no manual do fabricante, quando estão frios. Os valores de pressão variam de acordo com a carga no veículo. Com o carro vazio a pressão recomendada é menor. E com o carro cheio a pressão é maior.
- Nunca esvaziar ou reduzir a pressão dos pneus enquanto eles estiverem quentes devido à utilização, pois a pressão normalmente sobe acima dos níveis recomendados devido ao aquecimento.
- Balancear as rodas e alinhar o veículo a cada 10.000 km, por ocasião da troca dos pneus ou sempre que forem sentidas vibrações.
- Fazer o rodízio a cada 10.000 km, de acordo com o esquema recomendado no manual do fabricante do veículo ou nos materiais expostos nos Revendedores.
- Os pneus devem ser trocados sempre que a banda de rodagem for gasta até as marcas T.W.I., mesmo que em apenas um ponto da banda.
- Quando ocorrerem perfurações, verificar também o interior dos pneus.
- Nunca estacione sobre manchas de óleo ou solvente, pois eles causam dano aos pneus.
- Sempre que for trocar os pneus respeite a equivalência de medidas.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!