Anuncie seu veículo já

Hyundai HB20 é rebaixado para uma estrela no teste de colisão

Rebaixamento ocorreu após teste de auditoria do Latin NCAP

O Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e o Caribe, Latin NCAP, realizou o teste de auditoria na substituição de um dos modelos mais vendidos no Brasil: o Novo Hyundai HB20. O resultado do teste de auditoria mostra que o modelo ofereceu menor proteção no tórax do ocupante adulto do que no teste original, ultrapassando por pouco os limites biomecânicos máximos permitidos para o corpo no teste de impacto lateral.

O Latin NCAP avaliou o Novo Hyundai HB20 em 2019, fabricado no Brasil, onde obteve quatro estrelas para a proteção do ocupante adulto e três estrelas para a proteção do ocupante infantil. De acordo com os requisitos dos protocolos de avaliação, o Latin NCAP tem o direito de auditar qualquer teste patrocinado a qualquer momento .

O Latin NCAP decidiu realizar o teste de auditoria do HB20 e o tórax do adulto apresentou níveis de proteção mais baixos no impacto lateral do que o mesmo modelo testado em setembro de 2019. Durante o impacto lateral, o tórax do dummy adulto ofereceu proteção ruim (cor vermelha), apresentando valores que excedem o limite biomecânico permitido pelo Latin NCAP.

De acordo com o protocolo do Latin NCAP 2016-2019, sob o qual o veículo foi avaliado, uma área crítica do corpo com cor vermelha limita o resultado a, no máximo, uma estrela.

Perguntas e respostas com Alejandro Furas, Secretário-Geral do Latin NCAP.

Quão surpreendente é esse resultado da Hyundai?

É surpreendente e decepcionante que um fabricante como a Hyundai, líder em segurança nos mercados globais, seja caracterizado por um fraco desempenho de segurança na América Latina. O HB20 é concorrente direto do Novo Chevrolet Onix, cujo modelo original é o mais vendido do Brasil. O Novo Onix oferece melhor desempenho, cinco estrelas para proteção do ocupante adulto e infantil, seis airbags, Controle Eletrônico de Estabilidade e proteção para pedestres como equipamento de segurança padrão. É possível produzir veículos populares cinco estrelas no Brasil; portanto, os brasileiros deveriam questionar a Hyundai sobre por que eles estão sendo tratados como cidadãos de segunda classe, enquanto outros fabricantes como a Chevrolet oferecem aos latino-americanos a mesma segurança básica que a proporcionada aos clientes em outros mercados globais.

Quais as principais diferenças encontradas no desempenho do HB20 testado em 2019 e do auditado em 2020?

O Latin NCAP não encontrou diferença na construção dos dois veículos, mas no próprio desempenho. Na verdade, a deformação da estrutura parece a mesma, com deformação interna semelhante e pontos de impacto similares no dummy. Notamos uma desaceleração diferente sob as mesmas condições de teste e um comportamento ligeiramente diferente no painel interno das portas durante a colisão. Os sistemas de segurança não devem mostrar essas variações de um teste para outro. Esta situação levanta sérias questões sobre a estratégia da Hyundai dos sistemas de retenção de impacto lateral do HB20.

Como foi a reação da Hyundai?

O Latin NCAP perguntou à Hyundai se eles poderiam explicar as diferenças de desempenho. O Latin NCAP também incentivou a Hyundai a melhorar o veículo auditado e a desenvolver uma abordagem de segurança mais robusta para o sistema já instalado no carro. Até o momento, a Hyundai não reagiu aos comentários do Latin NCAP.

De quem é a responsabilidade e há alguma maneira de evitá-lo?

O monitoramento para evitar esse tipo de oscilação na qualidade da produção é de responsabilidade do fabricante. Sob estruturas regulatórias mais robustas, que pressionam os fabricantes de automóveis a reforçar o controle de qualidade e o monitoramento, essas variações são facilmente aparentes. Os governos são responsáveis por estabelecer estruturas regulatórias robustas e apoiar os NCAPs locais, seguindo as recomendações da Década de Ação para a Segurança Viária das Nações Unidas em 2030 .

O Latin NCAP anunciará os primeiros resultados de 2020 e os novos protocolos de avaliação no final deste mês.