Revista Comprecar
A limpeza de bicos injetores
Porque é tão importante efetuar essa limpeza em carros com alta quilometragem
A limpeza de bicos injetores
22 de Agosto de 2014

Por Jorge Augusto
FOTOS: Marcelo Alexandre
 
Um componente muito importante em moto res modernos é o bico injetor. O bico é parte do sistema que ajudou a eliminar os carburadores dos automóveis. A função dele é pulverizar o combustível, de forma a criar uma mistura bastante homogênea com o ar. Quanto mais forte é o spray, melhor será a queima quando essa mistura for detonada dentro do cilindro do moto r, pela ignição da vela.
 
O bico injetor produz um spray muito parecido ao de um desodorante aerosol. E exatamente como o desodorante, o bico injetor não funciona constantemente. Ele liga e desliga continuamente, quando o moto r está funcionando. Logo no início da implementação dessa tecnologia, os moto res traziam apenas um bico injetor. Esse alimentava todos os cilindros dos moto res. Atualmente, a grande maioria dos carros, trazem um bico injetor para cada cilindro.
 
Existem dois tipos de tecnologia de injeção: a direta e a indireta. A mais comum é a indireta, onde o bico injetor fica numa câmara, antes do cilindro do carro. Motores mais modernos já trazem um bico com injeção direta, ou seja, ele fica dentro do cilindro do moto r, pulverizando diretamente o combustível. Alguns poucos carros bastante modernos, trazem sistema de “injeção duplo”. Assim, um moto r de quatro cilindros possui oito bicos, sendo 4 de injeção indireta e 4 de injeção direta. Claro que tudo isso é gerenciado eletronicamente, usando o que cada tecnologia tem de melhor (de acordo com a faixa de rotação do moto r) e proporcionando mais economia e potencia.
 
Independente da forma, nosso artigo trata da limpeza de bico que atende a grande maioria dos carros. Então, estamos falando do sistema de injeção indireta, onde cada cilindro tem um bico injetor específico, instalado antes do cilindro.
 
A limpeza de bico é necessária em carros de alta quilometragem. Não existe uma recomendação por parte das montadoras quanto ao tempo exato ou quilometragem. Isso varia conforme o tipo de utilização, qualidade de combustível e troca de filtros. Mas, podemos dizer que a partir de 30 mil KM, é bom observar a necessidade do procedimento. Infelizmente no Brasil, a qualidade do combustível fornecido por postos e distribuidores, não é das melhores. É sabido que o Brasil tem uma das piores gasolinas do mundo. E pra piorar ainda mais, temos a adição obrigatória de 25% de álcool na gasolina. Com um combustível tão ruim (quando comparado ao distribuído nos EUA e Europa), o sistema de injeção sofre muito mais. Mesmo com o filtro de ar, e de combustível, o sistema de injeção acaba recebendo diversas impurezas. E isso, sem falar na eventualidade do sistema receber combustível batizado (álcool com água ou gasolina com solvente). Tudo isso vai criando “depósitos sólidos” no corpo do bico injetor, com o tempo.
 
E com o tempo e uso, o spray do bico injetor vai perdendo sua eficiência. São várias as consequências. A primeira é o aumento do consumo. Com o spray menos eficiente e com as gotas maiores, a chance do combustível não queimar corretamente aumenta bastante. Assim, o sistema acaba injetando mais combustível, para o carro andar a mesma coisa. Além disso, o combustível “não queimado” acaba chegando em intensidade ao catalisador (no escapamento). O excesso de combustível vai acabar danificando o componente. E as emissões do carro vão aumentar. Numa eventual fiscalização de emissões, o carro também será reprovado. Resumindo, um carro com bico injetor sujo vai: aumentar o consumo, perder rendimento, ter dificuldade na partida, poluir mais e ter o catalisador danificado.
 
Portanto, é fundamental realizar a limpeza dos bicos quando se observa: aumento do consumo, falhas na aceleração, aumento de fumaça no escapamento e dificuldade de partida.
 
Existem basicamente dois métodos de limpeza do sistema.
 
O primeiro é através do próprio tanque de combustível do carro. Trata-se de um método preventivo. Assim, um líquido especial é aplicado juntamente com o combustível. O produto trata o combustível, e a partir daí ele começa a efetuar a limpeza das impurezas. Começa no tanque, passando à câmara de combustão, incluindo as válvulas, coletor de admissão e cabeça dos pistões. Nesse caso, é recomendado fazer conjuntamente uma limpeza manual do TBI (sistema que faz a admissão de ar no moto r) Isso evita a admissão de resíduos pela entrada de ar. Esse procedimento é recomendado para todos os veículos.
 
O segundo procedimento é a remoção de cada uma das válvulas injetoras (os bicos) e efetuar a limpeza por ultrassom. Essa intervenção é feita nos casos em que o veiculo apresenta falhas constantes, baixo desempenho e consumo elevado. Esse é o único método de manutenção,  sem que seja necessário efetuar a troca completa dos bicos.
 
Não realizar a manutenção dos bicos, pode custar caro. Em média, cada bico custa cerca de R$ 350,00 (peças novas e originais). Esse preço é aproximado para carros nacionais e moto res comuns. Modelos de alta performance e potência, o preço da substituição do bico é maior. No procedimento de limpeza dos bicos, é muito importante verificar a troca dos anéis “orings” e do tubo guia do bico. Esse último ajuda a direcionar precisamente o spray do combustível. Não são todos os carros que trazem essa guia.
 
Segundo Orlando Neto proprietário da Óleo Express (15 3221-0044), além da limpeza dos bicos, é fundamental realizar a troca dos filtros de ar e combustível. Segundo Orlando, pouco adianta limpar os bicos, sem garantir que o combustível e o ar, chegaram de forma correta até eles. A Óleo Express executa os dois procedimentos de limpeza. A limpeza de bicos via tanque e TBI, fica perto de R$ 100,00. Já a limpeza de bicos por ultrassom, e do TBI, sobe para R$ 130,00. Orlando Neto ainda destaca que existem postos de gasolina que “dizem” fazer a limpeza por R$ 50,00. “Eles apenas aplicam um produto sem procedência no tanque, e não realizam a limpeza do TBI”, afirma o empresário. Isso, além de não resolver o problema, ilude o consumidor.

Artigos < Voltar
A limpeza de bicos injetores
 

A limpeza de bicos injetores

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Porque é tão importante efetuar essa limpeza em carros com alta quilometragem

22 de Agosto de 2014

Por Jorge Augusto
FOTOS: Marcelo Alexandre
 
Um componente muito importante em moto res modernos é o bico injetor. O bico é parte do sistema que ajudou a eliminar os carburadores dos automóveis. A função dele é pulverizar o combustível, de forma a criar uma mistura bastante homogênea com o ar. Quanto mais forte é o spray, melhor será a queima quando essa mistura for detonada dentro do cilindro do moto r, pela ignição da vela.
 
O bico injetor produz um spray muito parecido ao de um desodorante aerosol. E exatamente como o desodorante, o bico injetor não funciona constantemente. Ele liga e desliga continuamente, quando o moto r está funcionando. Logo no início da implementação dessa tecnologia, os moto res traziam apenas um bico injetor. Esse alimentava todos os cilindros dos moto res. Atualmente, a grande maioria dos carros, trazem um bico injetor para cada cilindro.
 
Existem dois tipos de tecnologia de injeção: a direta e a indireta. A mais comum é a indireta, onde o bico injetor fica numa câmara, antes do cilindro do carro. Motores mais modernos já trazem um bico com injeção direta, ou seja, ele fica dentro do cilindro do moto r, pulverizando diretamente o combustível. Alguns poucos carros bastante modernos, trazem sistema de “injeção duplo”. Assim, um moto r de quatro cilindros possui oito bicos, sendo 4 de injeção indireta e 4 de injeção direta. Claro que tudo isso é gerenciado eletronicamente, usando o que cada tecnologia tem de melhor (de acordo com a faixa de rotação do moto r) e proporcionando mais economia e potencia.
 
Independente da forma, nosso artigo trata da limpeza de bico que atende a grande maioria dos carros. Então, estamos falando do sistema de injeção indireta, onde cada cilindro tem um bico injetor específico, instalado antes do cilindro.
 
A limpeza de bico é necessária em carros de alta quilometragem. Não existe uma recomendação por parte das montadoras quanto ao tempo exato ou quilometragem. Isso varia conforme o tipo de utilização, qualidade de combustível e troca de filtros. Mas, podemos dizer que a partir de 30 mil KM, é bom observar a necessidade do procedimento. Infelizmente no Brasil, a qualidade do combustível fornecido por postos e distribuidores, não é das melhores. É sabido que o Brasil tem uma das piores gasolinas do mundo. E pra piorar ainda mais, temos a adição obrigatória de 25% de álcool na gasolina. Com um combustível tão ruim (quando comparado ao distribuído nos EUA e Europa), o sistema de injeção sofre muito mais. Mesmo com o filtro de ar, e de combustível, o sistema de injeção acaba recebendo diversas impurezas. E isso, sem falar na eventualidade do sistema receber combustível batizado (álcool com água ou gasolina com solvente). Tudo isso vai criando “depósitos sólidos” no corpo do bico injetor, com o tempo.
 
E com o tempo e uso, o spray do bico injetor vai perdendo sua eficiência. São várias as consequências. A primeira é o aumento do consumo. Com o spray menos eficiente e com as gotas maiores, a chance do combustível não queimar corretamente aumenta bastante. Assim, o sistema acaba injetando mais combustível, para o carro andar a mesma coisa. Além disso, o combustível “não queimado” acaba chegando em intensidade ao catalisador (no escapamento). O excesso de combustível vai acabar danificando o componente. E as emissões do carro vão aumentar. Numa eventual fiscalização de emissões, o carro também será reprovado. Resumindo, um carro com bico injetor sujo vai: aumentar o consumo, perder rendimento, ter dificuldade na partida, poluir mais e ter o catalisador danificado.
 
Portanto, é fundamental realizar a limpeza dos bicos quando se observa: aumento do consumo, falhas na aceleração, aumento de fumaça no escapamento e dificuldade de partida.
 
Existem basicamente dois métodos de limpeza do sistema.
 
O primeiro é através do próprio tanque de combustível do carro. Trata-se de um método preventivo. Assim, um líquido especial é aplicado juntamente com o combustível. O produto trata o combustível, e a partir daí ele começa a efetuar a limpeza das impurezas. Começa no tanque, passando à câmara de combustão, incluindo as válvulas, coletor de admissão e cabeça dos pistões. Nesse caso, é recomendado fazer conjuntamente uma limpeza manual do TBI (sistema que faz a admissão de ar no moto r) Isso evita a admissão de resíduos pela entrada de ar. Esse procedimento é recomendado para todos os veículos.
 
O segundo procedimento é a remoção de cada uma das válvulas injetoras (os bicos) e efetuar a limpeza por ultrassom. Essa intervenção é feita nos casos em que o veiculo apresenta falhas constantes, baixo desempenho e consumo elevado. Esse é o único método de manutenção,  sem que seja necessário efetuar a troca completa dos bicos.
 
Não realizar a manutenção dos bicos, pode custar caro. Em média, cada bico custa cerca de R$ 350,00 (peças novas e originais). Esse preço é aproximado para carros nacionais e moto res comuns. Modelos de alta performance e potência, o preço da substituição do bico é maior. No procedimento de limpeza dos bicos, é muito importante verificar a troca dos anéis “orings” e do tubo guia do bico. Esse último ajuda a direcionar precisamente o spray do combustível. Não são todos os carros que trazem essa guia.
 
Segundo Orlando Neto proprietário da Óleo Express (15 3221-0044), além da limpeza dos bicos, é fundamental realizar a troca dos filtros de ar e combustível. Segundo Orlando, pouco adianta limpar os bicos, sem garantir que o combustível e o ar, chegaram de forma correta até eles. A Óleo Express executa os dois procedimentos de limpeza. A limpeza de bicos via tanque e TBI, fica perto de R$ 100,00. Já a limpeza de bicos por ultrassom, e do TBI, sobe para R$ 130,00. Orlando Neto ainda destaca que existem postos de gasolina que “dizem” fazer a limpeza por R$ 50,00. “Eles apenas aplicam um produto sem procedência no tanque, e não realizam a limpeza do TBI”, afirma o empresário. Isso, além de não resolver o problema, ilude o consumidor.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!