Revista Comprecar
Avaliação: Toyota Corolla GLi
Mesmo na versão básica, o sedan encanta no custo-benefício
Avaliação: Toyota Corolla GLi
22 de Agosto de 2014

Por Jorge Augusto
FOTOS: Marcelo Alexandre

Em março desse ano, o novo Toyota Corolla chegou às ruas brasileiras. E como sempre acontece, as atenções ficaram para a versão topo de linha (pois é a que traz sempre mais novidades) e a intermediária (que tem o maior volume de vendas). Assim, o mercado acaba “esquecendo” da versão de entrada GLi. Fato interessante que a Toyota dessa vez fez um carro de entrada que não é um “pé de boi”. E nessa avaliação, resgatamos justamente a versão que, mesmo sendo a mais básica, tem coisas interessantes para oferecer.
 
O Corolla GLi só tem duas opções em sua configuração. Ou ele vem equipado com câmbio manual de seis marchas, ou com o novo câmbio automático CVT que simula sete marchas. A parte mais curiosa é que a versão GLi está equipada com o moto r 1,8 litro – 16 válvulas. As versões XEi e Altis trazem o moto r 2,0 litros – 16 válvulas. Aqui, fizemos a avaliação do GLi com câmbio manual.
 
Interior
 
Claro que o interior do Corolla GLi oferece exatamente o mesmo espaço das outras versões. E nesse sentido, o novo Corolla está entre os carros com maior espaço interno, de sua categoria. O que muda numa versão mais básica é justamente o acabamento interno.
 
É bem verdade que o visual da versão GLi é um pouco pobre. Faltam cromados nos detalhes do painel e consoles. Uma característica que tem sido alvo de muita polêmica é o desenho do novo painel. Muito alto e próximo do moto rista, lembra a solução de carros da década de 90. Outro detalhe é a separação de cores da peça. A parte superior e inferior vem na cor preta, enquanto uma faixa bege atravessa toda a peça.
 
Deixando de lado a questão estética, o desenho do painel é funcional. As saídas de ar atendem adequadamente, o mostrador de instrumentos tem boa visibilidade e os comandos do rádio e console central ficam à mão. Outro ponto é que os botões são todos grandes e fáceis de usar.
 
Ainda que o acabamento não encante tanto os olhos, a qualidade da montagem e da estrutura das peças é excelente. A oferta de porta-objetos fica dentro da média, com destaque para os compartimentos no console central. Mesmo nessa versão básica, o Corolla GLi traz três encostos de cabeça no banco traseiro.
 
Equipamentos
 
É justamente nesse ponto que vemos a grande diferença de uma versão básica. Mas no Corolla GLi, a coisa toda não é tão chocante assim. O carro vem de fábrica com ar-condicionado manual, direção com assistência elétrica, vidros elétricos nas quatro portas, espelhos laterais com controles elétricos, coluna de direção com regulagem manual de altura e profundidade, sistema universal ISOFIX para fixação de cadeirinha para crianças no banco traseiro. Dá para notar, que estamos falando de um básico que traz tudo do essencial!
 
Mas a versão GLi ainda acrescenta algumas outras coisas interessantes. O sistema de áudio, por exemplo, merece elogios. Além do rádio, ele é compatível com CD-R/RW e arquivos digitais nos formatos, MP3, WMA e AAC. Também vem de fábrica com seis auto-falantes de boa qualidade. Inclui ainda entradas USB e auxiliar tipo P2 por cabo. E o ponto mais interessante: traz controles no volante para sistema de áudio e chamadas celular (via conexão Bluetooth). E para quem ainda quer mais, existe um botão no volante totalmente dedicado às funções do computador de bordo!
 
E o pacote de equipamentos do carro “básico” ainda reserva surpresas. Certamente, a maior delas é o pacote com cinco airbags, sendo: 2 airbags frontais, 2 airbags laterais e mais um airbag de joelho para o moto rista. A Toyota não economizou na segurança do Corolla básico. E pra fechar o pacote, rodas de liga-leve de 16 polegadas.
 
Então, a dúvida é o que falta nessa versão?! Os itens indisponíveis são: ESP - controle de estabilidade; ar-condicionado com controle automático; descansa braço centra traseiro; one-touch para os vidros elétricos dos passageiros; navegação GPS; controle de velocidade de cruzeiro e faróis auxiliares dianteiros. Considerando que o estamos tratando de uma versão “básica”, é aceitável que o carro não ofereça tais equipamentos.
 
Motor e câmbio
 
Exclusivamente na versão GLi, o novo Corolla vem equipado com moto r 1,8 litro – 16 válvulas com tecnologia Dual VVT-i Flex. Assim é possível fazer partida à frio sem o auxílio do sub-tanque auxiliar de gasolina. A potência máxima é de 144 cavalos (a 6 mil RPM) e torque máximo de 18,6 Kgfm (a 4.800 RPM) no etanol. Com câmbio manual, a aceleração de 0 a 100 Km/h acontecem em apenas 9,7 segundos. Para um carro básico com moto r 1,8 litro, não dá pra reclamar. A Toyota não declara a velocidade máxima, mas o carro consegue chegar na casa dos 200 km/h, nessa configuração. Portanto, o bom desempenho da versão GLi manual é outra surpresa.
 
Mas a surpresa continua no quesito consumo. O Corolla GLi com câmbio manual recebe nota “A” no programa de etiquetagem do INMETRO, em relação aos concorrentes diretos da categoria. Mesmo quando comparado a todos os modelos testados pelo INMETRO (incluindo compactos e sub-compatcos), a nota recebida é “B”. Certamente, estamos falando de um sedan muito econômico.
 
Dirigibilidade
 
O Corolla GLi é um sedan que não decepciona. O conjunto moto r e câmbio entrega um desempenho muito convincente, tanto na cidade (com acelerações ágeis) como na estrada (com boas retomadas). Claro que não estamos falando de um Volkswagen Jetta TSi, mas certamente o Corolla GLi vai ficar à frente de vários outros sedans da categoria, mesmo na versão básica. Além disso, não dói no bolso. Em velocidade constante na estrada de 120 km/h, com ar ligado, fizemos quase 11 km/l no etanol.
 
Além do bom conjunto motriz, o carro ainda mostra uma suspensão muito convincente para encarar a buraqueira nacional. O conjunto é consistente, é relativamente confortável. Mesmo nas maiores lombadas e valetas, o Corolla raspa muito pouco, atendendo perfeitamente o uso geral de um sedan médio.
 
A boa postura ao volante também permite viagens longas, sem induzir um cansaço desproporcional. Mesmo na cidade, o volante leve e o estofamento macio garantem um bom nível de conforto.
 
Preço e Mercado
 
O Corolla GLi 2015, com câmbio manual tem preço sugerido de R$ 67,8 mil. A garantia é de 3 anos sem limite de quilometragem. Fato que a versão GLi do Corolla não é a mais barata entre os sedans médios básicos. Mas pesa a favor do carro japonês o bom valor de revenda, a alta confiabilidade mecânica e um pacote de equipamentos honesto. Para o cliente racional que procura um carro eficiente, espaçoso, e não esta muito preocupado com as firulas estéticas, o Corolla GLi pode ser uma boa opção de compra.

Avaliações < Voltar
Avaliação: Toyota Corolla GLi
 

Avaliação: Toyota Corolla GLi

Publicado por Redação Comprecar – Especialista em carros usados e motos usadas

Mesmo na versão básica, o sedan encanta no custo-benefício

22 de Agosto de 2014

Por Jorge Augusto
FOTOS: Marcelo Alexandre

Em março desse ano, o novo Toyota Corolla chegou às ruas brasileiras. E como sempre acontece, as atenções ficaram para a versão topo de linha (pois é a que traz sempre mais novidades) e a intermediária (que tem o maior volume de vendas). Assim, o mercado acaba “esquecendo” da versão de entrada GLi. Fato interessante que a Toyota dessa vez fez um carro de entrada que não é um “pé de boi”. E nessa avaliação, resgatamos justamente a versão que, mesmo sendo a mais básica, tem coisas interessantes para oferecer.
 
O Corolla GLi só tem duas opções em sua configuração. Ou ele vem equipado com câmbio manual de seis marchas, ou com o novo câmbio automático CVT que simula sete marchas. A parte mais curiosa é que a versão GLi está equipada com o moto r 1,8 litro – 16 válvulas. As versões XEi e Altis trazem o moto r 2,0 litros – 16 válvulas. Aqui, fizemos a avaliação do GLi com câmbio manual.
 
Interior
 
Claro que o interior do Corolla GLi oferece exatamente o mesmo espaço das outras versões. E nesse sentido, o novo Corolla está entre os carros com maior espaço interno, de sua categoria. O que muda numa versão mais básica é justamente o acabamento interno.
 
É bem verdade que o visual da versão GLi é um pouco pobre. Faltam cromados nos detalhes do painel e consoles. Uma característica que tem sido alvo de muita polêmica é o desenho do novo painel. Muito alto e próximo do moto rista, lembra a solução de carros da década de 90. Outro detalhe é a separação de cores da peça. A parte superior e inferior vem na cor preta, enquanto uma faixa bege atravessa toda a peça.
 
Deixando de lado a questão estética, o desenho do painel é funcional. As saídas de ar atendem adequadamente, o mostrador de instrumentos tem boa visibilidade e os comandos do rádio e console central ficam à mão. Outro ponto é que os botões são todos grandes e fáceis de usar.
 
Ainda que o acabamento não encante tanto os olhos, a qualidade da montagem e da estrutura das peças é excelente. A oferta de porta-objetos fica dentro da média, com destaque para os compartimentos no console central. Mesmo nessa versão básica, o Corolla GLi traz três encostos de cabeça no banco traseiro.
 
Equipamentos
 
É justamente nesse ponto que vemos a grande diferença de uma versão básica. Mas no Corolla GLi, a coisa toda não é tão chocante assim. O carro vem de fábrica com ar-condicionado manual, direção com assistência elétrica, vidros elétricos nas quatro portas, espelhos laterais com controles elétricos, coluna de direção com regulagem manual de altura e profundidade, sistema universal ISOFIX para fixação de cadeirinha para crianças no banco traseiro. Dá para notar, que estamos falando de um básico que traz tudo do essencial!
 
Mas a versão GLi ainda acrescenta algumas outras coisas interessantes. O sistema de áudio, por exemplo, merece elogios. Além do rádio, ele é compatível com CD-R/RW e arquivos digitais nos formatos, MP3, WMA e AAC. Também vem de fábrica com seis auto-falantes de boa qualidade. Inclui ainda entradas USB e auxiliar tipo P2 por cabo. E o ponto mais interessante: traz controles no volante para sistema de áudio e chamadas celular (via conexão Bluetooth). E para quem ainda quer mais, existe um botão no volante totalmente dedicado às funções do computador de bordo!
 
E o pacote de equipamentos do carro “básico” ainda reserva surpresas. Certamente, a maior delas é o pacote com cinco airbags, sendo: 2 airbags frontais, 2 airbags laterais e mais um airbag de joelho para o moto rista. A Toyota não economizou na segurança do Corolla básico. E pra fechar o pacote, rodas de liga-leve de 16 polegadas.
 
Então, a dúvida é o que falta nessa versão?! Os itens indisponíveis são: ESP - controle de estabilidade; ar-condicionado com controle automático; descansa braço centra traseiro; one-touch para os vidros elétricos dos passageiros; navegação GPS; controle de velocidade de cruzeiro e faróis auxiliares dianteiros. Considerando que o estamos tratando de uma versão “básica”, é aceitável que o carro não ofereça tais equipamentos.
 
Motor e câmbio
 
Exclusivamente na versão GLi, o novo Corolla vem equipado com moto r 1,8 litro – 16 válvulas com tecnologia Dual VVT-i Flex. Assim é possível fazer partida à frio sem o auxílio do sub-tanque auxiliar de gasolina. A potência máxima é de 144 cavalos (a 6 mil RPM) e torque máximo de 18,6 Kgfm (a 4.800 RPM) no etanol. Com câmbio manual, a aceleração de 0 a 100 Km/h acontecem em apenas 9,7 segundos. Para um carro básico com moto r 1,8 litro, não dá pra reclamar. A Toyota não declara a velocidade máxima, mas o carro consegue chegar na casa dos 200 km/h, nessa configuração. Portanto, o bom desempenho da versão GLi manual é outra surpresa.
 
Mas a surpresa continua no quesito consumo. O Corolla GLi com câmbio manual recebe nota “A” no programa de etiquetagem do INMETRO, em relação aos concorrentes diretos da categoria. Mesmo quando comparado a todos os modelos testados pelo INMETRO (incluindo compactos e sub-compatcos), a nota recebida é “B”. Certamente, estamos falando de um sedan muito econômico.
 
Dirigibilidade
 
O Corolla GLi é um sedan que não decepciona. O conjunto moto r e câmbio entrega um desempenho muito convincente, tanto na cidade (com acelerações ágeis) como na estrada (com boas retomadas). Claro que não estamos falando de um Volkswagen Jetta TSi, mas certamente o Corolla GLi vai ficar à frente de vários outros sedans da categoria, mesmo na versão básica. Além disso, não dói no bolso. Em velocidade constante na estrada de 120 km/h, com ar ligado, fizemos quase 11 km/l no etanol.
 
Além do bom conjunto motriz, o carro ainda mostra uma suspensão muito convincente para encarar a buraqueira nacional. O conjunto é consistente, é relativamente confortável. Mesmo nas maiores lombadas e valetas, o Corolla raspa muito pouco, atendendo perfeitamente o uso geral de um sedan médio.
 
A boa postura ao volante também permite viagens longas, sem induzir um cansaço desproporcional. Mesmo na cidade, o volante leve e o estofamento macio garantem um bom nível de conforto.
 
Preço e Mercado
 
O Corolla GLi 2015, com câmbio manual tem preço sugerido de R$ 67,8 mil. A garantia é de 3 anos sem limite de quilometragem. Fato que a versão GLi do Corolla não é a mais barata entre os sedans médios básicos. Mas pesa a favor do carro japonês o bom valor de revenda, a alta confiabilidade mecânica e um pacote de equipamentos honesto. Para o cliente racional que procura um carro eficiente, espaçoso, e não esta muito preocupado com as firulas estéticas, o Corolla GLi pode ser uma boa opção de compra.

O veículo que você procura está aqui na Comprecar!